Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mauá fica sem vacina de catapora


Fabiana Chiachiri
Do Diário do Grande ABC

19/09/2003 | 20:55


Por problemas no sistema de informática da Prefeitura, Mauá não notificou a DIR-2 (Direção Regional de Saúde) sobre os 123 casos de catapora que surgiram na cidade entre os dias 24 de agosto e a última terça-feira. Por causa disso, a cidade não recebeu da Secretaria Estadual de Saúde nenhuma dose da vacina contra a doença – o preço médio de cada dose, em clínica particular, é de R$ 120. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Mauá informou que os dados serão enviados, no máximo, até segunda-feira. Caso isso acontece, a secretaria estadual enviará doses ao município entre quatro ou cinco dias.

Na primeira semana do mês, Mauá havia registrado somente cinco casos da doença e, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, tratavam-se de casos isolados. No entanto, o Diário visitou quatro USFs (Unidades de Saúde da Família) na segunda-feira, dia 15, e verificou que somente naquelas unidades haviam sido registrados 60 casos na última semana.

O Grande ABC registrou mais nove casos de catapora entre segunda e quinta-feira desta semana. Agora, a região soma 583 notificações, de acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde. No último levantamento, até sexta-feira, 574 pessoas haviam contraído catapora na região.

Contágio – A catapora é causada por um vírus, cujo contágio ocorre principalmente pelo contato direto com a saliva ou com o líquido do interior das vesículas de quem tem a doença. É possível também pegar catapora de forma indireta, por meio de objetos contaminados recentemente por secreções das mucosas de pessoas infectadas.

Luiz Guilherme Pereira, 8 anos, de Santo André, contraiu a doença há dez dias. Segundo sua mãe, a dona de casa Vânia Cristina dos Santos, 35, ele não tomou a vacina e deve ter contraído a doença na escola. “Disseram para o meu marido que tem muita criança com catapora no colégio”, afirmou a mãe.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;