Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Nilza, não deixe que esse prédio seja vendido...

Lá já funcionou a Prefeitura, os Correios, lá que tirei minha carteira profissional, lá já foi o alistamento militar, a antiga Fubem, a Papelaria Bambino e agora a Farmácia Popular


Ademir Medici

08/08/2015 | 07:00


Gostaria de sugerir que Memória faça uma matéria sobre o histórico (mas não tombado) prédio número 1.058 da Rua Marechal Deodoro, Centro de São Bernardo.

Lá já funcionou a Prefeitura, os Correios, lá que tirei minha carteira profissional, lá já foi o alistamento militar, a antiga Fubem, a Papelaria Bambino e agora a Farmácia Popular, que já está deixando o local por ordem da primeira-dama Nilza, que deu ordem para a venda do prédio.

É um crime a administração se desfazer dele. Vamos tentar salvá-lo.

Cf. Moyses Cheid Junior

 

NOTA DA MEMÓRIA

Buscamos um contato com a secretária Nilza de Oliveira. Pela sua assessoria ela informou à Memória:

Não tem notícia de que o prédio será vendido.

Confirma que o prédio não é tombado (preservado oficialmente).

Sabe que o prédio necessita de vários reparos.

Aguardamos até ontem uma resposta em definitivo. Esperamos que a resposta venha na próxima semana, e seja boa para a cidade. Isto é: que o prédio da Rua Marechal Deodoro, 1.058, será preservado, mantido como bem municipal.

O edifício descrito pelo leitor Moyses Cheid Junior, e por nós fotografado, foi construído na década de 1950, quando a cidade de São Bernardo partia célere rumo à industrialização acelerada. Para trás iam ficando os edifícios coloniais, substituídos pelas primeiras construções com mais de dois andares.

Ali trabalharam os prefeitos Lauro Gomes (em sua segunda gestão) e Aldino Pinotti (primeira gestão). No tempo do Lauro, nesta mesma porta de aço principal hoje toda pichada estava escrito que o munícipe em dia com o pagamento de impostos podia consultar e fotografar qualquer documento da municipalidade.

O prédio é imenso. Sua localização, privilegiada, no coração da cidade. Sempre defendemos que o Museu do Trabalho e do Trabalhador fosse instalado sob as arquibancadas do Estádio Primeiro de Maio, a exemplo do Museu do Futebol, que fica sob as arquibancadas do Pacaembu. A Administração preferiu erigir um prédio próprio e moderno para o museu, que derrapa. Ao fotografar o edifício 1.058 da Rua Marechal Deodoro pensamos que ali seria uma boa opção para reunir documentos e objetos que marcassem o trabalho na cidade, a um custo infinitamente menor, ou zerado, se por administração direta.

Enfim, a sorte está lançada. A preocupação do leitor é a mesma que a nossa. Desfazer-se do prédio seria um erro. Os recursos seriam aplicados no quê? O momento vivido pela economia brasileira sugere comprar e não vender. Tudo se desvaloriza. E São Bernardo apagaria mais um cenário da sua história administrativa.

Por que não instituir um concurso para se levantar toda a história deste prédio? Por que não valorizá-lo? A Farmácia Popular, caro Junior, já não está mais ali. Esvazia-se um bem. Memória segue com você, modestamente, para tentar preservar o edifício, como esta mesma página fez, anos atrás, com outro imóvel, o do número 1.325 da mesma Marechal Deodoro, hoje Câmara de Cultura Antonino Assumpção.

Ontem venceu o SOS Câmara; que não seja preciso criar o SOS 1.058.

 

Nas ondas do Rádio

Viagem no Tempo – Internet: www.viagemnotempo.net. Música, notícias e história. Vinte e quatro horas por dia no ar.

Estadão FM (92,9) – Estadão Acervo. Geraldo Nunes relaciona as atrações do seu programa:

Abrimos homenageando os pais.

O ‘Constellation’, avião da Varig, inovou a aviação comercial nos anos 1950 ao fazer o trajeto Rio – Nova York em 20 horas, enquanto que os aviões convencionais da época (não pressurizados) cobriam o mesmo trajeto em longas 72 horas. Hoje os voos de carreira levam apenas oito horas para ir do Rio a NY. Vamos entrevistar o comandante Volpin, que pilotava o ‘Constellation’ nessa linha. Ele vai falar dessa fase de glamour da aviação brasileira.

