Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Matrículas entre cursos de Tecnologia têm alta de 26,45%

Procura elevada se deve pelo tempo menor para formação e custo mais baixo


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

15/12/2015 | 07:00


O número de matrículas em cursos de Tecnologia teve alta de 26,45% entre 2009 e 2013. A quantidade de alunos neste tipo de graduação passou de 518 milhões para 655 milhões no período, conforme o Mapa do Ensino Superior 2015, realizado pelo Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior).

Os cursos tecnológicos presenciais de Gestão de Pessoal/Recursos Humanos e de Gestão e Logística se destacaram entre os mais procurados no período de 2012 a 2013. Foram 95,7 mil e 53,6 mil matrículas, respectivamente. Também estão entre as mais requisitadas as graduações de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (41,2 milhões de matrículas), Empreendedorismo (37,8 milhões) e Marketing e Propaganda (28,9 milhões).

Conforme explica o coordenador acadêmico do Centro Universitário Anhanguera de Santo André Ricardo de Souza Gouveia, a procura tem sido maior pelos cursos da área de Tecnologia devido a dois fatores: tempo menor para a formação dos candidatos e valor dos cursos mais baixo que o da graduação convencional. “Geralmente o aluno consegue resolver em dois anos sua faculdade e acaba tendo mais economia que no bacharelado”, diz. Esses cursos custam, em média, um terço das carreiras tradicionais.

Entre as sete cidades, a procura maior dos alunos se dá pelas áreas de Gestão e também pelos cursos voltados à formação fabril. “Formações como Mecatrônica e Gestão da Qualidade estão entre as mais atraentes. Embora estejamos em crise, o mercado tem sempre opção”, considera Gouveia.

Por ser mais segmentada, a formação em tecnologia exige certeza de que o aluno está fazendo algo que gosta. “É diferente do bacharelado, que tem uma formação conteudista e permite área de atuação mais ampla. Por isso, a gente indica que o estudante conheça muito bem o segmento escolhido para não se arrepender”, destaca o coordenador.

Outra recomendação de Gouveia é para que o aluno não pare no tempo. “Os cursos de tecnologia exigem contrapartida grande. Tem de ter determinação, dedicação e buscar mais informações fora dos muros da faculdade. O que determina se um candidato fica ou não com a vaga em um processo seletivo é o seu grau de esforço.”

Municípios com menor IDHM terão prioridade em vagas do Fies

Municípios com menor IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) terão prioridade na distribuição de vagas do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). O critério está em portaria do MEC (Ministério da Educação) publicada ontem no Diário Oficial da União. O documento define que, no processo seletivo do primeiro semestre de 2016, 70% das vagas do Fies serão para os cursos das áreas de Saúde, Engenharias e de formação de professores.

Além do IDHM, para a distribuição de vagas será considerada a demanda por Educação Superior, calculada a partir do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a demanda por financiamento estudantil, calculada a partir de dados do Fies no ano de 2015, e a disponibilidade orçamentária do Fies.

Na oferta de vagas do primeiro semestre de 2016 será mantida a prioridade para as graduações com os melhores desempenhos nas avaliações do MEC.

Ministério anuncia sistema para vagas remanescentes

Diante do aumento expressivo de matrículas revelado no Censo da Educação Superior de 2014, um dado sobressaiu: há pelo menos 114 mil vagas ociosas nas instituições federais de ensino. Para tentar zerar esse número, o MEC (Ministério da Educação) anunciou a criação do SiSu (Sistema de Seleção Unificada) para as vagas remanescentes, que deve ser lançado no primeiro semestre do próximo ano.

“Queremos todas essas vagas preenchidas com um critério transparente, republicano e meritocrático de acesso. Para isso, vamos mudar o mecanismo de repasse de verba para as instituições federais. O MEC não repassará recurso por vaga, mas sim por matrícula efetivamente realizada. Com o mesmo recurso que temos hoje, podemos ter 100 mil alunos a mais nas universidades federais”, afirmou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Se todas as instituições públicas de Ensino Superior – federais, estaduais e municipais – aderirem ao sistema, o número de vagas cresce para até 150 mil, o que dará a mais de 6 milhões de estudantes a possibilidade de ingressar em uma instituição pública.

