Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Juliana Silveira acha que Floribella tem de acabar


Diogo de Oliveira
Da TV Press

24/06/2006 | 08:41


Quando foi convidada para viver a protagonista de Floribella, Juliana Silveira sabia que o trabalho ultrapassaria os limites dos estúdios. Mesmo avisada, a atriz não pôde avaliar a diversidade de funções que o papel de Flor desencadearia.

Na novelinha infanto-juvenil da Band, que vai ao ar de segunda a sábado, às 20h10, a musa pré-adolescente – além das inúmeras cenas diárias – gravou CDs e videoclipes das trilhas sonoras. Juliana descobriu um outro potencial artístico. “Nunca me imaginei fazendo essas coisas. Eles foram agregando tudo”, explica.<TB>O sucesso da novela da Band é maior na vendagem dos produtos que no índice de audiência, de cinco pontos em média.

Independentemente disso, o que mais contou para Juliana foi a experiência de viver a “Cinderela de tênis”. Não só pela magia da trama infantil, mas também pela diversidade dos trabalhos. Juliana é a primeira a admitir que se diverte e gosta muito de fazer a heroína infanto-juvenil da novelinha, mas não gosta de pensar em esticar a experiência para uma terceira temporada. Para a atriz, mais um ano de produção poderia esvaziar o sucesso que a novela conquistou. “Acho que uma boa história tem de acabar no auge. É preciso saber a hora de parar”, filosofa.

Mas há um fator que pode fazer com que Floribella ganhe uma sobrevida: o sucesso comercial da marca. Os tênis usados por Flor, por exemplo, já venderam mais de 200 mil pares desde o lançamento da novela. Além disso, Juliana soltou a voz nos CDs das trilhas sonoras da trama – que ultrapassaram a marca de 110 mil cópias vendidas. Há até uma boneca feita a sua imagem.

Mas não são os produtos nem o status de estrela que mais deixarão saudades na atriz. Das alegrias proporcionadas por Floribella, Juliana é rápida ao apontar o contato com as crianças como o maior trunfo de seu trabalho. Para a atriz, a conquista do público infantil foi a tarefa mais difícil em toda a sua trajetória na Band. “É um público complicado, porque é verdadeiro", afirma a atriz.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Juliana Silveira acha que Floribella tem de acabar

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, acesse com:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;