Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 24 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Prejudicado pelo agronegócio, PIB do RS recua 4,3% no 1º trimestre de 2016



14/06/2016 | 13:22


O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul teve retração de 4,3% no primeiro trimestre de 2016, em relação ao mesmo período de 2015. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 14, pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) do Estado, que se concentra na análise interanual. O principal responsável pela queda foi o agronegócio, que em trimestres anteriores vinha contribuindo positivamente com a economia gaúcha.

De acordo com a FEE, o desempenho da agropecuária do RS recuou 8,1% entre janeiro e março de 2016. O tombo foi maior do que o registrado no Brasil - no primeiro trimestre o agronegócio brasileiro teve baixa de 3,7% ante igual intervalo do ano anterior.

Já a indústria no Rio Grande do Sul caiu 6,3%, enquanto no Brasil a redução foi de 7,3%, também na comparação anual. O setor de serviços, por sua vez, recuou 2,5%, menos do que o recuo nacional, que ficou em 3,7%. Com isso, apesar da influência negativa do agronegócio, a economia gaúcha se saiu melhor do que a brasileira neste primeiro trimestre, já que a retração do PIB do RS, de 4,3%, é menor do que a verificada no Brasil no mesmo período, de 5,4%.

A FEE lembrou que, entre janeiro e março, o desempenho da agropecuária no Rio Grande do Sul foi comprometido pelas condições climáticas. O excesso de chuvas prejudicou a cultura do arroz tanto no plantio como na colheita. Desta forma, houve redução na área plantada, na produtividade e, consequentemente, na produção do grão. O arroz tem um peso relativamente alto no agronegócio do Rio Grande do Sul, que é o principal produtor nacional.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prejudicado pelo agronegócio, PIB do RS recua 4,3% no 1º trimestre de 2016


14/06/2016 | 13:22


O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul teve retração de 4,3% no primeiro trimestre de 2016, em relação ao mesmo período de 2015. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 14, pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) do Estado, que se concentra na análise interanual. O principal responsável pela queda foi o agronegócio, que em trimestres anteriores vinha contribuindo positivamente com a economia gaúcha.

De acordo com a FEE, o desempenho da agropecuária do RS recuou 8,1% entre janeiro e março de 2016. O tombo foi maior do que o registrado no Brasil - no primeiro trimestre o agronegócio brasileiro teve baixa de 3,7% ante igual intervalo do ano anterior.

Já a indústria no Rio Grande do Sul caiu 6,3%, enquanto no Brasil a redução foi de 7,3%, também na comparação anual. O setor de serviços, por sua vez, recuou 2,5%, menos do que o recuo nacional, que ficou em 3,7%. Com isso, apesar da influência negativa do agronegócio, a economia gaúcha se saiu melhor do que a brasileira neste primeiro trimestre, já que a retração do PIB do RS, de 4,3%, é menor do que a verificada no Brasil no mesmo período, de 5,4%.

A FEE lembrou que, entre janeiro e março, o desempenho da agropecuária no Rio Grande do Sul foi comprometido pelas condições climáticas. O excesso de chuvas prejudicou a cultura do arroz tanto no plantio como na colheita. Desta forma, houve redução na área plantada, na produtividade e, consequentemente, na produção do grão. O arroz tem um peso relativamente alto no agronegócio do Rio Grande do Sul, que é o principal produtor nacional.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;