Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Calderano perde chance, o jogo, mas faz história no Rio


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

09/08/2016 | 07:00


Por pouco Hugo Calderano não conseguiu atingir as quartas de final na Olimpíada. O atleta de São Caetano, 54º do ranking, encarou de igual para igual o japonês Ju Mizuntani, sexto do mundo, mas perdeu por 4 sets a 2 (11/5, 11/6, 11/13, 8/11 e 12/10) e teve de se contentar em igualar o desempenho de Hugo Hoyama, em Atlanta-1996.

Apesar da excelente campanha, Calderano deixou o Pavilhão do Riocentro incomodado porque tinha tudo para prolongar o jogo contra o japonês. No sexto set, o brasileiro vencia por 10 a 8 e tinha o saque para empatar a partida, mas não conseguiu. “Deixei escapar uma chancezinha de ir ao sétimo set, mas acontece”, lamentou.

O que o brasileiro não conseguiu segurar mesmo foram as lágrimas. “Não foi nem um choro de tristeza. Se ganhasse, ia chorar também. É muita emoção jogar a Olimpíada em casa, com todo mundo torcendo muito. O tênis de mesa não é um esporte popular no Brasil. Pode ter sido uma derrota neste jogo, mas foi uma vitória para o tênis de mesa brasileiro”, celebrou.

O jogador sabe que tem chances de evoluir nos próximos anos e ser o maior de todos os tempos. “Tenho 20 anos e espero que, com a experiência, possa levar a melhor na próxima Olimpíada. Hoyama foi um grande ídolo, mas não gosto de ficar comparando. São épocas diferentes. Claro que fico feliz em repetir o feito dele.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;