Abner Macoto, maior estudioso de Nostradamus no Brasil, vai falar desse personagem da história que viveu no século 16 e fazia previsões.

Vamos contar curiosidades envolvendo a banda de rock inglesa Deep Purple, que fez muito sucesso durante os anos 1970.

Hoje, às 6h e 18h; amanhã, às 6h.

Rádio ABC (1570) – Causas Nobres. Relata Antonio Dalto, produtor e apresentador:

Será um programa todo em homenagem ao Dia dos Pais.

Colocaremos o telefone à disposição para quem quiser homenagear seus pais.

Hoje, às 10h.

Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Memória. Milton Parron informa e comenta a audição:

Nas décadas de 1940 e 1950, as radionovelas foram fundamentais para que a força do rádio brasileiro se consolidasse. Boas histórias, bons atores e bons sonoplastas eram o segredo do gênero para atrair a atenção dos ouvintes. As novelas, tanto quanto os programas de auditório, davam índices fantásticos de audiência.

No programa deste fim de semana e pelo menos nos dois próximos, vamos recordar trechos de novelas seriadas, novelas de um único capítulo, dramatizações de assuntos policiais, romances célebres adaptados para o rádio e até mesmo capítulos importantes da história do Brasil que foram adaptados como radionovelas.

O programa terá depoimentos de atores, atrizes, sonoplastas, diretores, autores de textos, profissionais especializados na fabricação desse tipo de sonho que nunca se apagou da memória daquele que viveu a época.

Também serão apresentados bons trechos das novelas: Em Busca da Felicidade, a primeira do rádio brasileiro em 1941; Fatalidade, que foi a primeira escrita por autor brasileiro. Oduvaldo Viana, 1945; a mais longa de todas, quase três anos no ar, O Direito de Nascer levada ao ar entre 1950 e 1953.

Entre outros depoimentos, destaco os de Paulo Gracindo, Janete Clair, Dias Gomes, Mario Lago, Ceci Alencar, Valter Júnior, Valdemar Sciglione, Floriano Faissal, Aurélio de Andrade e mais alguns.

Ainda no primeiro programa, um bom trecho de Sonho e Fantasia, novela de um capítulo, só que era apresentada semanalmente em 1951 pela rádio Bandeirantes. A produção era do dramaturgo Dias Gomes. Na semana que vem tem muito mais.

Hoje, às 23h, com reprise amanhã, às 5h.

 

Paranapiacaba

126ª Festa do Senhor Bom Jesus

Quermesse com barracas de comidas e bebidas hoje, amanhã e no próximo fim de semana, das 12h às 22h.

Local: Igreja do Senhor Bom Jesus, na parte alta da Vila.

Mais informações: 4439-0109

 

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 8 de agosto de 1985 – ano 28, nº 5897

Manchete – Supremo Tribunal Federal decide: desapropriações serão pagas em ORTNs

São Caetano – Obras contra enchentes chegam a

São Caetano só no fim de 1986.

 

Em 8 de agosto de...

Em partida realizada no campo do Monte Alegre, o Juvenil do Corinthians de São Caetano vence o Juvenil do Vitória por 2 a 1. Entre os corintianos, nomes de famílias antigas da cidade: Biagi, D’Agostini, Perrella, Dalcin, Crepaldi, Toniolo e Boava.

Realizada em São Caetano a primeira reunião do conselho distrital do Lions Clube. Participam representantes do Estado de São Paulo e Sul de Minas Gerais.

 

Hoje

Dia do Pároco

Dia dos Bandeirantes

 

Santos do dia

Na estampa, São Domingos de Gusmão (Espanha, 1170-1221). Fundou a Ordem dos Frades Predicadores ou Dominicanos. Venerado em 8 de agosto, dia da sua morte, como Padroeiro Perpétuo e Defensor de Bolonha.

Emiliano

Miro

 

Municípios Paulistas

Hoje é o aniversário de Alvilândia e de Votuporanga.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nilza, não deixe que esse prédio seja vendido...

