Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Creche que deveria estar funcionando em 2013 está abandonada

Vanessa de Oliveira Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Creche deveria
estar funcionando
desde 2013


Vanessa Oliveira
Do Diário do Grande ABC

04/06/2016 | 07:00


Do esqueleto de concreto localizado na Rua Bolchevik, na Vila Conceição, em Diadema, deveria ecoar som de máquinas e ferramentas, ou ainda melhor, de crianças, já que lá era para estar funcionando a creche Irmã Dulce 2, cuja obra foi iniciada em outubro de 2012 e tinha prazo de 12 meses para conclusão. Porém, com o abandono do local, apenas o silêncio impera.

A situação deve permanecer dessa forma por longo tempo, uma vez que a Prefeitura publicou, no Diário Oficial do Estado, a “rescisão amigável” do contrato com a empresa Ematec Engenharia e Sistemas de Manutenção Ltda, que executava o trabalho. O valor da obra, que conta com recursos federais, está estimado em R$ 2,1 milhões, conforme consta da placa da obra, única coisa intacta que há no lugar.

Em contrapartida, a cidade amarga fila de espera de aproximadamente 4.000 crianças com idade entre zero e 3 anos.

No interior do terreno, lixo, entulho, água parada, materiais de construção degradados e estrutura comprometida são o que se encontra. “É a creche do mosquito da dengue”, disse, indignada, a moradora Rosa Leite Santos, 56 anos. Munícipes dizem que a última vez que viram movimentação de trabalhadores foi em novembro do ano passado. Com o local abandonado e entrada livre, dona Rosa conta que, recentemente, muitas pessoas invadiram a área, levando madeiras e outros materiais para construírem barracos em outros bairros da cidade.

A dona de casa Sidnéia Aparecida da Silva Rocha, 30, viu o filho Gabriel, 4, sair da faixa etária em que poderia ser atendido em creche e o equipamento não ser entregue. “Tive de colocá-lo em outra escola, que ficava a meia hora de caminhada de casa. Quando chovia, eu nem o levava”, falou.

O jovem Elias Santos da Costa, 23, que está desempregado, é pai de um bebê de 10 meses. Com a mulher trabalhando, por ora ele consegue ficar com o filho, mas quando conseguir emprego, terá de pedir ajuda. “O pior é que não temos dinheiro para pagar pessoa que possa cuidar e de graça ninguém fica. É muito difícil encontrar vaga em creche e ter essa ao lado de casa seria ótimo. É uma pouca-vergonha essa obra estar atrasada tanto tempo assim”, lamentou. “Não dão um pingo de satisfação para a comunidade”, emendou a vizinha Sileia Chaves André, 43.

Nas proximidades de onde o equipamento deveria funcionar, muitas moradoras estão grávidas. O Diário conversou com quatro, entre elas Débora Vitoria Nascimento Santana, 15. O bebê, Miguel, está previsto para chegar na próxima semana. “Espero que todas as mães possam ter a garantia de um lugar para deixarem seus filhos e poder trabalhar tranquilas.”

Procurada para comentar a situação, a Prefeitura de Diadema não retornou até o fechamento desta edição.

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;