Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Eleições a prefeito no Grande ABC podem movimentar até R$ 99 milhões

Valor é baseado no teto de gastos de campanha às prefeituras do Grande ABC divulgado ontem


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

21/07/2016 | 07:00


O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou ontem os tetos de gastos de campanha a prefeito e vereador nas eleições municipais. No Grande ABC, o pleito às sete prefeituras pode movimentar R$ 99 milhões, em cálculo levando em consideração a efetivação de todas as pré-candidaturas majoritárias colocadas até o momento.

Os limites estipulados pela Justiça Eleitoral e confirmados com a minirreforma aprovada em 2015 no Congresso Nacional indicam que o candidato ao Paço poderá despender, no máximo, 70% do maior volume de investimento da eleição de 2012 – tanto nas campanhas a prefeito quanto nas de vereador (veja quadro completo acima).

Pela listagem atualizada pelo TSE, São Bernardo terá o maior teto de gastos eleitorais. Cada candidato poderá desembolsar R$ 4,6 milhões. Em caso de eventual segundo turno, os prefeituráveis terão aval para usar mais R$ 1,38 milhão – totalizando, assim, R$ 5,98 milhões por pleiteante. Como, por enquanto, quatro nomes se colocam na disputa, São Bernardo pode movimentar R$ 21,2 milhões – são pré-candidatos Alex Manente (PPS), Orlando Morando (PSDB), Tarcisio Secoli (PT) e Aldo Santos (Psol).

Até o momento, 44 políticos se lançaram à corrida eleitoral de outubro nas sete cidades, com seis prefeitos em busca da reeleição. Por enquanto, Santo André tem o maior número de pré-prefeituráveis, nove no total. Com isso, a cidade pode ver circular R$ 31,9 milhões por causa da eleição – o teto de cada candidato andreense será de R$ 3,3 milhões.

O município com menor investimento eleitoral será Rio Grande da Serra. Por ora com quatro pré-candidatos – Gabriel Maranhão (PSDB), Claudinho da Geladeira (PT), Edvaldo Guerra (PMDB) e Cleson Alves (PMB) –, a cidade poderá ter R$ 887,4 mil em gastos com campanha. O máximo que cada pleiteante poderá desembolsar é R$ 221,8 mil.

O TSE também apresentou o volume máximo de despesa entre os candidatos a vereador. Os postulantes à Câmara de São Bernardo poderão gastar R$ 279,5 mil na campanha, o maior volume no Grande ABC. Apesar de ter um quarto do número de eleitores de São Bernardo, São Caetano aparece na sequência no quesito teto de gastos de candidatos ao Legislativo: cada um poderá usar R$ 254,8 mil. Em Rio Grande, o teto é R$ 15,4 mil, o menor da região.

Ontem, o ministro Gilmar Mendes, presidente do TSE, disse que a possibilidade de aumento do caixa dois, uma vez que os gastos de campanha foram reduzidos e fixados. “Nós não dispomos de fiscais na Justiça Eleitoral para dar atenção a todos eles. A própria sociedade terá de fiscalizar.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;