Os critérios de acesso são cinco: a nota no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o desempenho acadêmico do aluno na instituição em que ele está, a qualidade do curso de onde se quer migrar, se ele é da região onde está a instituição pretendida ou se já é graduado. Até agora, as vagas não preenchidas eram oferecidas por iniciativa das próprias instituições.

Com o novo sistema de acesso, um estudante de curso superior do Maranhão pode, por exemplo, concorrer a uma vaga de instituição federal do Rio Grande do Sul.

A intenção do ministério é eliminar as cadeiras vazias do Ensino Superior público, que hoje conta com 1,1 milhão de vagas, com praticamente nenhum custo adicional. “Dá para fazer mais com menos, dá para fazer com mais eficiência”, disse Aloizio Mercadante.

ESPM oferece cinco cursos de férias em 2016

Renovar o conhecimento, especializar-se e garantir um lugar no mercado que está tão competitivo e exige, cada vez mais, qualificação profissional são obrigatórios para quem quer evoluir na carreira. Pensando nisso, a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) de São Paulo oferece, no início de 2016, mais de 100 cursos de férias – de curta duração – sendo que cinco deles são na área de varejo.

Entre os dias 11 e 26 de janeiro, os melhores profissionais do mercado estarão na ESPM ministrando cursos sobre logística, branding, pricing, negociações estratégicas e gestão e marketing. A lista completa de opções pode ser conferida no endereço eletrônico http://www2.espm.br/cursos/extensao/cursos-de-ferias-espm-sao-paulo.

Ao fim do curso, a ESPM concede certificado a quem tiver pelo menos 75% de presença na modalidade escolhida.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 5081-8200 ou pelo e-mail relacionamentojt@espm.br.

Cruzeiro do Sul e Unicid criam portal para vestibular

Para ajudar os vestibulandos com dúvidas em relação a qual profissão escolher, a Universidade Cruzeiro do Sul e a Unicid (Universidade Cidade de São Paulo) criaram o portal Orienta, dedicado aos alunos que estão saindo do Ensino Médio e de cursinhos pré-vestibulares.

No portal, os interessados terão acesso a teste vocacional, vagas de emprego e estágio e informações sobre o mercado de trabalho de forma gratuita. Além disso, os vestibulandos poderão consultar os cursos e tipos de processos seletivos oferecidos pelas instituições de ensino.

Os conteúdos podem ser acessados nos endereço eletrônico http://orienta.cruzeirodosul.edu.br e http://orienta.unicid.edu.br.

A Cruzeiro do Sul Educacional é composta pela Universidade Cruzeiro do Sul, Universidade Cidade de São Paulo, Centro Universitário do Distrito Federal, Universidade de Franca, Centro Universitário Módulo, Faculdade Caraguá, Faculdade de São Sebastião; Colégio Cruzeiro do Sul , Colégio Alto Padrão e Colégio Objetivo São Sebastião.

Docentes podem se inscrever para capacitação na Finlândia

Está aberta a seleção para o Programa Professores para o Futuro, que enviará profissionais das instituições da rede federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica para capacitação em universidades finlandesas.

A ação resulta de parceria entre o Ministério da Educação e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). O prazo para apresentação de propostas vai até o dia 25 de janeiro.

O trabalho será executado no Brasil e deve ter como temática os ensinos profissional e tecnológico. Podem participar os professores que tenham, no mínimo, um ano de efetivo exercício nas instituições que integram a rede federal e não tenham participado de programa de capacitação no Exterior, similar ao da chamada pública, fomentado pela Setec (Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica) nos últimos três anos.

