Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Morre segurança do filho de Lula


Do Diário OnLine

19/06/2003 | 19:51


O subtenente Alcir José Tomasi, 44 anos, que fazia a escolha de um dos filhos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando foi vítima de um assalto, em Santo André, morreu na manhã desta quinta-feira de falência múltipla dos órgãos. Ele foi baleado na cabeça e estava internado em estado grave no Centro Hospitalar Municipal de Santo André.

A notícia da morte do subtenente foi divulgada pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. O governo informou que Tomasi prestou serviços para o Exército nos últimos 26 anos, inclusive participando de uma missão de paz no Kosovo, ex-república iugoslava.

Em nota oficial, Lula manifestou "ao povo brasileiro sua dor pela morte" do segurança e se solidarizou com a família do subtenente. A nota diz ainda que o "episódio reforça a decisão deste governo em dar combate à violência, seja em suas raízes estruturais, seja em sua manifestação cotidiana que leva a intranqüilidade a todos os cidadãos brasileiros".

Tomasi trabalhava como segurança de autoridades há três anos. Ele será enterrado na sexta-feira em Santa Maria (RS) e o governo será representado na cerimônia pelo Ministro das Cidades, Olívio Dutra.

A família do militar autorizou a doação das córneas. O médico da Presidência da República, Cléber de Araújo Leal Ferreira, informou que ele já havia manifestado em vida o desejo de doar os órgãos. Como a morte cerebral ocorreu à 1h desta quinta, não houve tempo para que outros órgãos pudessem ser doados.

O outro segurança que estava fazendo a escolta do filho de Lula, o cabo do Exército Nivaldo Ferreira dos Santos, 29 anos, levou um tiro na mão esquerda e dois tiros na região do abdome e permanece internado no Hospital do Exército, com ferimentos leves.

O crime - O subtenente e o cabo aguardavam Sandro Luiz em frente à casa da namorada do rapaz, no bairro de Utinga, em Santo André, quando foram abordados por dois homens armados, por volta das 20h30 de quarta-feira. Ao reagirem ao assalto, Tomasi e Santos foram baleados. O carro usado na escolta, um Astra verde alugado pela Presidência da República, foi levado pelos assaltantes e abandonado instantes depois, ainda em Utinga.

Nesta quinta-feira, dois suspeitos foram presos na favela do Heliópolis, na zona Sul de São Paulo, e o cabo Santos chegou a apontá-los como os autores do crime, mas à tarde voltou atrás e não os reconheceu como os responsáveis. Segundo retrato falado feito por testemunhas, um dos acusados tem cerca de 27 anos, 1,80 metro de altura, olhos castanhos e cor parda. Ele usava cavanhaque, assim como seu comparsa.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;