Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Queixas contra assédio sexual crescem 35% no Japao


Do Diário do Grande ABC

02/05/2000 | 15:05


A agência de notícias Kyodo informou nesta terça-feira que as queixas de assédio sexual aumentaram 35% no ano passado no Japao, cuja sociedade é tradicionalmente machista. A afirmaçao é feita com base em relatório do governo.

"Estamos vendo cada vez mais casos que nao tinham vindo à tona anteriormente", teria afirmado um funcionário do Burô Feminino do Ministério do Trabalho. "Acho que está se difundindo entre as mulheres a idéia de que o assédio sexual é algo que nao deve mais ser tolerado."

Segundo a Kyodo, cifras divulgadas pelo Ministério indicam que este recebeu denúncias de quase 9.500 casos de assédio sexual entre abril de 1999 e final de março deste ano.

Cerca de metade dos casos foram registrados por funcionárias, e o resto por empresas indagando como lidar com casos desse tipo. O número de casos de assédio sexual teria triplicado entre 1997 e 1998.

O aumento acentuado do número de casos denunciados pode ter sido motivado pela revisao da lei trabalhista realizada em 1999, pela qual passa a ser responsabilidade das empresas proibir a discriminaçao e o assédio sexuais nos locais de trabalho.

Em cerca de 10% dos casos, funcionárias disseram ter sido tratadas injustamente no trabalho por seus superiores do sexo masculino depois de negar-se a ter relaçoes sexuais com eles. Uma das queixas mais freqüentes das mulheres é que as empresas, quando informadas do problema, nao fazem nada para resolvê-lo.

O repúdio ao assédio sexual vem crescendo nos últimos anos no Japao, onde mulheres no metrô freqüentemente sao apalpadas por passageiros homens e o assédio sexual no trabalho é uma ocorrência comum, mas que raramente é denunciada porque causa vergonha a suas vítimas.

No mais recente caso divulgado que teve maior repercussao, ''Knock'' Yokoyama, o conhecido governador da segunda maior cidade japonesa, Osaka, foi obrigado a pedir demissao depois de submeter uma estudante universitária a assédio sexual.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Queixas contra assédio sexual crescem 35% no Japao

Do Diário do Grande ABC

02/05/2000 | 15:05


A agência de notícias Kyodo informou nesta terça-feira que as queixas de assédio sexual aumentaram 35% no ano passado no Japao, cuja sociedade é tradicionalmente machista. A afirmaçao é feita com base em relatório do governo.

"Estamos vendo cada vez mais casos que nao tinham vindo à tona anteriormente", teria afirmado um funcionário do Burô Feminino do Ministério do Trabalho. "Acho que está se difundindo entre as mulheres a idéia de que o assédio sexual é algo que nao deve mais ser tolerado."

Segundo a Kyodo, cifras divulgadas pelo Ministério indicam que este recebeu denúncias de quase 9.500 casos de assédio sexual entre abril de 1999 e final de março deste ano.

Cerca de metade dos casos foram registrados por funcionárias, e o resto por empresas indagando como lidar com casos desse tipo. O número de casos de assédio sexual teria triplicado entre 1997 e 1998.

O aumento acentuado do número de casos denunciados pode ter sido motivado pela revisao da lei trabalhista realizada em 1999, pela qual passa a ser responsabilidade das empresas proibir a discriminaçao e o assédio sexuais nos locais de trabalho.

Em cerca de 10% dos casos, funcionárias disseram ter sido tratadas injustamente no trabalho por seus superiores do sexo masculino depois de negar-se a ter relaçoes sexuais com eles. Uma das queixas mais freqüentes das mulheres é que as empresas, quando informadas do problema, nao fazem nada para resolvê-lo.

O repúdio ao assédio sexual vem crescendo nos últimos anos no Japao, onde mulheres no metrô freqüentemente sao apalpadas por passageiros homens e o assédio sexual no trabalho é uma ocorrência comum, mas que raramente é denunciada porque causa vergonha a suas vítimas.

No mais recente caso divulgado que teve maior repercussao, ''Knock'' Yokoyama, o conhecido governador da segunda maior cidade japonesa, Osaka, foi obrigado a pedir demissao depois de submeter uma estudante universitária a assédio sexual.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;