Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Gorbachev propõe rota turística para manter lembrança do comunismo


Do Diário OnLine
Com AFP

02/10/2005 | 15:52


O ex-presidente soviético Mokhail Gorbachev propôs um caminho turístico de 6.800 quilômetros do Ártico ao Mar Negro, que seguirá o traçado da Cortina de Ferro. O objetivo é manter viva a memória do comunismo, que dividiu o continente em dois blocos antagônicos ente 1947 e 1989.

O projeto já recebeu o apoio do Parlamento Europeu em um pacote de iniciativas sobre turismo sustentável para o bloco e poderá estar terminado em um prazo de cinco a 10 anos. "A Cortina de Ferro dividiu em duas a Europa durante muitos anos. A intenção é que isto nos faça não esquecer do ocorrido", explicou o eurodeputado Michael Cramer.

Um documento votado no Europarlamento pede aos Estados membros da EU (União Européia) que realizem o projeto para lembrar a construção e queda do Muro de Berlim e para promover a identidade européia. No caso da Cortina de Ferro, o percurso para pedestres e ciclistas seguirá caminhos utilizados por tropas dos países comunistas para vigiar suas fronteiras e cruzará vários locais de alto valor histórico e cultural.

Segundo Cramer, 12 países já deram sinal verde para o financiamento conjunto da idéia: Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, Alemanha, República Tcheca, Eslováquia, Áustria, Hungria e Grécia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gorbachev propõe rota turística para manter lembrança do comunismo

Do Diário OnLine
Com AFP

02/10/2005 | 15:52


O ex-presidente soviético Mokhail Gorbachev propôs um caminho turístico de 6.800 quilômetros do Ártico ao Mar Negro, que seguirá o traçado da Cortina de Ferro. O objetivo é manter viva a memória do comunismo, que dividiu o continente em dois blocos antagônicos ente 1947 e 1989.

O projeto já recebeu o apoio do Parlamento Europeu em um pacote de iniciativas sobre turismo sustentável para o bloco e poderá estar terminado em um prazo de cinco a 10 anos. "A Cortina de Ferro dividiu em duas a Europa durante muitos anos. A intenção é que isto nos faça não esquecer do ocorrido", explicou o eurodeputado Michael Cramer.

Um documento votado no Europarlamento pede aos Estados membros da EU (União Européia) que realizem o projeto para lembrar a construção e queda do Muro de Berlim e para promover a identidade européia. No caso da Cortina de Ferro, o percurso para pedestres e ciclistas seguirá caminhos utilizados por tropas dos países comunistas para vigiar suas fronteiras e cruzará vários locais de alto valor histórico e cultural.

Segundo Cramer, 12 países já deram sinal verde para o financiamento conjunto da idéia: Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, Alemanha, República Tcheca, Eslováquia, Áustria, Hungria e Grécia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;