Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Santa Casa de Mauá completa 50 anos

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Para comemorar jubileu de ouro, unidade de Saúde investe R$ 10 milhões na reforma e ampliação de sua estrutura; meta é concluir trabalhos até 2019


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

12/06/2016 | 07:00


O Hospital Imaculada Conceição, mantido pela Santa Casa de Mauá, completa hoje 50 anos de atuação. Para comemorar o jubileu de ouro, a entidade beneficente realiza obras de ampliação estimadas em R$ 10 milhões com verba própria. A primeira fase das melhorias já teve início e prevê a reforma do pronto-atendimento da unidade, instalada na Avenida Dom José Gaspar, na Vila Assis Brasil, até outubro. A expectativa é expandir o número de atendimentos dos atuais 20 mil pacientes por mês para 50 mil.

O superintendente da Santa Casa de Mauá, Harry Horst Walendy, explica que o projeto ambicioso integra o plano diretor da entidade. Ainda na primeira etapa de expansão está prevista a construção de dez apartamentos de internação, somando 20 no total. O custo desta fase está previsto em R$ 1,5 milhão. “Nossa principal dificuldade é trocar o pneu com o carro andando, adaptar os atendimentos durante as obras”, destaca.

A segunda etapa da ampliação ainda está sendo definida. Conforme Walendy, caso haja acordo com o governo do Estado para liberação de verba, será realizada construção de anexo com dez andares, sendo três deles destinados a estacionamento. “Estamos em negociação com o Estado para criar de 60 a 80 leitos de retaguarda para o SUS <CF51>(Sistema Único de Saúde), área para treinamento dos funcionários, reunião, além de centro de especialidades”, observa.

A outra fase prevê construção de segundo pavimento para abrigar centro cirúrgico e salas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Hoje, a unidade conta com 110 leitos, sendo dez deles de UTI e outros dez de UTI neonatal. “A meta é estar com estrutura completa daqui três anos. Hoje temos 6.000 m² de área construída e vamos passar a ter 15.000 m²”, revela Walendy.

Atualmente, 60% dos atendimentos realizados na Santa Casa é oriundo do SUS (mediante encaminhamento pela Secretaria de Saúde de Mauá). No entanto, a unidade também recebe pacientes em regime particular, atende convênios e conta com plano de Saúde próprio, com 26 mil vidas. “Sempre fomos referencial porque nunca deixamos de atender o SUS, apesar de todas as dificuldades. Para se ter ideia, apenas 8% do faturamento da entidade é resultante dos atendimentos financiados pela rede pública. Nossa receita é o que paga o prejuízo do SUS”, ressalta o superintendente.

Com as melhorias, a expectativa é que sejam ampliadas as especialidades atendidas. “Com a quarta sala cirúrgica, vamos conseguir realizar todos os tipos de intervenções cardíacas. Hoje, já somos hospital receptor de órgãos. Com a reforma, quem sabe a gente não seja credenciado também para fazer transplantes”, projeta Walendy.

A instituição médica atende consultas ambulatoriais nas especialidades de ginecologia, hematologia, oftalmologia, vascular, cirurgia plástica, otorrinolaringologia, neurologia, psiquiatria, urologia, ortopedia, gastroenterologia, proctologia, dermatologia e cardiologia, entre outras. São 500 funcionários, sendo 110 médicos.


Unidade realizou 194 mil partos e 2,7 milhões de consultas médicas

Em 50 anos de história, o Hospital Imaculada Conceição da Santa Casa de Mauá já realizou 194 mil partos, sendo 50% deles de moradores de Mauá, 240 mil internações e 2,7 milhões de consultas nas diversas especialidades que atende.
“Tem uma curiosidade. No fim da década de 1990, quando a Pro Matre de Santo André fechou, a cidade ainda não contava com o Hospital da Mulher (fundado em 2008). A Santa Casa de Mauá recebeu, durante uns cinco anos, todos os partos da cidade vizinha”, comenta o superintendente da entidade Harry Horst Walendy.

