Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Demolição de imóveis terá início hoje pela manhã no Pq.das Nações

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Empresa realiza o escoramento do muro para minimizar os riscos


Nelson Donato
Especial para o Diário

17/09/2015 | 07:00


A demolição dos dois imóveis que desabaram parcialmente na terça-feira, no Parque das Nações, em Santo André, começa na manhã de hoje. Porém, os transtornos aos moradores das ruas Japão e França não têm prazo para acabar. Ontem a empresa realizou operação para escorar os muros de contenção da obra de condomínio residencial e, assim, viabilizar a demolição. Ao todo, seis imóveis foram afetados pelo incidente.

A equipe do Diário esteve ontem no local e verificou intenso tráfego de caminhões. Desde as 17h de terça-feira , os veículos descarregavam terra e entulho na obra. Segundo funcionários, os sedimentos seriam depositados até que atingissem cinco metros de altura e escorassem de maneira segura as paredes comprometidas por diversas fissuras.

Além da demolição de dois imóveis da Rua Japão, a ação tem como objetivo evitar danos às demais residências. Outras duas, na Rua França, estão parcialmente interditadas.

Os transtornos não param por aí. O bloqueio da Rua Japão para as ruas França e Bélgica permanece até a conclusão da demolição. Para somar-se à série de inconvenientes, a AES Eletropaulo cortou a energia da Rua Japão para remover árvore que teve raízes danificadas pelo desabamento. A energia voltou no fim da tarde.

Além do prejuízo financeiro, a perda de bens de valor sentimental é devastadora. É o que sente a designer Tatiana Toth, 32 anos, que teve o imóvel que alugava interditado pela Defesa Civil. “Só tivemos tempo de pegar algumas roupas. Fomos para um hotel.”

Grávida de seis meses, Tatiana detalha que já havia comprado enxoval da filha. “Estava tudo pronto. Eu e meu marido compramos o berço e iríamos montá-lo hoje (ontem). Espero poder recuperar meus bens e que minha filha tenha um lugar para chamar de lar.”

Apesar dos transtornos, ela se diz segura mediante o respaldo dado pela Martinez e Fernandes Construtora e Incorporadora Ltda, contratante da Pompeu Engenharia. “Ontem nos reunimos com representantes da empresa e eles garantiram que arcarão com as despesas do aluguel e dos bens que perdemos.” A Martinez e a Pompeu Engenharia foram procuradas, mas não se manifestaram até o fechamento desta edição.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;