Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Protestos marcam 1º de maio em Bangladesh



01/05/2013 | 06:07


Milhares de trabalhadores marcharam pelo centro de Daca nesta quarta-feira, 1º de maio, para exigir mais segurança no trabalho. Os manifestantes também pediam pena de morte para o dono do edifício que desabou na semana passada, matando mais de 400 pessoas.

A manifestação foi conduzida por trabalhadores a pé, caminhonetes e motocicletas pelo centro de Daca. Enquanto andavam, os participantes da marcha acenavam a bandeira nacional e cartazes, tocavam tambores e gritavam "ação direta!" e "pena de morte!".

Com um alto-falante na parte traseira de um caminhão, um dos manifestantes disse para o grupo: "Meu irmão morreu. Minha irmã morreu. O sangue deles não será desperdiçado".

Os protestos do Primeiro de Maio, tradicionalmente uma oportunidade para os trabalhadores da nação do sul da Ásia compartilharem suas mágoas, assumiram um grande importância após o desastre de 24 de abril. Nesta data, um edifício de oito andares desabou no subúrbio de Daca, apenas cinco meses depois de um incêndio matar 112 pessoas em outra fábrica de roupas do país. As informações são da Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Protestos marcam 1º de maio em Bangladesh


01/05/2013 | 06:07


Milhares de trabalhadores marcharam pelo centro de Daca nesta quarta-feira, 1º de maio, para exigir mais segurança no trabalho. Os manifestantes também pediam pena de morte para o dono do edifício que desabou na semana passada, matando mais de 400 pessoas.

A manifestação foi conduzida por trabalhadores a pé, caminhonetes e motocicletas pelo centro de Daca. Enquanto andavam, os participantes da marcha acenavam a bandeira nacional e cartazes, tocavam tambores e gritavam "ação direta!" e "pena de morte!".

Com um alto-falante na parte traseira de um caminhão, um dos manifestantes disse para o grupo: "Meu irmão morreu. Minha irmã morreu. O sangue deles não será desperdiçado".

Os protestos do Primeiro de Maio, tradicionalmente uma oportunidade para os trabalhadores da nação do sul da Ásia compartilharem suas mágoas, assumiram um grande importância após o desastre de 24 de abril. Nesta data, um edifício de oito andares desabou no subúrbio de Daca, apenas cinco meses depois de um incêndio matar 112 pessoas em outra fábrica de roupas do país. As informações são da Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;