Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Fãs rodam Estado atrás do Ramalhão

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

05/05/2016 | 07:00


Ainda não foi possível mensurar até onde vai a paixão de um torcedor pelo seu time do coração, mas a de três fãs do Santo André é possível medir em distância. Lucas Antônio e os irmãos José e Bruno Acencio foram os únicos que conseguiram acompanhar os 23 jogos do Ramalhão na Série A-2 até ver consumado o acesso para a Primeira Divisão, sábado, em Barretos, e rodaram, ida e volta, incríveis 4.380 quilômetros, equivalentes, por exemplo, à viagem aos extremos do Brasil: Monte Caburaí, em Roraima, e Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul.

José, 28 anos, e Bruno, 26, acompanham o Santo André desde 1997 e percorreram quase toda a maratona de carro, apenas em dois jogos – Bragantino e Barretos – foram na caravana com os outros torcedores. Já Lucas, 15, fez justamente o contrário: usou o ônibus, mas em dois jogos – Batatais e Rio Claro – pegou carona com os irmãos para não perder os duelos.

A dedicação ao clube faz com que os torcedores, muitas vezes, deixem para trás família e amigos, mas eles não se arrependem. Pelo contrário, se orgulham, por exemplo, de serem três dos sete que estiveram em Batatais, na quarta rodada, em uma das viagens mais longas da temporada (371 quilômetros). “Eramos sete torcedores, sendo que dois moravam naquela região. Contra o Velo Clube, quando muitos já tinham desacreditado, mantivemos a fé na classificação e fomos ao jogo”, ressaltou José, lembrando de outro confronto com poucos andreenses nas arquibancadas, cerca de 20, na penúltima rodada da primeira fase, em Rio Claro.

O fanatismo, porém, tem custo. A pedido do Diário o trio fez levantamento e concluiu que gastou R$ 2.140 em pedágios e combustível, além de R$ 360 (cada) em ingressos, contando os 23 jogos. No total, investiram R$ 3.220 para seguir todos os passos do Santo André.

Esta não é a primeira vez que os irmãos Bruno e José, que são empresários, fazem isso. “Tenho caixa com quase todos os ingressos dos jogos que fomos, mas não parei para contar. De 2007 para frente fomos praticamente em todos, dentro e fora do Estado”, explicou Bruno.

Já Lucas, até pela idade, é considerado torcedor da nova geração. Ele foi apresentado ao Santo André e ao Bruno Daniel pelo pai, em 2014, depois passou a integrar o quadro associativo da Fúria Andreense, uma das uniformizadas do clube. “Vinha com meu pai desde 2014 e depois entrei para a torcida organizada e não perdi praticamente nenhuma partida”, comemorou o torcedor.

E o trio não para por aí. Eles já garantiram presença na final, sábado, em Mirassol, que vai acrescentar mais 948 quilômetros, ida e volta, à conta.  

Toninho Cecílio vai mudar as laterais para jogar decisão

Passada a euforia pela conquista do acesso para a elite do Campeonato Paulista, o Santo André trabalha com foco no confronto diante do Mirassol, sábado, às 19h30, no Interior, que vai definir o campeão da Série A-2 e, consequentemente, qual clube irá disputar a Copa do Brasil de 2017.

O técnico Toninho Cecílio já sabe que não poderá contar com o lateral-esquerdo Paulo, que foi expulso diante do Barretos. Ele deve ser substituído por Pedro Henrique, que era o antigo titular da posição.

No outro lado, na lateral direita, Apodi, que ficou de fora do jogo que garantiu o acesso por conta de suspensão automática, está de volta no lugar do volante Dudu Vieira, que jogou improvisado na posição.

A dúvida fica para o meio de campo. Tiago Ulisses, Agenor, Dudu Vieira e Diogo Orlando brigam por três vagas.

Primeiro dia tem troca de 130 ingressos por garrafas PETs

No primeiro dia da promoção Futebol Sustentável, iniciativa da Federação Paulista que troca duas garrafas PETs por um ingresso para a final da Série A-2, entre Santo André e Mirassol, no Interior, foram cedidos 130 bilhetes da carga total de 2.000 disponibilizada para os torcedores andreenses.

As trocas estão sendo realizadas das 9h às 17h na bilheteria do Estádio Bruno Daniel e na sede social do clube, no Jaçatuba.

Para os torcedores do Mirassol, que serão os mandantes do jogo único, foram disponibilizados 8.000 ingressos e ontem, no primeiro dia, já foram trocados 6.000.

