Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Enem tem correria e questões com nível semelhante à Fuvest

Celso Luiz/DGABC: Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Renato Fontes
Especial para o Diário

25/10/2015 | 07:00


O primeiro dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) registrou correria e questões com nível semelhante ao da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular), que selecionada alunos para a USP (Universidade de São Paulo), um dos maiores vestibulares do País. As provas realizadas foram de Ciências Humanas e Ciências da Natureza. Na etapa de hoje, o Enem terá provas de Linguagens, Matemática e a redação.

Ao todo, 7,7 milhões de pessoas se inscreveram para o exame, que seleciona alunos para universidades federais em todo o Brasil por meio do SiSu (Sistema de Seleção Unificada). Ontem, a reportagem do Diário esteve na Fundação Santo André, na cidade, e acompanhou a intensa movimentação dos candidatos.

“Acabei não estudando como deveria. Estou nervosa”, disse a estudante Clara Mayumi, 17 anos, antes de entrar na sala. Ela pretende utilizar a nota do Enem para ingressar em alguma universidade da região. Entre as opções estão a UFABC (Universidade Federal do ABC) e o campus Diadema da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Fernando Petente, 31, também estava ansioso. “Estudei meio por cima. Ou sei ou não sei”. O rapaz pretende utilizar os pontos para ingressar no curso de Direto na Faculdade de Direito de São Bernardo.

A técnica em Agropecuária Débora Cristina Coelho, 40, que possui deficiência na perna após acidente, perdeu a prova depois de passar três horas esperando por um ônibus. “Levei meu filho para fazer o Enem em outro lugar e acabei ficando parada no ponto”, lamentou ela, que chegou a passar mal. Os portões fecharam pontualmente às 13h.

Na porta da Fundação, vendedores ambulantes aproveitaram a movimentação para faturar. Foi o caso da comerciante de lanches Edilma Paiva, 37. “Vendi mais de 100 cachorros-quentes”, comemorou. Quem também teve motivos para festejar foi Bruno Xavier, 25, que vendeu lápis, caneta, borracha e água. “Calculo que vou faturarem torno de R$ 300.”

DIFICULDADES

A estudante Camila Prado, 20, foi uma das primeiras participantes a deixar a sala na Fundação Santo André, após 2h30 do início do teste. “História foi a parte mais difícil para mim. Não tenho certeza se fui bem.”

Já Dilton Nogueira, 27, que participa pela oitava vez do Enem, não encontrou dificuldades. “Foi tranquilo.”

Para a coordenadora pedagógica do cursinho Objetivo,Vera Lúcia da Costa Antunes, a prova de Ciências da Natureza – Física, Química e Biologia – deste ano manteve o mesmo nível de dificuldade de 2014. “Todas as questões foram bem elaboradas. O questionário de Física, por exemplo, está no mesmo nível da Fuvest.”

As perguntas de Ciências Humanas – História, Geografia, Sociologia e Filosofia – também chamaram a atenção. “Movimentos sociais, Era Vargas e movimento dos bandeirantes exigiram conhecimento dos candidatos.”

Para o segundo dia, Vera Lúcia dá algumas dicas. “Uma boa noite de sono é essencial. No momento da prova, faça as questões e deixe a redação por último. Para produzir o texto, leia com calma e busque compreender a proposta.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Enem tem correria e questões com nível semelhante à Fuvest

Renato Fontes
Especial para o Diário

25/10/2015 | 07:00


O primeiro dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) registrou correria e questões com nível semelhante ao da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular), que selecionada alunos para a USP (Universidade de São Paulo), um dos maiores vestibulares do País. As provas realizadas foram de Ciências Humanas e Ciências da Natureza. Na etapa de hoje, o Enem terá provas de Linguagens, Matemática e a redação.

Ao todo, 7,7 milhões de pessoas se inscreveram para o exame, que seleciona alunos para universidades federais em todo o Brasil por meio do SiSu (Sistema de Seleção Unificada). Ontem, a reportagem do Diário esteve na Fundação Santo André, na cidade, e acompanhou a intensa movimentação dos candidatos.

“Acabei não estudando como deveria. Estou nervosa”, disse a estudante Clara Mayumi, 17 anos, antes de entrar na sala. Ela pretende utilizar a nota do Enem para ingressar em alguma universidade da região. Entre as opções estão a UFABC (Universidade Federal do ABC) e o campus Diadema da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Fernando Petente, 31, também estava ansioso. “Estudei meio por cima. Ou sei ou não sei”. O rapaz pretende utilizar os pontos para ingressar no curso de Direto na Faculdade de Direito de São Bernardo.

A técnica em Agropecuária Débora Cristina Coelho, 40, que possui deficiência na perna após acidente, perdeu a prova depois de passar três horas esperando por um ônibus. “Levei meu filho para fazer o Enem em outro lugar e acabei ficando parada no ponto”, lamentou ela, que chegou a passar mal. Os portões fecharam pontualmente às 13h.

Na porta da Fundação, vendedores ambulantes aproveitaram a movimentação para faturar. Foi o caso da comerciante de lanches Edilma Paiva, 37. “Vendi mais de 100 cachorros-quentes”, comemorou. Quem também teve motivos para festejar foi Bruno Xavier, 25, que vendeu lápis, caneta, borracha e água. “Calculo que vou faturarem torno de R$ 300.”

DIFICULDADES

A estudante Camila Prado, 20, foi uma das primeiras participantes a deixar a sala na Fundação Santo André, após 2h30 do início do teste. “História foi a parte mais difícil para mim. Não tenho certeza se fui bem.”

Já Dilton Nogueira, 27, que participa pela oitava vez do Enem, não encontrou dificuldades. “Foi tranquilo.”

Para a coordenadora pedagógica do cursinho Objetivo,Vera Lúcia da Costa Antunes, a prova de Ciências da Natureza – Física, Química e Biologia – deste ano manteve o mesmo nível de dificuldade de 2014. “Todas as questões foram bem elaboradas. O questionário de Física, por exemplo, está no mesmo nível da Fuvest.”

As perguntas de Ciências Humanas – História, Geografia, Sociologia e Filosofia – também chamaram a atenção. “Movimentos sociais, Era Vargas e movimento dos bandeirantes exigiram conhecimento dos candidatos.”

Para o segundo dia, Vera Lúcia dá algumas dicas. “Uma boa noite de sono é essencial. No momento da prova, faça as questões e deixe a redação por último. Para produzir o texto, leia com calma e busque compreender a proposta.”

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;