Lá já funcionou a Prefeitura, os Correios, lá que tirei minha carteira profissional, lá já foi o alistamento militar, a antiga Fubem, a Papelaria Bambino e agora a Farmácia Popular

Ademir Medici

08/08/2015 | 07:00


Gostaria de sugerir que Memória faça uma matéria sobre o histórico (mas não tombado) prédio número 1.058 da Rua Marechal Deodoro, Centro de São Bernardo.

Lá já funcionou a Prefeitura, os Correios, lá que tirei minha carteira profissional, lá já foi o alistamento militar, a antiga Fubem, a Papelaria Bambino e agora a Farmácia Popular, que já está deixando o local por ordem da primeira-dama Nilza, que deu ordem para a venda do prédio.

É um crime a administração se desfazer dele. Vamos tentar salvá-lo.

Cf. Moyses Cheid Junior

 

NOTA DA MEMÓRIA

Buscamos um contato com a secretária Nilza de Oliveira. Pela sua assessoria ela informou à Memória:

Não tem notícia de que o prédio será vendido.

Confirma que o prédio não é tombado (preservado oficialmente).

Sabe que o prédio necessita de vários reparos.

Aguardamos até ontem uma resposta em definitivo. Esperamos que a resposta venha na próxima semana, e seja boa para a cidade. Isto é: que o prédio da Rua Marechal Deodoro, 1.058, será preservado, mantido como bem municipal.

O edifício descrito pelo leitor Moyses Cheid Junior, e por nós fotografado, foi construído na década de 1950, quando a cidade de São Bernardo partia célere rumo à industrialização acelerada. Para trás iam ficando os edifícios coloniais, substituídos pelas primeiras construções com mais de dois andares.

Ali trabalharam os prefeitos Lauro Gomes (em sua segunda gestão) e Aldino Pinotti (primeira gestão). No tempo do Lauro, nesta mesma porta de aço principal hoje toda pichada estava escrito que o munícipe em dia com o pagamento de impostos podia consultar e fotografar qualquer documento da municipalidade.

O prédio é imenso. Sua localização, privilegiada, no coração da cidade. Sempre defendemos que o Museu do Trabalho e do Trabalhador fosse instalado sob as arquibancadas do Estádio Primeiro de Maio, a exemplo do Museu do Futebol, que fica sob as arquibancadas do Pacaembu. A Administração preferiu erigir um prédio próprio e moderno para o museu, que derrapa. Ao fotografar o edifício 1.058 da Rua Marechal Deodoro pensamos que ali seria uma boa opção para reunir documentos e objetos que marcassem o trabalho na cidade, a um custo infinitamente menor, ou zerado, se por administração direta.

Enfim, a sorte está lançada. A preocupação do leitor é a mesma que a nossa. Desfazer-se do prédio seria um erro. Os recursos seriam aplicados no quê? O momento vivido pela economia brasileira sugere comprar e não vender. Tudo se desvaloriza. E São Bernardo apagaria mais um cenário da sua história administrativa.

Por que não instituir um concurso para se levantar toda a história deste prédio? Por que não valorizá-lo? A Farmácia Popular, caro Junior, já não está mais ali. Esvazia-se um bem. Memória segue com você, modestamente, para tentar preservar o edifício, como esta mesma página fez, anos atrás, com outro imóvel, o do número 1.325 da mesma Marechal Deodoro, hoje Câmara de Cultura Antonino Assumpção.

Ontem venceu o SOS Câmara; que não seja preciso criar o SOS 1.058.

 

Nas ondas do Rádio

Viagem no Tempo – Internet: www.viagemnotempo.net. Música, notícias e história. Vinte e quatro horas por dia no ar.

Estadão FM (92,9) – Estadão Acervo. Geraldo Nunes relaciona as atrações do seu programa:

Abrimos homenageando os pais.

O ‘Constellation’, avião da Varig, inovou a aviação comercial nos anos 1950 ao fazer o trajeto Rio – Nova York em 20 horas, enquanto que os aviões convencionais da época (não pressurizados) cobriam o mesmo trajeto em longas 72 horas. Hoje os voos de carreira levam apenas oito horas para ir do Rio a NY. Vamos entrevistar o comandante Volpin, que pilotava o ‘Constellation’ nessa linha. Ele vai falar dessa fase de glamour da aviação brasileira.

