Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Relator aliado ao governo Lula garante sobrevida para Luizinho


Roney Domingos
Do Diário do Grande ABC

19/10/2005 | 08:11


O deputado federal Pedro Canedo (PP-GO) entrou quase por acaso no destino do deputado Luiz Carlos da Silva, o Professor Luizinho (PT-Santo André). Caberá a Canedo, aliado do governo, preparar o relatório final que poderá indicar a perda de mandato ou a absolvição do petista, ex-líder do Planalto na Câmara. Canedo afirma que Luizinho terá pela frente um relator "sereno" em vez de um algoz "rigoroso, exigente, teatral." Testemunha de defesa de Sandro Mabel (PL-GO) – que enfrenta processo de cassação por ter supostamente oferecido dinheiro em troca do ingresso da deputada Raquel Teixeira (PSDB-GO) no PL –, Canedo diz que sua atuação nesse episódio não compromete sua autonomia como relator.

No sorteio dos relatores dos 11 processos (veja arte e perfis nesta página) que correm no Conselho de Ética, feito nesta terça-feira sob a preocupação de não permitir vínculos entre acusador e acusado, Canedo caiu com Luizinho. Da mesma forma que o presidente do PP, José Janene, caiu com a petista Ângela Guadagnin (SP), a ex-prefeita de São José dos Campos que recebeu fortes críticas da oposição depois que pediu vistas ao processo de cassação que corre contra o deputado José Dirceu (acusado pelo PTB de Roberto Jefferson de ferir o decoro) no mesmo Conselho de Ética.

Canedo nem faz parte do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, mas foi chamado a integrar o time de relatores depois que alguns dos titulares abriram mão da tarefa. Diante de três vagas, o presidente do Conselho Ricardo Izar (PTB-SP) convidou Canedo, Mendes Thame (PSDB-SP) e Moroni Torgan (PFL–CE).

Coincidência ou não, apenas sete dos 11 parlamentares acusados pelas CPMIs dos Correios e do Mensalão de receber dinheiro do empresário Marcos valério caíram de fato nas mãos de adversários no Conselho de Ética, consideradas as siglas que estão em jogo. José Mentor (SP) será relatado por Edmar Moreira (PFL-MG), João Magno (MG) por Jairo Carneiro (PFL-BA) e Josias Gomes (BA) por Mendes Thame (PSDB-SP). Ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP) terá como relator Cézar Schirmer (PMDB-RS), um ex-líder estudantil capaz de aliar-se ao PC do B para enfrentar Tarso Genro em Porto Alegre.

Pedro Henry (PP-MT) e Wanderval Santos (PL-SP) deverão enfrentar duros relatores. São eles, respectivamente, Orlando Fantazzini (P-SOL-SP) e Chico Alencar (P-SOL-SP). Embora estejam em silgas diferentes, os acusados Vadão Gomes (PP-SP) e Pedro Corrêa (PP-PE) integram o mesmo espectro político de seus relatores, Moroni Torgan (PFL–CE) e Carlos Sampaio (PSDB-SP).

Como funciona – Os 11 parlamentares acusados pelas CPMIs dos Correios e do Mensalão de receber dinheiro do publicitário Marcos Valério terão cinco sessões para apresentar defesa e testemunhas. O Conselho de Ética tem prazo de 90 dias a partir desta terça-feira para encerrar as investigações e apontar os culpados. A decisão sobre a punição depende da Mesa Diretora da Câmara. Se o Conselho decidir pela cassação, o pedido tem de ser aprovado por 257 deputado em sessão secreta.

Quem são eles:

Pedro Canedo (PP-GO) – Empresário e médico oftalmologista, cumpre o quatro mandato federal. Parlamentar de perfil essencialmente governista, foi assessor do Ministério da Saúde durante o governo Collor. Já pertenceu a PDS, PFL, PRN, PP, PL e PSDB. Foi testemunha de defesa de Sandro Mabel (PP-GO) que enfrenta processo de cassação.

Cézar Schirmer (PMDB-RS) – Advogado e professor universitário, está no segundo mandato federal. Foi líder estudantil e deputado estadual por cinco vezes. Fez aliança com o PC do B para vencer Tarso Genro em Porto Alegre.

Edmar Moreira (PFL-MG) – Empresário rural, advogado e capitão da reserva da PM de Minas Gerais, cumpre o terceiro mandato. Também foi integrante da tropa de choque do governo Collor. É membro das comissões de Constituição e Justiça, Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado.

