Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Fontes afirmam existência de novo serviço de inteligência dos EUA


Da AFP

25/01/2005 | 07:31


Um dia após o governo dos Estados Unidos negar a informação, fontes do Pentágono admitiram a existência de uma nova unidade secreta de inteligência no exterior desde 2003 sob a autoridade do secretário da Defesa Donald Rumsfeld.

As missões de inteligência no exterior são executadas por um grupo anteriormente desconhecido dentro do Pentágono, denominado Unidade de Apoio Estratégico, sob a autoridade da DIA (Agência de Investigação do Pentágono – sigla em inglês), disse um funcionário na segunda-feira, sob a condição de anonimato.

Segundo as fontes, as equipes, integradas por funcionários, tradutores, analistas e investigadores, trabalham em coordenação com os membros das forças especiais em missões específicas com o objetivo de melhorar a capacidade de "investigação humana", como as que provocaram falhas dos Estados Unidos na preparação da guerra no Iraque.

"A intenção desta ajuda é fornecer mais informação de inteligência em tempo real para as operações militares em campo, como Afeganistão e Iraque. A captura de Saddam Hussein precisou de muita espionagem refinada", afirmou o mesmo funcionário.

O Pentágono havia desmentido na segunda-feira as especulações da imprensa a respeito da criação de uma nova agência de espionagem sob o controle direto do secretário de Defesa. "Não há nenhuma unidade que responda diretamente ao secretário de Defesa para operações clandestinas, como a descrita na reportagem do Washington Post de 23 de janeiro de 2005", afirmou o porta-voz do Pentágono, Larry DiRita.

O Washington Post relatou no domingo que o Pentágono havia criado uma unidade de espionagem encarregada de obter informações de inteligência no exterior, sob o controle direto de Rumsfeld. Segundo o jornal, que citou documentos e entrevistas com participantes, a agência se chamaria Departamento de Apoio Estratégico e teria atuado secretamente durante dois anos no Iraque e no Afeganistão, além de outros locais que as fontes do jornal não revelaram.

Também de acordo com o Post, a nova agência secreta de espionagem teria sido planejada para fornecer a Rumsfeld ferramentas para as chamadas tarefas de inteligência humana, como interrogatório de prisioneiros e recrutamento de espiões estrangeiros.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;