Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Paulinho diz não esconder passagem na gestão Grana

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

01/08/2016 | 07:00


Oficializado ontem como o nome do PSDB para a disputa pelo comando da Prefeitura de Santo André na eleição de outubro, o ex-vereador e ex-secretário Paulinho Serra garantiu que não irá ocultar sua passagem pelo governo do prefeito Carlos Grana (PT). Paulinho, que integrou o primeiro escalão petista de janeiro de 2013 a julho de 2015, quando esteve à frente da Secretaria de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, reconheceu ter trabalhado ao prefeito petista, mas fez questão de disparar série de críticas ao antigo aliado, que concorrerá à reeleição.

“Não vou esconder de maneira nenhuma minha história e minha passagem pela Prefeitura, como secretário. Lá, eu aprendi muito o que fazer, mas, principalmente, o que não se deve fazer. Puder ver pela administração, com muita clareza, o modelo de gestão que não funciona. As pessoas de Santo André estão esperando um novo modelo de administrar. Já foi mudado uma vez, modificado em outro. Mas a forma de governar segue a mesma”, disse o tucano, em crítica também ao ex-prefeito Aidan Ravin, do PSB.

Aos 43 anos e vereador por dois mandatos, o tucano entra pela primeira vez na concorrência pelo Paço. Ele foi prestigiado por aproximadamente 2.000 pessoas, que lotaram um dos salões nobres do Clube Primeiro de Maio, no Centro. No ato, foi ratificada também a nomeação do vereador Luiz Zacarias (PTB) como vice, além da apresentação da coligação ‘Projeto Forte. Mudança Certa’, composta por seis partidos: PSDB, PTB, PV, PHS, Rede e PRTB (essa sigla foi anunciada como apoiadora do projeto de Aidan). Segundo o tucano, o arco pode aumentar nos próximos dias, citando namoro com o DEM, assediado por Aidan.

No material publicitário ficou oficializado que o candidato usará Paulo Serra, aposentando a tradicional alcunha ‘Paulinho’. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) não marcou presença nem gravou mensagem de apoio ao tucano, mas o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) prestigiou a atividade.

Aliado de Paulinho, o deputado estadual Orlando Morando (PSDB), pré-candidato à Prefeitura de São Bernardo, elevou o tom crítico à gestão Grana e à tentativa de retorno de Aidan. “Santo André já provou e rejeitou o PT e o Aidan. Agora, a hora é do Paulinho”. Chamou a atenção, a presença do prefeiturável de São Caetano pelo PR, o vereador Fábio Palacio, uma vez que o nome tucano na cidade é o do ex-prefeito José Auricchio Júnior.

Paulinho pontuou ações que estão em seu plano de governo. “Eleição não é concurso de miss. Não ganha quem for o mais engraçadinho ou quem conta mais piada. Tem de ter projeto. Por isso estamos aqui. Neste governo aprendi o que não fazer, porque o modelo de gestão nos últimos dez anos não funcionou para a cidade. Levou à falência. Por isso, uma das prioridades será o desenvolvimento econômico para voltar fomentar empregos. O último prefeito a fazer por esta cidade foi Celso Daniel (PT, morto em 2002 e gestor por três mandatos).”

O agora prefeiturável também lembrou de sua saída do PSDB, antes da eleição de 2012, quando se filiou no PSD. Ele utilizou um conjunto de varetas para explicar episódio. “Na eleição eu era uma única (vareta) tentando ser candidato. Hoje (ontem), é diferente. Deixei o PSDB para entender que era a minha casa.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;