Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Donizeti diz que fica ‘à vontade’ para coordenar campanha

No quarto mandato consecutivo na Câmara de Santo André, o vereador Donizeti Pereira (PV) formalizou que não disputará a reeleição no pleito de outubro


Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/08/2016 | 07:00


No quarto mandato consecutivo na Câmara de Santo André, o vereador Donizeti Pereira (PV) formalizou que não disputará a reeleição no pleito de outubro, ficando “à vontade” para integrar a coordenação de campanha do prefeiturável e ex-colega de Casa Paulinho Serra (PSDB). “Estou pensando em projeto maior. Cidade precisa de novidade, alguém que nunca foi prefeito, com propostas inovadoras. Eu me alinhei a ele por causa disso, das ideias, principalmente de enxugar a máquina. E quero contribuir nas atividades (da empreitada). São 128 candidatos (por vaga no Legislativo). Fico mais tranquilo para o trabalho. Não sou concorrente, sou mais um parceiro.”

Donizeti chegou a ser cotado a vice na chapa majoritária tucana, mas o PTB, com o também parlamentar Luiz Zacarias, foi o escolhido para compor a dobrada. Dentro do arco de aliança, o PV fará a coligação proporcional com a Rede. Em 2012, o verde acabou sendo o único eleito para representar a bancada. A saída do parlamentar contribuiu para efetivação de quadros internos na concorrência. “Não coloquei meu nome na lista nem dos suplentes. Estou convicto que o partido sai animado, brigando para fazer até duas cadeiras”, disse, sem descartar, no entanto, entrar no páreo em outras disputas. “Posso falar especificamente de 2016. Daqui dois anos depende de muita coisa.”

O PV esteve em 2012 na coligação do PMDB, então encabeçado por Nilson Bonome. Donizeti admitiu assédio de última hora do PT, do prefeito Carlos Grana, e do grupo do ex-prefeito Aidan Ravin (PSB). “Houve conversas na estadual do partido para mudar de lado. Teve convite para ser vice, para ser secretário”, disse, ao citar que município vive vácuo de lideranças. “Cidade perdeu identidade política.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Donizeti diz que fica ‘à vontade’ para coordenar campanha

No quarto mandato consecutivo na Câmara de Santo André, o vereador Donizeti Pereira (PV) formalizou que não disputará a reeleição no pleito de outubro

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/08/2016 | 07:00


No quarto mandato consecutivo na Câmara de Santo André, o vereador Donizeti Pereira (PV) formalizou que não disputará a reeleição no pleito de outubro, ficando “à vontade” para integrar a coordenação de campanha do prefeiturável e ex-colega de Casa Paulinho Serra (PSDB). “Estou pensando em projeto maior. Cidade precisa de novidade, alguém que nunca foi prefeito, com propostas inovadoras. Eu me alinhei a ele por causa disso, das ideias, principalmente de enxugar a máquina. E quero contribuir nas atividades (da empreitada). São 128 candidatos (por vaga no Legislativo). Fico mais tranquilo para o trabalho. Não sou concorrente, sou mais um parceiro.”

Donizeti chegou a ser cotado a vice na chapa majoritária tucana, mas o PTB, com o também parlamentar Luiz Zacarias, foi o escolhido para compor a dobrada. Dentro do arco de aliança, o PV fará a coligação proporcional com a Rede. Em 2012, o verde acabou sendo o único eleito para representar a bancada. A saída do parlamentar contribuiu para efetivação de quadros internos na concorrência. “Não coloquei meu nome na lista nem dos suplentes. Estou convicto que o partido sai animado, brigando para fazer até duas cadeiras”, disse, sem descartar, no entanto, entrar no páreo em outras disputas. “Posso falar especificamente de 2016. Daqui dois anos depende de muita coisa.”

O PV esteve em 2012 na coligação do PMDB, então encabeçado por Nilson Bonome. Donizeti admitiu assédio de última hora do PT, do prefeito Carlos Grana, e do grupo do ex-prefeito Aidan Ravin (PSB). “Houve conversas na estadual do partido para mudar de lado. Teve convite para ser vice, para ser secretário”, disse, ao citar que município vive vácuo de lideranças. “Cidade perdeu identidade política.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;