Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santos para na trave e acaba derrotado no fim pelo Furacão


Rafael Mendonça
Especial para o Diário

19/06/2016 | 07:00


O Santos parou duas vezes na trave, levou gol no fim e acabou derrotado por 1 a 0 pelo Atlético-PR ontem, na Arena da Baixada, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Foi o quarto revés do Peixe, que segue no quarto lugar – podendo sair do G-4 hoje – com 13 pontos, mesma pontuação do Furacão, que está em nono.

Sem Lucas Lima, o Santos enfrentou dificuldades na criação de jogadas desde o início. Quem procurava se encarregar de tal função era Gabriel, que recuava um pouco e era um dos que mais participavam da partida.

Enquanto isso, a equipe da casa sofria com os passes errados. Isso fez com que a partida praticamente não oferecesse nada em termos de emoção. Isso até os 28 minutos, que foi quando Vitor Bueno ajeitou na intermediária e acertou a trave direita de Weverton.

O lance parece que foi um divisor de águas para a partida. O Furacão resolveu atacar e teve nos pés de Giovanny duas chances de abrir o placar. Entretanto, ambas as finalizações do meia, aos 34 e aos 41, foram espalmadas por Vanderlei.

Logo na sequência, Luiz Felipe fez belo lançamento para Gabriel, que observou Weverton adiantado e tentou o toque por cobertura. Mas a bola acertou o travessão e saiu por cima do gol.

Os mandantes melhoraram no segundo tempo e passaram a pressionar o adversário. Ewandro chegou pela esquerda aos 21 e cruzou para Vinicius, que se esticou com todo para finalizar. Mas Zeca se jogou com ele e, com um leve toque, salvou o Santos com a bola saindo por cima da meta paranaense.

Melhor do Peixe na partida, Gabriel tentou responder no minuto seguinte, mas Weverton defendeu. Aos 25, foi a vez de Vanderlei fazer outra boa intervenção ao sair nos pés de Vinicius e tirar a bola.

Superior na segunda etapa, o Furacão quase marcou aos 31. Pablo, que acabara de entrar na partida, pegou de primeira um cruzamento da direita e carimbou a trave esquerda santista.

Após insistir, a equipe paranaense chegou ao gol. Aos 42, Vinicius cobrou escanteio, Paulo André subiu mais do que a defesa do Peixe e, de cabeça, mandou para o fundo do gol, sem chances para Vanderlei, que ainda chegou a tocar na bola.

Dorival Júnior revela que lances de bola parada têm ‘tirado sono''''

Mesmo tendo sido superior em boa parte da partida, o Santos acabou conhecendo sua quarta derrota na competição ao sofrer gol nos minutos finais contra o Atlético-PR, após cobrança de escanteio. Este tipo de lance, aliás, tem deixado Dorival Júnior de cabelo em pé.

“Um cabeceio definiu a sorte da partida. Isso aí tem nos tirado o sono, a bola parada tem nos levado pontos importantes na nossa campanha. Diferentemente da bola em jogo, que não nos traz problemas”, revelou o treinador.

O comandante do Peixe também citou que sua equipe teve 67% de posse de bola durante o confronto. Porém, isso de nada serviu. “Criamos, buscamos o gol adversário. Fizemos o jogo de uma maneira correta, mas infelizmente não conseguimos o resultado por causa de uma postura em uma bola parada”, reforçou.

INCIDENTE

Ao buscar a bola na linha de fundo aos cinco minutos do segundo tempo, após lance em que André Lima ficou caído na área e pediu pênalti, o goleiro Vanderlei foi ofendido por torcedores do Furacão, sendo que um deles chegou a cuspir no camisa 1.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;