Os selecionados passarão por período de capacitação de três meses nas universidades Hamk (Häme University of Applied Sciences) e Tamk (Tampere University of Applied Sciences). 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Matrículas entre cursos de Tecnologia têm alta de 26,45%

Procura elevada se deve pelo tempo menor para formação e custo mais baixo

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

15/12/2015 | 07:00


O número de matrículas em cursos de Tecnologia teve alta de 26,45% entre 2009 e 2013. A quantidade de alunos neste tipo de graduação passou de 518 milhões para 655 milhões no período, conforme o Mapa do Ensino Superior 2015, realizado pelo Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior).

Os cursos tecnológicos presenciais de Gestão de Pessoal/Recursos Humanos e de Gestão e Logística se destacaram entre os mais procurados no período de 2012 a 2013. Foram 95,7 mil e 53,6 mil matrículas, respectivamente. Também estão entre as mais requisitadas as graduações de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (41,2 milhões de matrículas), Empreendedorismo (37,8 milhões) e Marketing e Propaganda (28,9 milhões).

Conforme explica o coordenador acadêmico do Centro Universitário Anhanguera de Santo André Ricardo de Souza Gouveia, a procura tem sido maior pelos cursos da área de Tecnologia devido a dois fatores: tempo menor para a formação dos candidatos e valor dos cursos mais baixo que o da graduação convencional. “Geralmente o aluno consegue resolver em dois anos sua faculdade e acaba tendo mais economia que no bacharelado”, diz. Esses cursos custam, em média, um terço das carreiras tradicionais.

Entre as sete cidades, a procura maior dos alunos se dá pelas áreas de Gestão e também pelos cursos voltados à formação fabril. “Formações como Mecatrônica e Gestão da Qualidade estão entre as mais atraentes. Embora estejamos em crise, o mercado tem sempre opção”, considera Gouveia.

Por ser mais segmentada, a formação em tecnologia exige certeza de que o aluno está fazendo algo que gosta. “É diferente do bacharelado, que tem uma formação conteudista e permite área de atuação mais ampla. Por isso, a gente indica que o estudante conheça muito bem o segmento escolhido para não se arrepender”, destaca o coordenador.

Outra recomendação de Gouveia é para que o aluno não pare no tempo. “Os cursos de tecnologia exigem contrapartida grande. Tem de ter determinação, dedicação e buscar mais informações fora dos muros da faculdade. O que determina se um candidato fica ou não com a vaga em um processo seletivo é o seu grau de esforço.”

Municípios com menor IDHM terão prioridade em vagas do Fies

Municípios com menor IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) terão prioridade na distribuição de vagas do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). O critério está em portaria do MEC (Ministério da Educação) publicada ontem no Diário Oficial da União. O documento define que, no processo seletivo do primeiro semestre de 2016, 70% das vagas do Fies serão para os cursos das áreas de Saúde, Engenharias e de formação de professores.

Além do IDHM, para a distribuição de vagas será considerada a demanda por Educação Superior, calculada a partir do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a demanda por financiamento estudantil, calculada a partir de dados do Fies no ano de 2015, e a disponibilidade orçamentária do Fies.

Na oferta de vagas do primeiro semestre de 2016 será mantida a prioridade para as graduações com os melhores desempenhos nas avaliações do MEC.

Ministério anuncia sistema para vagas remanescentes

Diante do aumento expressivo de matrículas revelado no Censo da Educação Superior de 2014, um dado sobressaiu: há pelo menos 114 mil vagas ociosas nas instituições federais de ensino. Para tentar zerar esse número, o MEC (Ministério da Educação) anunciou a criação do SiSu (Sistema de Seleção Unificada) para as vagas remanescentes, que deve ser lançado no primeiro semestre do próximo ano.

“Queremos todas essas vagas preenchidas com um critério transparente, republicano e meritocrático de acesso. Para isso, vamos mudar o mecanismo de repasse de verba para as instituições federais. O MEC não repassará recurso por vaga, mas sim por matrícula efetivamente realizada. Com o mesmo recurso que temos hoje, podemos ter 100 mil alunos a mais nas universidades federais”, afirmou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Se todas as instituições públicas de Ensino Superior – federais, estaduais e municipais – aderirem ao sistema, o número de vagas cresce para até 150 mil, o que dará a mais de 6 milhões de estudantes a possibilidade de ingressar em uma instituição pública.