A Santa Casa de Mauá surgiu através de sonho de 38 amigos: oferecer para a população atendimento médico de qualidade. Liderado por Elio Bernardi (prefeito de Mauá entre 1959 e 1963 e de 1967 a 1970), o grupo angariou fundos com objetivo de comprar terreno para a construção do hospital e foi atrás de doações de materiais e equipamentos médicos-hospitalares. “Eu costumo brincar que, se hoje eu convidasse 37 amigos, não conseguiria fundar um hospital. Tudo está mais difícil. Existe burocracia, custo alto”, destaca.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santa Casa de Mauá completa 50 anos

Para comemorar jubileu de ouro, unidade de Saúde investe R$ 10 milhões na reforma e ampliação de sua estrutura; meta é concluir trabalhos até 2019

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

12/06/2016 | 07:00


O Hospital Imaculada Conceição, mantido pela Santa Casa de Mauá, completa hoje 50 anos de atuação. Para comemorar o jubileu de ouro, a entidade beneficente realiza obras de ampliação estimadas em R$ 10 milhões com verba própria. A primeira fase das melhorias já teve início e prevê a reforma do pronto-atendimento da unidade, instalada na Avenida Dom José Gaspar, na Vila Assis Brasil, até outubro. A expectativa é expandir o número de atendimentos dos atuais 20 mil pacientes por mês para 50 mil.

O superintendente da Santa Casa de Mauá, Harry Horst Walendy, explica que o projeto ambicioso integra o plano diretor da entidade. Ainda na primeira etapa de expansão está prevista a construção de dez apartamentos de internação, somando 20 no total. O custo desta fase está previsto em R$ 1,5 milhão. “Nossa principal dificuldade é trocar o pneu com o carro andando, adaptar os atendimentos durante as obras”, destaca.

A segunda etapa da ampliação ainda está sendo definida. Conforme Walendy, caso haja acordo com o governo do Estado para liberação de verba, será realizada construção de anexo com dez andares, sendo três deles destinados a estacionamento. “Estamos em negociação com o Estado para criar de 60 a 80 leitos de retaguarda para o SUS <CF51>(Sistema Único de Saúde), área para treinamento dos funcionários, reunião, além de centro de especialidades”, observa.

A outra fase prevê construção de segundo pavimento para abrigar centro cirúrgico e salas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Hoje, a unidade conta com 110 leitos, sendo dez deles de UTI e outros dez de UTI neonatal. “A meta é estar com estrutura completa daqui três anos. Hoje temos 6.000 m² de área construída e vamos passar a ter 15.000 m²”, revela Walendy.

Atualmente, 60% dos atendimentos realizados na Santa Casa é oriundo do SUS (mediante encaminhamento pela Secretaria de Saúde de Mauá). No entanto, a unidade também recebe pacientes em regime particular, atende convênios e conta com plano de Saúde próprio, com 26 mil vidas. “Sempre fomos referencial porque nunca deixamos de atender o SUS, apesar de todas as dificuldades. Para se ter ideia, apenas 8% do faturamento da entidade é resultante dos atendimentos financiados pela rede pública. Nossa receita é o que paga o prejuízo do SUS”, ressalta o superintendente.

Com as melhorias, a expectativa é que sejam ampliadas as especialidades atendidas. “Com a quarta sala cirúrgica, vamos conseguir realizar todos os tipos de intervenções cardíacas. Hoje, já somos hospital receptor de órgãos. Com a reforma, quem sabe a gente não seja credenciado também para fazer transplantes”, projeta Walendy.

A instituição médica atende consultas ambulatoriais nas especialidades de ginecologia, hematologia, oftalmologia, vascular, cirurgia plástica, otorrinolaringologia, neurologia, psiquiatria, urologia, ortopedia, gastroenterologia, proctologia, dermatologia e cardiologia, entre outras. São 500 funcionários, sendo 110 médicos.


Unidade realizou 194 mil partos e 2,7 milhões de consultas médicas

Em 50 anos de história, o Hospital Imaculada Conceição da Santa Casa de Mauá já realizou 194 mil partos, sendo 50% deles de moradores de Mauá, 240 mil internações e 2,7 milhões de consultas nas diversas especialidades que atende.
“Tem uma curiosidade. No fim da década de 1990, quando a Pro Matre de Santo André fechou, a cidade ainda não contava com o Hospital da Mulher (fundado em 2008). A Santa Casa de Mauá recebeu, durante uns cinco anos, todos os partos da cidade vizinha”, comenta o superintendente da entidade Harry Horst Walendy.

A Santa Casa de Mauá surgiu através de sonho de 38 amigos: oferecer para a população atendimento médico de qualidade. Liderado por Elio Bernardi (prefeito de Mauá entre 1959 e 1963 e de 1967 a 1970), o grupo angariou fundos com objetivo de comprar terreno para a construção do hospital e foi atrás de doações de materiais e equipamentos médicos-hospitalares. “Eu costumo brincar que, se hoje eu convidasse 37 amigos, não conseguiria fundar um hospital. Tudo está mais difícil. Existe burocracia, custo alto”, destaca.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;