Jairo Carneiro (PFL-BA) – Advogado, professor e um dos principais proprietários de haras na Bahia, cumpre o quinto mandato parlamentar. Foi presidente da Comissão Especial que analisou a PEC da Reforma do Judiciário.

Mendes Thame (PSDB-SP) – Professor universitário, cumpre o quarto mandato e cumpre a função de vice-líder do PSDB na Câmara. Foi secretário de Recursos Humanos do governo Geraldo Alckmin.  

Moroni Torgan (PFL-CE) – Delegado da Polícia Federal, cumpre o terceiro mandato como deputado federal. Foi relator da CPI do Narcotráfico, cargo que o tornou conhecido

Carlos Sampaio (PSDB-SP) – Promotor de Justiça, cumpre o primeiro mandato de deputado federal. Foi vereador em Campinas e deputado estadual. Foi relator das CPIs paulistas do Narcotráfico e dos Presídios.

Angela Guadagnin (PT-SP) – Médica em segundo mandato. Ex-prefeita de São José dos Campos entre 1996 e 1996. Pediu vistas ao processo do Conselho de Ética que recomenda a cassação do deputado José Dirceu (PT-SP).

Orlando Fantazzini (P-SOL-SP) – Advogado, cumpre o segundo mandato como deputado federal. Foi vereador por três vezes em Guarulhos. Deixou o PT e filiou-se recentemente ao P-SOL. É um defensor dos direitos humanos e dos trabalhadores sem terra.

Chico Alencar (P-SOL-RJ) – Professor, cumpre o primeiro mandato como deputado federal como um dos expoentes da esquerda no Congresso. Foi vereador e deputado estadual no Rio, além de líder de movimentos populares. É mais um ex-petista que aderiu ao Psol.  

Nelson Trad (PMDB-MS) – Advogado e professor, cumpre o quarto mandato como deputado federal. Ex-PDS, define-se como social-democrata e de centro. Foi secretário estadual de Justiça. É muito ativo no plenário e nas articulações políticas. Já ocupou a segunda secretaria da Mesa Diretora da Câmara.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Relator aliado ao governo Lula garante sobrevida para Luizinho

Roney Domingos
Do Diário do Grande ABC

19/10/2005 | 08:11


O deputado federal Pedro Canedo (PP-GO) entrou quase por acaso no destino do deputado Luiz Carlos da Silva, o Professor Luizinho (PT-Santo André). Caberá a Canedo, aliado do governo, preparar o relatório final que poderá indicar a perda de mandato ou a absolvição do petista, ex-líder do Planalto na Câmara. Canedo afirma que Luizinho terá pela frente um relator "sereno" em vez de um algoz "rigoroso, exigente, teatral." Testemunha de defesa de Sandro Mabel (PL-GO) – que enfrenta processo de cassação por ter supostamente oferecido dinheiro em troca do ingresso da deputada Raquel Teixeira (PSDB-GO) no PL –, Canedo diz que sua atuação nesse episódio não compromete sua autonomia como relator.

No sorteio dos relatores dos 11 processos (veja arte e perfis nesta página) que correm no Conselho de Ética, feito nesta terça-feira sob a preocupação de não permitir vínculos entre acusador e acusado, Canedo caiu com Luizinho. Da mesma forma que o presidente do PP, José Janene, caiu com a petista Ângela Guadagnin (SP), a ex-prefeita de São José dos Campos que recebeu fortes críticas da oposição depois que pediu vistas ao processo de cassação que corre contra o deputado José Dirceu (acusado pelo PTB de Roberto Jefferson de ferir o decoro) no mesmo Conselho de Ética.

Canedo nem faz parte do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, mas foi chamado a integrar o time de relatores depois que alguns dos titulares abriram mão da tarefa. Diante de três vagas, o presidente do Conselho Ricardo Izar (PTB-SP) convidou Canedo, Mendes Thame (PSDB-SP) e Moroni Torgan (PFL–CE).