Os critérios de acesso são cinco: a nota no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o desempenho acadêmico do aluno na instituição em que ele está, a qualidade do curso de onde se quer migrar, se ele é da região onde está a instituição pretendida ou se já é graduado. Até agora, as vagas não preenchidas eram oferecidas por iniciativa das próprias instituições.

Com o novo sistema de acesso, um estudante de curso superior do Maranhão pode, por exemplo, concorrer a uma vaga de instituição federal do Rio Grande do Sul.

A intenção do ministério é eliminar as cadeiras vazias do Ensino Superior público, que hoje conta com 1,1 milhão de vagas, com praticamente nenhum custo adicional. “Dá para fazer mais com menos, dá para fazer com mais eficiência”, disse Aloizio Mercadante.

ESPM oferece cinco cursos de férias em 2016

Renovar o conhecimento, especializar-se e garantir um lugar no mercado que está tão competitivo e exige, cada vez mais, qualificação profissional são obrigatórios para quem quer evoluir na carreira. Pensando nisso, a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) de São Paulo oferece, no início de 2016, mais de 100 cursos de férias – de curta duração – sendo que cinco deles são na área de varejo.

Entre os dias 11 e 26 de janeiro, os melhores profissionais do mercado estarão na ESPM ministrando cursos sobre logística, branding, pricing, negociações estratégicas e gestão e marketing. A lista completa de opções pode ser conferida no endereço eletrônico http://www2.espm.br/cursos/extensao/cursos-de-ferias-espm-sao-paulo.

Ao fim do curso, a ESPM concede certificado a quem tiver pelo menos 75% de presença na modalidade escolhida.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 5081-8200 ou pelo e-mail relacionamentojt@espm.br.

Cruzeiro do Sul e Unicid criam portal para vestibular

Para ajudar os vestibulandos com dúvidas em relação a qual profissão escolher, a Universidade Cruzeiro do Sul e a Unicid (Universidade Cidade de São Paulo) criaram o portal Orienta, dedicado aos alunos que estão saindo do Ensino Médio e de cursinhos pré-vestibulares.

No portal, os interessados terão acesso a teste vocacional, vagas de emprego e estágio e informações sobre o mercado de trabalho de forma gratuita. Além disso, os vestibulandos poderão consultar os cursos e tipos de processos seletivos oferecidos pelas instituições de ensino.

Os conteúdos podem ser acessados nos endereço eletrônico http://orienta.cruzeirodosul.edu.br e http://orienta.unicid.edu.br.

A Cruzeiro do Sul Educacional é composta pela Universidade Cruzeiro do Sul, Universidade Cidade de São Paulo, Centro Universitário do Distrito Federal, Universidade de Franca, Centro Universitário Módulo, Faculdade Caraguá, Faculdade de São Sebastião; Colégio Cruzeiro do Sul , Colégio Alto Padrão e Colégio Objetivo São Sebastião.

Docentes podem se inscrever para capacitação na Finlândia

Está aberta a seleção para o Programa Professores para o Futuro, que enviará profissionais das instituições da rede federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica para capacitação em universidades finlandesas.

A ação resulta de parceria entre o Ministério da Educação e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). O prazo para apresentação de propostas vai até o dia 25 de janeiro.

O trabalho será executado no Brasil e deve ter como temática os ensinos profissional e tecnológico. Podem participar os professores que tenham, no mínimo, um ano de efetivo exercício nas instituições que integram a rede federal e não tenham participado de programa de capacitação no Exterior, similar ao da chamada pública, fomentado pela Setec (Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica) nos últimos três anos.

Os selecionados passarão por período de capacitação de três meses nas universidades Hamk (Häme University of Applied Sciences) e Tamk (Tampere University of Applied Sciences). 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;