Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Embalagem denuncia ovo de Páscoa


Luciana Sereno
Do Diário do Grande ABC

01/03/2005 | 14:02


Com uma infinidade de variantes à disposição, a compra de ovos de chocolate para a Páscoa exige, além de pesquisa de preços, observação cuidadosa no local de compra sobre as condições de acondicionamento do produto. É imprescindível verificar a embalagem dos ovos antes de colocar o produto no carrinho. Lembre-se: a embalagem desbotada pode significar que a mercadoria foi armazenada inadequadamente em ambiente quente ou ficou exposta ao sol. O chocolate é vulnerável ao calor e pode estragar facilmente.

O papel de embrulho deve estar inteiro, sem nenhum dano. Qualquer tipo de irregularidade deve ser comunicada ao fabricante. A observação atenta da embalagem pode evitar também que o consumidor leve para casa produtos com a data de validade vencida ou ingredientes que desagradam o paladar.

Como as crianças em geral são os principais presenteados, fique atento também para as ofertas que incluem brinquedos no pacote dos ovos. Esse itens precisam ter certificação de qualidade do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) e a classificação etária.

Se o brinquedo estiver com defeito, é direito do consumidor exigir que seja substituído por outro, como estabelece o artigo 18 do CDC (Código de Defesa do Consumidor). O artigo trata da responsabilidade por vício do produto e do serviço. O consumidor que preferir poderá exigir a restituição da quantia paga ou o abatimento proporcional no preço.

No caso de as informações não estarem indicadas na embalagem, o consumidor deve ligar para o fabricante do produto para solicitar explicações, principalmente a respeito do tipo de brinquedo de brinde. De acordo com artigo 12 do código, acidentes com os brinquedos são de responsabilidade do fabricante. Os pais podem requerer reembolso das despesas com atendimento hospitalar e medicamentos, quando houver necessidade. A regra também vale no caso de intoxicação pelo consumo do chocolate.

O código prevê que a empresa só não responderá pelos incidentes se provar que não colocou o produto à venda no mercado ou que a culpa é exclusiva do consumidor (se,  por exemplo, quem comprou conservou mal o produto).

Bolso – O Procon também orienta os consumidores a planejar a compra dos ovos antes de sair de casa para não cair em armadilhas por conta da grande variedade de produtos disponível no mercado. A técnica evita compras por impulso.

O passo-a-passo do Procon alerta também para a comparação dos preços praticados entre os pontos de venda (sempre considerando marca, tipo e peso de cada produto) e os valores em anúncios publicitários com os indicados nas gôndolas. No caso de diferença, vale sempre o menor valor.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;