Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Galileu diverte para comunicar

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Peça em cartaz em São Paulo tem atriz Denise
Fraga na pele do personagem de Bertold Brecht


Miriam Gimenes

22/06/2015 | 07:00


 “A verdade é filha do tempo e não da autoridade”. Galileu Galilei, físico, matemático, astrólogo e filósofo italiano sabia do que estava falando. Ele, que descobriu e propagou a ideia de que o Sol era o centro do universo e a Terra girava ao redor dele – ao contrário do que se pregava no século 17 –, foi perseguido pela Santa Inquisição e obrigado a negar suas ideias publicamente. Foram necessários três séculos após sua morte para a igreja pedir desculpas pelo seu julgamento e decidir pela absolvição.

E é a história deste gênio italiano que Denise Fraga e grande elenco contam, sob a ótica de Bertold Brecht, no Teatro Tuca (Rua Monte Alegre, 1024), em São Paulo, até 30 de agosto. A direção é assinada por Cibele Forjaz. O autor dá seu recado no texto do espetáculo. “Adoro o Brecht, porque ele fala sempre em divertir para comunicar. Gosto quando faço alguém rir e refletir. A pessoa sai do teatro e leva para casa uma pulguinha atrás da orelha. Ele tem essa capacidade de fazer você olhar para sua vida”, diz Denise ao Diário. A atriz adorou a ideia de contar a história de um gênio e, ao mesmo tempo, divertir o público. “Não é um papel óbvio para mim. Não consigo mais fazer só a graça pela graça. Acho o humor um veículo de comunicação incrível, com ele você faz uma pessoa compreender uma ideia.”

Uma das coisas que mais chamou sua atenção foi o fato de que, embora ele estivesse certo da informação que estava pregando, teve de se virar para fugir da fogueira da Inquisição. “Quantos de nós precisamos negar o que nos parece óbvio para sobreviver? Quanto sapos temos de engolir para não perder emprego, para agradar fulano e ciclano? E o que é mais legal: ele propõe uma reflexão de como você pode conseguir achar uma brecha para estar em dia com você mesmo. Não olhar no espelho e falar, no fim da sua vida, quem é essa pessoa?”. Ajuda, assim, a aceitar as tais leis de sobrevivência.

Assim, Denise sente-se realizada. “(As pessoas) Devem ir ao teatro, se divertir e sair de lá pensando em viver melhor. Fico feliz quando faço meu trabalho e ajudo alguém a ir melhor para o escritório na segunda-feira.” Ela divide essa ‘missão’ com Ary França, Rodrigo Pandolfo, Lúcia Romano, Maristela Chelala, Vanderlei Bernardino, Jackie Obrigon, Luís Mármora, Silvio Restiffe e Théo Werneck – como ator e músico.

O espetáculo é apresentado toda sexta, sábado, às 21h, e, aos domingos, às 19h. De sexta o ingresso custa R$ 50 e durante o fim de semana R$ 70. Ele pode sem comprado no site www.ingressorapido.com.br. Mais informações no telefone 4003-1212.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;