Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Avioes de Boris Yeltsin e de Massimo d'Alema se chocam na Jordânia


Do Diário do Grande ABC

10/02/1999 | 11:23


O aviao em que o presidente Boris Yeltsin voltou de uma breve viagem à Jordânia bateu, numa pista do aeroporto local, no aviao do primeiro-ministro italiano, Massimo d'Alema. Segundo os jornais russosKommersant e Moskovsky Komsomolets, nao houve feridos no acidente de segunda-feira, ocorrido no aeroporto Vnukovo-2.

O Il-96 de Yeltsin bateu no DC-9 do primeiro-ministro italiano com a ponta de uma asa enquanto manobrava na pista logo depois de pousar, informaram os jornais. A cauda do DC-9 e parte da fuselagem ficaram avariadas e por isso as autoridades italianas enviaram outro aviao para a volta de d'Alema, ocorrida na noite desta terça-feira.

O aviao de Yeltsin sofreu danos insignificantes, segundo as versoes, confirmadas por um porta-voz da Comissao Estatal de Aviaçao. Os jornais disseram que nem Yeltsin nem sua comitiva perceberam o impacto e desembarcaram sem problemas. A assessoria de imprensa do presidente se recusou a comentar o incidente.

Yeltsin fez uma visita repentina à Jordânia, para participar do funeral do rei Hussein, mas deixou o país apenas duas horas e meia depois de desembarcar, sem esperar o final das cerimônias. Aparentemente, voltou a Moscou por motivos de saúde.

O jornal Kommersant disse que o acidente no aeroporto, usado apenas para vôos oficiais, foi causado pelo mau estado da pista de pouso. Mas um funcionário da aviaçao russa, nao identificado, disse que os responsáveis foram os italianos porque o DC-9 supostamente foi estacionado de forma incorreta, segundo informaçoes a agência de notícias Interfax.

Durante sua visita de dois dias, d'Alema se reuniu com o primeiro-ministro Yevgueny Primakov e outros funcionários governamentais e prometeu ajudar a convencer os emprestadores internacionais a fornecerem à Rússia os empréstimos de que o país precisa com urgência para enfrentar sua crise econômica.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;