Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Mangá autobiográfico traz drama na Segunda Guerra


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

28/06/2011 | 07:03


O lado humano dos horrores vividos pela população japonesa no fim da Segunda Guerra Mundial é a trama que envolve a saga 'Gen - Pés Descalços'. Um dos grandes clássicos do mangá mundial, a obra de Keiji Nakazawa ganha relançamento com 'Vol.1 - O Nascimento de Gen, o Trigo Verde' (Conrad, 280 páginas, R$ 24,90). Mais nove capítulos chegarão às livrarias.

O título causa reflexão dos leitores ao acompanhar o drama pessoal vivido por Gen, garoto que mora na cidade de Hiroshima com sua família. Complicações trazidas por todas as atenções do Japão estarem voltadas para o conflito fazem com que grande parte das pessoas sofra com a falta de comida. Ao lado do irmão Shinji, o menino vive a reclamar da fome constante enquanto os pais tentam controlar o quanto podem a situação.

A vida de Gen se torna ainda mais complicada quando seu pai revela à comunidade local seu descontentamento com a participação do país na guerra. A postura faz com que todos seus vizinhos rotulem a família como antipatriota, dando início a uma série de episódios preconceituosos e de abuso com todos os integrante do clã Nakaoka. Acusações de roubos se tornam frequentes e até mesmo a mãe grávida acaba sendo vítima de agressão física.

O fio de esperança de poder comer uma tigela repleta de arroz ou talvez um belo peixe assado é o que move o personagem principal. Sempre aconselhado a ser forte até que o Japão ganhe a Grande Guerra, ele se envolve em meio a certas desventuras que poderiam existir somente em períodos de conflitos armados. Em paralelo, os irmãos que já não estão morando com a família também se deparam com histórias fortes e comoventes.

Lançado originalmente entre 1972 e 1973, 'Gen - Pés Descalços' marcou época por ser considerada a primeira publicação que retratava da maneira mais real possível como era a vida dos japoneses de Hiroshima pouco antes e depois de sua destruição pela bomba atômica em 6 de agosto de 1945.

Se alguns leitores se interessam pelos históricos acontecimentos da época, também podem se emocionar com o relato autobiográfico. Enquanto heróis de guerra foram condecorados, famílias inocentes tiveram as vidas destruídas e eternamente marcadas.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;