TELÃO
Quem não puder encarar os 474 quilômetros que separam a região e Mirassol vai poder assistir à final da Série A-2 gratuitamente no Paço. A transmissão vai começar às 18h.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fãs rodam Estado atrás do Ramalhão

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

05/05/2016 | 07:00


Ainda não foi possível mensurar até onde vai a paixão de um torcedor pelo seu time do coração, mas a de três fãs do Santo André é possível medir em distância. Lucas Antônio e os irmãos José e Bruno Acencio foram os únicos que conseguiram acompanhar os 23 jogos do Ramalhão na Série A-2 até ver consumado o acesso para a Primeira Divisão, sábado, em Barretos, e rodaram, ida e volta, incríveis 4.380 quilômetros, equivalentes, por exemplo, à viagem aos extremos do Brasil: Monte Caburaí, em Roraima, e Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul.

José, 28 anos, e Bruno, 26, acompanham o Santo André desde 1997 e percorreram quase toda a maratona de carro, apenas em dois jogos – Bragantino e Barretos – foram na caravana com os outros torcedores. Já Lucas, 15, fez justamente o contrário: usou o ônibus, mas em dois jogos – Batatais e Rio Claro – pegou carona com os irmãos para não perder os duelos.

A dedicação ao clube faz com que os torcedores, muitas vezes, deixem para trás família e amigos, mas eles não se arrependem. Pelo contrário, se orgulham, por exemplo, de serem três dos sete que estiveram em Batatais, na quarta rodada, em uma das viagens mais longas da temporada (371 quilômetros). “Eramos sete torcedores, sendo que dois moravam naquela região. Contra o Velo Clube, quando muitos já tinham desacreditado, mantivemos a fé na classificação e fomos ao jogo”, ressaltou José, lembrando de outro confronto com poucos andreenses nas arquibancadas, cerca de 20, na penúltima rodada da primeira fase, em Rio Claro.

O fanatismo, porém, tem custo. A pedido do Diário o trio fez levantamento e concluiu que gastou R$ 2.140 em pedágios e combustível, além de R$ 360 (cada) em ingressos, contando os 23 jogos. No total, investiram R$ 3.220 para seguir todos os passos do Santo André.

Esta não é a primeira vez que os irmãos Bruno e José, que são empresários, fazem isso. “Tenho caixa com quase todos os ingressos dos jogos que fomos, mas não parei para contar. De 2007 para frente fomos praticamente em todos, dentro e fora do Estado”, explicou Bruno.

Já Lucas, até pela idade, é considerado torcedor da nova geração. Ele foi apresentado ao Santo André e ao Bruno Daniel pelo pai, em 2014, depois passou a integrar o quadro associativo da Fúria Andreense, uma das uniformizadas do clube. “Vinha com meu pai desde 2014 e depois entrei para a torcida organizada e não perdi praticamente nenhuma partida”, comemorou o torcedor.

E o trio não para por aí. Eles já garantiram presença na final, sábado, em Mirassol, que vai acrescentar mais 948 quilômetros, ida e volta, à conta.  

Toninho Cecílio vai mudar as laterais para jogar decisão

Passada a euforia pela conquista do acesso para a elite do Campeonato Paulista, o Santo André trabalha com foco no confronto diante do Mirassol, sábado, às 19h30, no Interior, que vai definir o campeão da Série A-2 e, consequentemente, qual clube irá disputar a Copa do Brasil de 2017.

O técnico Toninho Cecílio já sabe que não poderá contar com o lateral-esquerdo Paulo, que foi expulso diante do Barretos. Ele deve ser substituído por Pedro Henrique, que era o antigo titular da posição.

No outro lado, na lateral direita, Apodi, que ficou de fora do jogo que garantiu o acesso por conta de suspensão automática, está de volta no lugar do volante Dudu Vieira, que jogou improvisado na posição.

A dúvida fica para o meio de campo. Tiago Ulisses, Agenor, Dudu Vieira e Diogo Orlando brigam por três vagas.

Primeiro dia tem troca de 130 ingressos por garrafas PETs

No primeiro dia da promoção Futebol Sustentável, iniciativa da Federação Paulista que troca duas garrafas PETs por um ingresso para a final da Série A-2, entre Santo André e Mirassol, no Interior, foram cedidos 130 bilhetes da carga total de 2.000 disponibilizada para os torcedores andreenses.

As trocas estão sendo realizadas das 9h às 17h na bilheteria do Estádio Bruno Daniel e na sede social do clube, no Jaçatuba.

Para os torcedores do Mirassol, que serão os mandantes do jogo único, foram disponibilizados 8.000 ingressos e ontem, no primeiro dia, já foram trocados 6.000.

TELÃO
Quem não puder encarar os 474 quilômetros que separam a região e Mirassol vai poder assistir à final da Série A-2 gratuitamente no Paço. A transmissão vai começar às 18h.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;