Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Para Oswaldo, Vanessa é do grupo do pai

Arquivo/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Mark Ribeiro
do Diário do Grande ABC

19/09/2011 | 07:13


Em projeção sobre a eleição de 2012, quando tentará se manter no comando do Paço por mais quatro anos, o prefeito de Mauá, Oswaldo Dias (PT), indicou que a deputada estadual Vanessa Damo (PMDB) deverá ser a sua principal adversária no pleito. Para embasar a tese, o petista se apegou aos fatos históricos, e afirmou que a parlamentar pertence ao grupo político do pai, o ex-prefeito por dois mandatos (1983 a 1988 e 2005 a 2008) Leonel Damo.

A ligação tem sido sistematicamente rejeitada por Vanessa, que em diversas entrevistas declarou admirar o pai, mas sempre fazendo questão de se desvencilhar do grupo político de Damo, que contou, entre outros, com o ex-prefeito José Carlos Grecco - os ex-chefes do Executivo, adversários históricos do PT, deixaram o Paço em baixa com o eleitorado.

"A Vanessa é deste grupo e representa o Leonel", declarou Oswaldo. O chefe do Executivo ainda reconheceu o potencial da candidatura da deputada, sempre a ligando ao bloco do pai. "Quer queira, quer não, pela história do Leonel, este grupo tem sua força. A tendência é a Vanessa absorver isso."

A parlamentar foi a única citada pelo petista quando questionado sobre o panorama eleitoral para 2012. Oswaldo se esquivou de comentar o racha da oposição, que planeja lançar até cinco chapas ao Paço. Além de Vanessa, pleiteiam candidaturas os ex-prefeituráveis Chiquinho do Zaíra (PTdoB) e Paulo Bio (PV), e os vereadores Atila Jacomussi (ingressando no PPS), Edimar da Reciclagem (PSDB) e Irmão Ozelito (se filiando ao PTB) - os dois últimos com acordo de caminharem juntos.

Apoiado - O secretário de Governo de Mauá, José Luiz Cassimiro (PT), compartilha das projeções de Oswaldo. Para ele, não é o PT quem liga Vanessa ao arco de apoiadores do pai, mas a história política da cidade.

"A Vanessa não será associada a este grupo. Ela é deste grupo. Não vamos falar ‘olha, estamos associando a Vanessa ao Leonel'. Não é estratégia nossa, mas os fatos", avalia ao fazer comparação para ilustrar a situação. "Eu, historicamente, sou do grupo do Oswaldo. A Vanessa, é do Leonel e do Grecco."

Campanha - Oswaldo Dias antecipou o tom que pretende empregar durante a sua campanha para a reeleição. De olho no segundo turno, o prefeito descarta, pelo menos por enquanto, partir para ataques pessoais.

"Pela experiência que tenho, muito enfrentamento tende a ser prejudicial em eventual segundo turno. Como vamos compor com alguém que atacamos no primeiro turno? Até fecha a aliança por cima (com partidos derrotados na primeira rodada de votação) mas com o eleitor não."

Assim, o prefeito projeta campanha propositiva e comparativa, mostrando os feitos do governo atual e os da administração passada. E terá em Cassimiro, seu homem-forte, um porta-voz.

"A população assistiu ao que foi o governo do Leonel, que não entregou nenhum equipamento público e deixou R$ 217 milhões de restos a pagar, e assiste ao empenho do governo Oswaldo Dias em recuperar o desenvolvimento e aumentar a auto-estima da população", conclui o secretário.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;