Abner Macoto, maior estudioso de Nostradamus no Brasil, vai falar desse personagem da história que viveu no século 16 e fazia previsões.

Vamos contar curiosidades envolvendo a banda de rock inglesa Deep Purple, que fez muito sucesso durante os anos 1970.

Hoje, às 6h e 18h; amanhã, às 6h.

Rádio ABC (1570) – Causas Nobres. Relata Antonio Dalto, produtor e apresentador:

Será um programa todo em homenagem ao Dia dos Pais.

Colocaremos o telefone à disposição para quem quiser homenagear seus pais.

Hoje, às 10h.

Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Memória. Milton Parron informa e comenta a audição:

Nas décadas de 1940 e 1950, as radionovelas foram fundamentais para que a força do rádio brasileiro se consolidasse. Boas histórias, bons atores e bons sonoplastas eram o segredo do gênero para atrair a atenção dos ouvintes. As novelas, tanto quanto os programas de auditório, davam índices fantásticos de audiência.

No programa deste fim de semana e pelo menos nos dois próximos, vamos recordar trechos de novelas seriadas, novelas de um único capítulo, dramatizações de assuntos policiais, romances célebres adaptados para o rádio e até mesmo capítulos importantes da história do Brasil que foram adaptados como radionovelas.

O programa terá depoimentos de atores, atrizes, sonoplastas, diretores, autores de textos, profissionais especializados na fabricação desse tipo de sonho que nunca se apagou da memória daquele que viveu a época.

Também serão apresentados bons trechos das novelas: Em Busca da Felicidade, a primeira do rádio brasileiro em 1941; Fatalidade, que foi a primeira escrita por autor brasileiro. Oduvaldo Viana, 1945; a mais longa de todas, quase três anos no ar, O Direito de Nascer levada ao ar entre 1950 e 1953.

Entre outros depoimentos, destaco os de Paulo Gracindo, Janete Clair, Dias Gomes, Mario Lago, Ceci Alencar, Valter Júnior, Valdemar Sciglione, Floriano Faissal, Aurélio de Andrade e mais alguns.

Ainda no primeiro programa, um bom trecho de Sonho e Fantasia, novela de um capítulo, só que era apresentada semanalmente em 1951 pela rádio Bandeirantes. A produção era do dramaturgo Dias Gomes. Na semana que vem tem muito mais.

Hoje, às 23h, com reprise amanhã, às 5h.

 

Paranapiacaba

126ª Festa do Senhor Bom Jesus

Quermesse com barracas de comidas e bebidas hoje, amanhã e no próximo fim de semana, das 12h às 22h.

Local: Igreja do Senhor Bom Jesus, na parte alta da Vila.

Mais informações: 4439-0109

 

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 8 de agosto de 1985 – ano 28, nº 5897

Manchete – Supremo Tribunal Federal decide: desapropriações serão pagas em ORTNs

São Caetano – Obras contra enchentes chegam a

São Caetano só no fim de 1986.

 

Em 8 de agosto de...

Em partida realizada no campo do Monte Alegre, o Juvenil do Corinthians de São Caetano vence o Juvenil do Vitória por 2 a 1. Entre os corintianos, nomes de famílias antigas da cidade: Biagi, D’Agostini, Perrella, Dalcin, Crepaldi, Toniolo e Boava.

Realizada em São Caetano a primeira reunião do conselho distrital do Lions Clube. Participam representantes do Estado de São Paulo e Sul de Minas Gerais.

 

Hoje

Dia do Pároco

Dia dos Bandeirantes

 

Santos do dia

Na estampa, São Domingos de Gusmão (Espanha, 1170-1221). Fundou a Ordem dos Frades Predicadores ou Dominicanos. Venerado em 8 de agosto, dia da sua morte, como Padroeiro Perpétuo e Defensor de Bolonha.

Emiliano

Miro

 

Municípios Paulistas

Hoje é o aniversário de Alvilândia e de Votuporanga.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;