Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Pista molhada exige cautela duplicada


Clarice Brandao
Da Redaçao

02/11/1999 | 15:31


Quando começa a chover, a reaçao imediata da maioria dos motoristas é diminuir a velocidade e guardar uma distância maior dos carros da frente. Infelizmente, alguns motoristas imprudentes infringem esses requisitos mínimos de segurança, que chegam a ser até instintivos. A falta de cuidado acaba colocando todos - pedestres, motoristas e passageiros - em situaçoes de perigo.

"Com o asfalto sujo de resíduo de pneu, óleo e terra, a chuva forma uma lama, que dificulta a frenagem. E algumas pessoas insistem em acelerar. Essa situaçao de caos facilita a ocorrência de acidentes", explica Edson Galvao, gerente de treinamento da CFAPP (Centro de Formaçao Profissional e Segurança Pires), que ministra cursos de direçao defensiva.

Para se ter um mínimo de segurança nessas situaçoes é necessário guardar uma distância do carro da frente, de pelo menos seis segundos, e manter uma velocidade cerca de 30% abaixo da permitida na via. "É necessário ainda levar em conta o efeito psicológico nos outros motoristas. Muitas pessoas ficam desconcertadas ao dirigir na chuva", ressalta Galvao.

Se dirigir na chuva já exige atençao redobrada, ainda é necessário mais cuidado durante a noite. Na tentativa de aumentar a visibilidade, muitas pessoas acabam utilizando o farol alto. Nada mais errado, de acordo com Galvao. Ao acender os faróis diretamente para as gotas sobre o pára-brisa acaba ocorrendo a reflexao dessa luz, o que "cega" o motorista. "Da mesma forma que nos momentos de neblina na estrada, à noite com chuva deve ser utilizado apenas o farol baixo, o que chamamos de iluminaçao horizontal."

Um dos maiores inimigos do motorista também pode aparecer durante uma chuva forte: a aquaplanagem. Forma-se um lençol de água, que causa a perda da aderência dos pneus com o asfalto. Nesse momento o motorista perde o controle do carro, nao tendo mais resposta do volante. "Isso acontece quando o motorista precisa parar de repente e está com velocidade excessiva ou pneu careca", explica Galvao.

Ele recomenda que, em caso de aquaplanagem, é importante nao deixar as rodas travarem. Ao perceber que o carro está nessa situaçao, é preciso tirar um pouco o pé do freio para que, ao encostar no chao, o pneu retome o seu giro e volte a dar condiçao de dirigibilidade ao motorista. "O recurso do ABS evita o travamento. Mas, se o motorista nao o possuir, também deve evitar o travamento controlando o freio", recomenda Galvao.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pista molhada exige cautela duplicada

Clarice Brandao
Da Redaçao

02/11/1999 | 15:31


Quando começa a chover, a reaçao imediata da maioria dos motoristas é diminuir a velocidade e guardar uma distância maior dos carros da frente. Infelizmente, alguns motoristas imprudentes infringem esses requisitos mínimos de segurança, que chegam a ser até instintivos. A falta de cuidado acaba colocando todos - pedestres, motoristas e passageiros - em situaçoes de perigo.

"Com o asfalto sujo de resíduo de pneu, óleo e terra, a chuva forma uma lama, que dificulta a frenagem. E algumas pessoas insistem em acelerar. Essa situaçao de caos facilita a ocorrência de acidentes", explica Edson Galvao, gerente de treinamento da CFAPP (Centro de Formaçao Profissional e Segurança Pires), que ministra cursos de direçao defensiva.

Para se ter um mínimo de segurança nessas situaçoes é necessário guardar uma distância do carro da frente, de pelo menos seis segundos, e manter uma velocidade cerca de 30% abaixo da permitida na via. "É necessário ainda levar em conta o efeito psicológico nos outros motoristas. Muitas pessoas ficam desconcertadas ao dirigir na chuva", ressalta Galvao.

Se dirigir na chuva já exige atençao redobrada, ainda é necessário mais cuidado durante a noite. Na tentativa de aumentar a visibilidade, muitas pessoas acabam utilizando o farol alto. Nada mais errado, de acordo com Galvao. Ao acender os faróis diretamente para as gotas sobre o pára-brisa acaba ocorrendo a reflexao dessa luz, o que "cega" o motorista. "Da mesma forma que nos momentos de neblina na estrada, à noite com chuva deve ser utilizado apenas o farol baixo, o que chamamos de iluminaçao horizontal."

Um dos maiores inimigos do motorista também pode aparecer durante uma chuva forte: a aquaplanagem. Forma-se um lençol de água, que causa a perda da aderência dos pneus com o asfalto. Nesse momento o motorista perde o controle do carro, nao tendo mais resposta do volante. "Isso acontece quando o motorista precisa parar de repente e está com velocidade excessiva ou pneu careca", explica Galvao.

Ele recomenda que, em caso de aquaplanagem, é importante nao deixar as rodas travarem. Ao perceber que o carro está nessa situaçao, é preciso tirar um pouco o pé do freio para que, ao encostar no chao, o pneu retome o seu giro e volte a dar condiçao de dirigibilidade ao motorista. "O recurso do ABS evita o travamento. Mas, se o motorista nao o possuir, também deve evitar o travamento controlando o freio", recomenda Galvao.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;