Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Alencar diz que juros altos empobrecem o país


Do Diário OnLine
Com Agências

28/11/2005 | 11:50


O vice-presidente da República, José Alencar, voltou a criticar a política econômica do governo Lula nesta segunda-feira, em evento na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Para o empresário, o Brasil vive "há muitos anos" um processo de desindustrialização e empobrecimento devido à alta taxa de juros.

"Desindustrialização significa escassez de oportunidades de trabalho. E nós estamos há muitos anos assistindo a um processo de desindustrialização", reclamou. Mais uma vez, Alencar defendeu a mudança da política econômica e avaliou que o fortalecimento da indústria seria a melhor forma para proporcionar a retomada do crescimento.

"A grande razão brasileira da desindustrialização prematura tem sido o regime de juros que tomou conta do Brasil", disse Alencar. Para o vice-presidente, no Brasil, as atividades econômicas não têm tido condições de remunerar os custos de capital. "Todos sabem que o capital é apenas um dos fatores de produção. Há os outros fatores que também precisam ser remunerados, a começar pelo trabalho, pessimamente remunerado no Brasil".

Para Alencar, o pedido para que a taxa de juros caia não é irresponsabilidade fiscal, mas de anseio pela retomada do crescimento econômico. "Quando falo em mudança dessa economia, mudança dessa política monetária, não significa mudança para adotar a irresponsabilidade fiscal. Eu entendo por responsabilidade fiscal, a responsabilidade orçamentária, equilíbrio orçamentário. Nós não estamos praticando responsabilidade fiscal, ao contrário, temos administrado uma irresponsabilidade fiscal. Porque temos construído um déficit que faz crescer a nossa dívida".

O vice-presidente também se posicionou a favor da queda da Taxa de Juros de Longo Prazo, adotada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) nos financiamentos às empresas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alencar diz que juros altos empobrecem o país

Do Diário OnLine
Com Agências

28/11/2005 | 11:50


O vice-presidente da República, José Alencar, voltou a criticar a política econômica do governo Lula nesta segunda-feira, em evento na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Para o empresário, o Brasil vive "há muitos anos" um processo de desindustrialização e empobrecimento devido à alta taxa de juros.

"Desindustrialização significa escassez de oportunidades de trabalho. E nós estamos há muitos anos assistindo a um processo de desindustrialização", reclamou. Mais uma vez, Alencar defendeu a mudança da política econômica e avaliou que o fortalecimento da indústria seria a melhor forma para proporcionar a retomada do crescimento.

"A grande razão brasileira da desindustrialização prematura tem sido o regime de juros que tomou conta do Brasil", disse Alencar. Para o vice-presidente, no Brasil, as atividades econômicas não têm tido condições de remunerar os custos de capital. "Todos sabem que o capital é apenas um dos fatores de produção. Há os outros fatores que também precisam ser remunerados, a começar pelo trabalho, pessimamente remunerado no Brasil".

Para Alencar, o pedido para que a taxa de juros caia não é irresponsabilidade fiscal, mas de anseio pela retomada do crescimento econômico. "Quando falo em mudança dessa economia, mudança dessa política monetária, não significa mudança para adotar a irresponsabilidade fiscal. Eu entendo por responsabilidade fiscal, a responsabilidade orçamentária, equilíbrio orçamentário. Nós não estamos praticando responsabilidade fiscal, ao contrário, temos administrado uma irresponsabilidade fiscal. Porque temos construído um déficit que faz crescer a nossa dívida".

O vice-presidente também se posicionou a favor da queda da Taxa de Juros de Longo Prazo, adotada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) nos financiamentos às empresas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;