Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Bairro carente ganha biblioteca comunitária


Ana Macchi
Do Diário do Grande ABC

09/11/2003 | 20:28


A comunidade da Vila Alice, na periferia do Jardim Canhema, em Diadema, conseguiu driblar a falta de opções de lazer ao criar e instalar neste domingo a primeira biblioteca comunitária da cidade, na sede associação de amigos do bairro. O acesso é gratuito. Agora, além de ser conhecido por sua escola de samba, o bairro será conhecido também, na região, por ter sido o primeiro a valorizar a leitura e a literatura. O espaço já conta como mais de mil títulos, entre revistas, livros e gibis. Todo o material provém de doações, e a organização é feita com trabalho voluntário.

A idéia de montar a biblioteca veio do projeto Círculos de Leitura, financiado pelo Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial. Conhecido por motivar alunos a ler e a discutir literatura e poesia, sobraram poucas salas do projeto na cidade. Em entrevista ao Diário em julho, o estudante Manoel Cardoso Freitas Neto revelou sua vontade de criar um espaço para pessoas carentes conhecerem os livros. "A minha vida mudou depois que comecei a me dedicar à leitura. Quero que isso aconteça com outras pessoas", contou Freitas Neto.

O trabalho voluntário foi essencial para realizar o sonho da biblioteca. A morada Elaine de Oliveira assumiu a coordenadoria do espaço espontaneamente e, no período de três meses, catalogou sozinha todos os livros. "Fiz um curso de bibliotecária de dois dias de duração. Estamos precisando de mais doações, principalmente de gibis, para as crianças", afirmou. O grupo também precisa de revistas mais atualizadas.

Mesmo com as dificuldades, a biblioteca já está auxiliando muitas pessoas. O espaço já se tornou ponto de encontro de estudantes que procuram livros didáticos. Antes, quem precisava de algum material de leitura na Vila Alice precisava viajar para bem longe. "São 20 minutos dentro de um ônibus municipal para chegar à biblioteca mais próxima, na região Central", disse o estudante Joab Bernardo de Oliveira.

"Temos vários títulos de matérias diferentes. Montamos também um pequeno espaço para as crianças desenharem e lerem gibis", disse Freitas Neto. Entre os títulos, há livros de Manoel Bandeira, Jorge Amado, Vladimir Nabokov e Aluísio Azevedo, normalmente solicitados para provas de vestibular. O novo espaço serviu também como pontapé inicial para a criação de mais programas culturais gratuitos para os moradores do bairro.

"Queremos montar salas de reforço para estudantes que não conseguem boas notas, dar aulas de inglês e incentivar a prática do artesanato", explicou a coordenadora Elaine. A Biblioteca Comunitária Fábrica de Idéias Mário Lago fica na rua Altino Arantes, 210, Vila Alice, e funciona de segunda-feira a sábado, das 9h às 16h. O telefone para doações é o 4071-5530.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;