Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Brasil 'ganha' cinco bicampeões olímpicos em Atenas


Alexandre Costa
Do Diário OnLine

29/08/2004 | 10:31


Maurício comemora bicampeonato olímpico O Brasil nunca foi uma potência em Jogos Olímpicos, mas o desempenho da delegação em Atenas fez subir de forma espetacular o número de bicampeões do país. Até esta edição das Olimpíadas, o único brasileiro com a honra de ter duas medalhas de ouro era Adhemar Ferreira da Silva, campeão no salto triplo em Helsinque-1952 e Melbourne-1956. Agora, temas mais cinco: Robert Scheidt, Torben Grael e Marcelo Ferreira, da vela, e os jogadores de vôlei Giovane e Maurício.

O primeiro ouro do velejador Robert Scheidt na classe Laser foi conquistado em Atlanta-1996. Ele não conseguiu repetir o desempenho em Sydney-2000, onde ficou com a prata, mas chegou com grande favoritismo na Grécia e não decepcionou.

A dupla Torben Grael e Marcelo Ferreira, da classe Star, também chegou a Atenas com a expectativa de levar o ouro. Torben ainda teve a motivação extra de ser o porta-bandeiras do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos. A superioridade dos brasileiros na competição foi tão grande que eles precisaram de apenas dez das 11 regatas para ficar com o título.

O feito de Torben foi ainda maior que o dos outros atletas do Brasil. Ele se tornou o maior campeão olímpico de nossa história, com dois ouros (o primeiro veio em Atlanta-1996, assim como para Scheidt), uma prata (Los Angeles-1984) e dois bronzes (Seul-1988 e Sydney-2000). Marcelo ganhou, além dos ouros, um bronze em Sydney em parceria com Torben.

Vôlei- Os dois bicampeões do vôlei não foram titulares em Atenas, mas contribuíram com a equipe do treinador Bernardinho quando chamados. A experiência do levantador Maurício, 36 anos, e do ponto Giovane, 34, foi outro fator importante para o grupo campeão nas quadras da Grécia.

Giovane e Maurício foram destaques na geração de ouro do vôlei brasileiro, que surpreendeu o mundo nos Jogos de Barcelona-1992 ao chegar na competição como figurante e sair dela como heróis. Os jovens comandados por José Roberto Guimarães trouxeram o primeiro ouro olímpico de um esporte coletivo do Brasil — o segundo veio apenas agora em Atenas, novamente com o vôlei masculino.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;