Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Após derrotas em 2014, PV projeta lançar três candidaturas ao Paço

Depois de fracasso de Regina e Márcio da Farmácia, sigla fala em ter nomes próprios em S.Caetano, Diadema e Mauá e dobrar bancada de vereadores


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

12/09/2015 | 07:00


Depois de desempenho aquém do esperado na eleição de 2014 na região, o PV anunciou que almeja lançar candidaturas próprias no ano que vem em São Caetano, Mauá e Diadema – cidade que é comandada pela sigla, na figura do prefeito Lauro Michels, que tentará a reeleição.

Ontem, em visita à sede do Diário, o novo coordenador do partido no Grande ABC, o ex-vereador mauaense Paulo Bio, e integrantes da cúpula verde garantiram que, além dos projetos próprios no pleito que vem, a meta também é dobrar a atual representatividade no Legislativo – hoje preenchida somente por sete vereadores entre 142 cadeiras parlamentares. Ao todo, o PV possui quatro vagas no Parlamento de Diadema, duas em Rio Grande da Serra e uma em Santo André.

No ano passado, o partido não registrou a reeleição da ex-deputada estadual Regina Gonçalves, de Diadema, e viu fracassar a candidatura a federal do vereador Márcio da Farmácia, também de Diadema.

No cenário político de São Caetano, onde a sigla não tem relações com o prefeito Paulo Pinheiro (PMDB), o projeto pode ser encabeçado por Mariana Perin, ex-coordenadora do Cajuv (Coordenadoria de Ações para Juventude) de São Bernardo e atual secretária nacional da juventude do partido. Já em Mauá, a chapa majoritária pode ser encabeçada pelo próprio Paulo Bio, repetindo empreitada de 2012. No pleito passado, porém, o ex-vereador teve fraco resultado ao conquistar 2.850 votos (1,43%) e amargou a sexta posição entre oito postulantes.

“É claro que é prematuro prospectar. No entanto, o que a legenda vai buscar é algo mais do que a simpatia frente aos eleitores. Nosso planejamento é conseguir transformar em votos o que conquistamos de confiabilidade com a sociedade”, pontuou Bio.

Para os demais municípios, o PV sentenciou apenas decisão em São Bernardo, que será na continuidade do apoio ao PT – prefeito Luiz Marinho deverá oficializar o secretário de Serviços Urbanos, Tarcisio Secoli, como candidato nos próximos meses.

Em território andreense, o vereador Donizeti Pereira e o presidente municipal, Eric Lamarca, confirmaram diálogo com pré-candidatos da oposição Aidan Ravin (PSB) e Raimundo Salles (PPS), além do prefeito Carlos Grana (PT). “Foram bons debates com eles, mas nosso foco ainda está na formação de chapa de vereadores, que está quase completa”, contou Donizeti Pereira.

Em Ribeirão Pires, a indefinição também predomina. Para a projeção em Rio Grande da Serra, a cúpula sinalizou que apoio à reeleição do prefeito Gabriel Maranhão (PSDB) está próxima, principalmente após o vereador Edvaldo Guerra (PV) trabalhar pela saída da legenda para ser candidato a prefeito pelo PMDB.

Ex-coordenadora do PV e atual vice-presidente estadual, Vera Motta assegurou que o partido está se reestruturando na região e que o principal ponto é formar time com pessoas identificadas com a filosofia do PV. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;