Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Dois ladrões morrem em troca de tiros com a Rota


Rogério Gatti
Do Diário do Grande ABC

27/07/2007 | 07:07


Dois ladrões foram mortos por policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) na noite desta quarta, em São Caetano. Eles haviam roubado um carro na Capital e acabaram sendo perseguidos pela Polícia Militar durante a fuga.

A dupla cometeu o crime por volta das 22h no cruzamento das avenidas Juntas Provisórias com a Lord Cockrane. A vendedora M.M.L., 31 anos, dava carona para dois amigos em seu Uno Mille ano 1992 quando foi abordada no sinal. Armados, os bandidos obrigaram os três a descerem do carro. “O meu amigo que estava no banco de trás ficou paralisado de medo. Os ladrões começaram a chutar e xingar, ameaçando com a arma. Foi horrível”, contou a vendedora.

De posse do veículo, os dois fugiram em direção à Avenida Almirante Dellamare. quando deram de cara com uma viatura da Rota. Ao todo, os ladrões não ficaram nem 10 minutos com o carro da vítima.

Os PMs desconfiaram do Uno em alta velocidade e começou a perseguição. Os ladrões entraram na Avenida Guido Aliberti, já em São Caetano, perderam o controle do carro, que bateu em um poste.

Segundo a polícia, os dois desceram do carro e dispararam sete tiros contra os PMs, que revidaram. Atingidos, os ladrões foram levados para o Hospital Heliópolis, onde não resistiram aos ferimentos e morreram.

Com os ladrões foram encontrados dois revólveres calibre 38. Até a tarde de ontem, apenas um deles havia sido identificado: André de Barros, 21 anos.

O veículo foi devolvido à vendedora na mesma noite. “Nem acredito que peguei o carro de volta. Não tenho seguro, trabalho como vendedora para pagar um curso de enfermagem, não sei o que faria sem o carro”, contou M., que ainda não sabia quanto gastaria para arrumar a frente do Uno Mille, que amassou devido à colisão.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dois ladrões morrem em troca de tiros com a Rota

Rogério Gatti
Do Diário do Grande ABC

27/07/2007 | 07:07


Dois ladrões foram mortos por policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) na noite desta quarta, em São Caetano. Eles haviam roubado um carro na Capital e acabaram sendo perseguidos pela Polícia Militar durante a fuga.

A dupla cometeu o crime por volta das 22h no cruzamento das avenidas Juntas Provisórias com a Lord Cockrane. A vendedora M.M.L., 31 anos, dava carona para dois amigos em seu Uno Mille ano 1992 quando foi abordada no sinal. Armados, os bandidos obrigaram os três a descerem do carro. “O meu amigo que estava no banco de trás ficou paralisado de medo. Os ladrões começaram a chutar e xingar, ameaçando com a arma. Foi horrível”, contou a vendedora.

De posse do veículo, os dois fugiram em direção à Avenida Almirante Dellamare. quando deram de cara com uma viatura da Rota. Ao todo, os ladrões não ficaram nem 10 minutos com o carro da vítima.

Os PMs desconfiaram do Uno em alta velocidade e começou a perseguição. Os ladrões entraram na Avenida Guido Aliberti, já em São Caetano, perderam o controle do carro, que bateu em um poste.

Segundo a polícia, os dois desceram do carro e dispararam sete tiros contra os PMs, que revidaram. Atingidos, os ladrões foram levados para o Hospital Heliópolis, onde não resistiram aos ferimentos e morreram.

Com os ladrões foram encontrados dois revólveres calibre 38. Até a tarde de ontem, apenas um deles havia sido identificado: André de Barros, 21 anos.

O veículo foi devolvido à vendedora na mesma noite. “Nem acredito que peguei o carro de volta. Não tenho seguro, trabalho como vendedora para pagar um curso de enfermagem, não sei o que faria sem o carro”, contou M., que ainda não sabia quanto gastaria para arrumar a frente do Uno Mille, que amassou devido à colisão.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;