Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Prefeitos têm maratona de entrega de obras públicas

Ricardo Trida/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pela lei, amanhã é último dia para candidatos
comparecerem a atos oficiais; seis tentam reeleição


Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

01/07/2016 | 07:00


Prestes a partirem para a reeleição, prefeitos do Grande ABC vão cumprir hoje e amanhã verdadeira maratona de agendas oficiais. Pela legislação eleitoral, amanhã é o último dia para que candidatos compareçam em inaugurações de obras públicas. Até a data da eleição nenhum pleiteante (a prefeito, vice ou vereador) poderá participar de ato oficial de governo, estando sujeito a cassação do registro de candidatura ou do diploma caso descumpra a norma (artigo 77 da lei 9.504/1997).

Seis dos sete chefes de Executivo da região disputarão a reeleição: Carlos Grana (PT, Santo André), Paulo Pinheiro (PMDB, São Caetano), Lauro Michels (PV, Diadema), Donisete Braga (PT, Mauá), Saulo Benevides (PMDB, Ribeirão Pires) e Gabriel Maranhão (PSDB, Rio Grande da Serra). Fora dessa empreitada e podendo inaugurar obras até o fim do mandato, em dezembro, o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), também terá agenda extensa hoje. O petista tenta defender nas urnas o ex-secretário de Serviços Urbanos e de Coordenação Governamental Tarcisio Secoli (PT).

Por conta da crise econômica e queda de receitas, foram poucas as obras entregues durante os três primeiros anos de mandato. Nos últimos meses, porém, os gestores intensificaram a entrega de reformas e de pequenas intervenções, como construção de academias ao ar livre e recapeamento de vias públicas.

Para o professor da Universidade Metodista Kleber Carrilho, especialista em marketing político e eleitoral, a estratégia não é inteligente. “Do mesmo jeito que o agente público trabalha bem durante o ano eleitoral, precisa desempenhar bom papel durante todo o mandato. Deixar para mostrar serviço só no período eleitoral faz com que o eleitor rejeite o candidato”, analisou. “Hoje, por conta de uma crise de confiança (gerada pela crise política), os eleitores estão mais espertos. Já foi o tempo que asfaltar rua (às vésperas da eleição) funcionava (eleitoralmente)”.

Carrilho afirma que, para os atuais gestores, a presença em inaugurações públicas até os deixa em vantagem em relação aos candidatos da oposição – é justamente para evitar abuso de poderes político e econômico por parte de quem já comanda a máquina pública que existe o impedimento legal. O especialista alerta, porém, que, dependendo da obra que o gestor entrega, essa corrida contra o tempo poderá ser um tiro no pé. “No Grande ABC, parte dos atuais prefeitos não está bem nas pesquisas e inaugurar obra inacabada só piora. Entregar só o prédio de um posto de Saúde não resolve o problema. O prefeito tem de ser honesto com a população e deixar claro que não conseguiu cumprir determinada promessa. Será muito mais fácil para pedir voto.”

CASOS NA REGIÃO
Na eleição de 2012, o descumprimento dessa regra gerou problemas para a campanha do hoje prefeito de Ribeirão. Às vésperas do pleito, a escolhida para ser a vice de Saulo, Lair da Apraespi, compareceu à inauguração de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24 horas e, para evitar cassação da chapa, teve de renunciar à candidatura. Às pressas, o peemedebista escolheu sua irmã, a hoje vice-prefeita Leo da Apraespi (PMB), para substituí-la. (Colaboraram Raphael Rocha e Leandro Baldini) 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeitos têm maratona de entrega de obras públicas

Pela lei, amanhã é último dia para candidatos
comparecerem a atos oficiais; seis tentam reeleição

Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

01/07/2016 | 07:00


Prestes a partirem para a reeleição, prefeitos do Grande ABC vão cumprir hoje e amanhã verdadeira maratona de agendas oficiais. Pela legislação eleitoral, amanhã é o último dia para que candidatos compareçam em inaugurações de obras públicas. Até a data da eleição nenhum pleiteante (a prefeito, vice ou vereador) poderá participar de ato oficial de governo, estando sujeito a cassação do registro de candidatura ou do diploma caso descumpra a norma (artigo 77 da lei 9.504/1997).

Seis dos sete chefes de Executivo da região disputarão a reeleição: Carlos Grana (PT, Santo André), Paulo Pinheiro (PMDB, São Caetano), Lauro Michels (PV, Diadema), Donisete Braga (PT, Mauá), Saulo Benevides (PMDB, Ribeirão Pires) e Gabriel Maranhão (PSDB, Rio Grande da Serra). Fora dessa empreitada e podendo inaugurar obras até o fim do mandato, em dezembro, o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), também terá agenda extensa hoje. O petista tenta defender nas urnas o ex-secretário de Serviços Urbanos e de Coordenação Governamental Tarcisio Secoli (PT).

Por conta da crise econômica e queda de receitas, foram poucas as obras entregues durante os três primeiros anos de mandato. Nos últimos meses, porém, os gestores intensificaram a entrega de reformas e de pequenas intervenções, como construção de academias ao ar livre e recapeamento de vias públicas.

Para o professor da Universidade Metodista Kleber Carrilho, especialista em marketing político e eleitoral, a estratégia não é inteligente. “Do mesmo jeito que o agente público trabalha bem durante o ano eleitoral, precisa desempenhar bom papel durante todo o mandato. Deixar para mostrar serviço só no período eleitoral faz com que o eleitor rejeite o candidato”, analisou. “Hoje, por conta de uma crise de confiança (gerada pela crise política), os eleitores estão mais espertos. Já foi o tempo que asfaltar rua (às vésperas da eleição) funcionava (eleitoralmente)”.

Carrilho afirma que, para os atuais gestores, a presença em inaugurações públicas até os deixa em vantagem em relação aos candidatos da oposição – é justamente para evitar abuso de poderes político e econômico por parte de quem já comanda a máquina pública que existe o impedimento legal. O especialista alerta, porém, que, dependendo da obra que o gestor entrega, essa corrida contra o tempo poderá ser um tiro no pé. “No Grande ABC, parte dos atuais prefeitos não está bem nas pesquisas e inaugurar obra inacabada só piora. Entregar só o prédio de um posto de Saúde não resolve o problema. O prefeito tem de ser honesto com a população e deixar claro que não conseguiu cumprir determinada promessa. Será muito mais fácil para pedir voto.”

CASOS NA REGIÃO
Na eleição de 2012, o descumprimento dessa regra gerou problemas para a campanha do hoje prefeito de Ribeirão. Às vésperas do pleito, a escolhida para ser a vice de Saulo, Lair da Apraespi, compareceu à inauguração de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24 horas e, para evitar cassação da chapa, teve de renunciar à candidatura. Às pressas, o peemedebista escolheu sua irmã, a hoje vice-prefeita Leo da Apraespi (PMB), para substituí-la. (Colaboraram Raphael Rocha e Leandro Baldini) 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;