Coincidência ou não, apenas sete dos 11 parlamentares acusados pelas CPMIs dos Correios e do Mensalão de receber dinheiro do empresário Marcos valério caíram de fato nas mãos de adversários no Conselho de Ética, consideradas as siglas que estão em jogo. José Mentor (SP) será relatado por Edmar Moreira (PFL-MG), João Magno (MG) por Jairo Carneiro (PFL-BA) e Josias Gomes (BA) por Mendes Thame (PSDB-SP). Ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP) terá como relator Cézar Schirmer (PMDB-RS), um ex-líder estudantil capaz de aliar-se ao PC do B para enfrentar Tarso Genro em Porto Alegre.

Pedro Henry (PP-MT) e Wanderval Santos (PL-SP) deverão enfrentar duros relatores. São eles, respectivamente, Orlando Fantazzini (P-SOL-SP) e Chico Alencar (P-SOL-SP). Embora estejam em silgas diferentes, os acusados Vadão Gomes (PP-SP) e Pedro Corrêa (PP-PE) integram o mesmo espectro político de seus relatores, Moroni Torgan (PFL–CE) e Carlos Sampaio (PSDB-SP).

Como funciona – Os 11 parlamentares acusados pelas CPMIs dos Correios e do Mensalão de receber dinheiro do publicitário Marcos Valério terão cinco sessões para apresentar defesa e testemunhas. O Conselho de Ética tem prazo de 90 dias a partir desta terça-feira para encerrar as investigações e apontar os culpados. A decisão sobre a punição depende da Mesa Diretora da Câmara. Se o Conselho decidir pela cassação, o pedido tem de ser aprovado por 257 deputado em sessão secreta.

Quem são eles:

Pedro Canedo (PP-GO) – Empresário e médico oftalmologista, cumpre o quatro mandato federal. Parlamentar de perfil essencialmente governista, foi assessor do Ministério da Saúde durante o governo Collor. Já pertenceu a PDS, PFL, PRN, PP, PL e PSDB. Foi testemunha de defesa de Sandro Mabel (PP-GO) que enfrenta processo de cassação.

Cézar Schirmer (PMDB-RS) – Advogado e professor universitário, está no segundo mandato federal. Foi líder estudantil e deputado estadual por cinco vezes. Fez aliança com o PC do B para vencer Tarso Genro em Porto Alegre.

Edmar Moreira (PFL-MG) – Empresário rural, advogado e capitão da reserva da PM de Minas Gerais, cumpre o terceiro mandato. Também foi integrante da tropa de choque do governo Collor. É membro das comissões de Constituição e Justiça, Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado.

Jairo Carneiro (PFL-BA) – Advogado, professor e um dos principais proprietários de haras na Bahia, cumpre o quinto mandato parlamentar. Foi presidente da Comissão Especial que analisou a PEC da Reforma do Judiciário.

Mendes Thame (PSDB-SP) – Professor universitário, cumpre o quarto mandato e cumpre a função de vice-líder do PSDB na Câmara. Foi secretário de Recursos Humanos do governo Geraldo Alckmin.  

Moroni Torgan (PFL-CE) – Delegado da Polícia Federal, cumpre o terceiro mandato como deputado federal. Foi relator da CPI do Narcotráfico, cargo que o tornou conhecido

Carlos Sampaio (PSDB-SP) – Promotor de Justiça, cumpre o primeiro mandato de deputado federal. Foi vereador em Campinas e deputado estadual. Foi relator das CPIs paulistas do Narcotráfico e dos Presídios.

Angela Guadagnin (PT-SP) – Médica em segundo mandato. Ex-prefeita de São José dos Campos entre 1996 e 1996. Pediu vistas ao processo do Conselho de Ética que recomenda a cassação do deputado José Dirceu (PT-SP).

Orlando Fantazzini (P-SOL-SP) – Advogado, cumpre o segundo mandato como deputado federal. Foi vereador por três vezes em Guarulhos. Deixou o PT e filiou-se recentemente ao P-SOL. É um defensor dos direitos humanos e dos trabalhadores sem terra.

Chico Alencar (P-SOL-RJ) – Professor, cumpre o primeiro mandato como deputado federal como um dos expoentes da esquerda no Congresso. Foi vereador e deputado estadual no Rio, além de líder de movimentos populares. É mais um ex-petista que aderiu ao Psol.  

Nelson Trad (PMDB-MS) – Advogado e professor, cumpre o quarto mandato como deputado federal. Ex-PDS, define-se como social-democrata e de centro. Foi secretário estadual de Justiça. É muito ativo no plenário e nas articulações políticas. Já ocupou a segunda secretaria da Mesa Diretora da Câmara.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;