Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Morar sozinho exige planejamento


Audrey Bertho*

23/11/2009 | 07:00


Dar satisfação para os pais, enfrentar brigas constantes pela falta de arrumação no quarto do "jeito certo"... É, na sua adolescência não faltaram motivos para sair de baixo da asa familiar e buscar a sonhada independência na sua casa.

Você não estava sozinho nessa. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 10% dos domicílios brasileiros são habitados por um morador. Ou seja, são 4 milhões de pessoas morando sozinhas.

Mas quem pensava que era só dar esse passo e ter os problemas resolvidos se enganou: morar sozinho tem seus problemas e não são poucos! E para cuidar desses problemas é imprescindível uma espécie de "guia de sobrevivência" dedicado exclusivamente a quem deseja morar só.

Querer morar sozinho não basta, afinal, tudo tem o seu preço, não é? E se você não se planejar pode sofrer um descontrole financeiro.

Conforme pesquisa divulgada pela empresa de crédito no varejo Telecheque, em 2007, cerca de 42% dos jovens entre 21 anos e 30 anos estão inadimplentes.

Haja vista que será necessário uma ajuda dos pais na hora de liquidar as dívidas. Porém, não tomar o devido cuidado com os débitos vai contra a ideia inicial: a grande independência.

Por isso é importante ressaltar que não existe uma quantia certa de salário que você deve ter para morar só: você pode ganhar um salário mínimo, ou menos que o piso salarial de direito dos brasileiros, e conseguir se virar com as despesas, assim como pode contar com um salário bem alto para isso.

E é claro que seus gastos vão mudar de acordo com o que ganha. Suas compras vão mudar de acordo com o que gosta. Mas o que pretendemos aqui é fazer um planejamento médio das coisas com as quais se deve pesar antes de tomar essa iniciativa. Esse impulso imediato pode sair caro se não houver planejamento.

Criatividade e improviso ajudam na decoração interior
A geladeira que sua mãe acabou de trocar, o fogão que está encostado na casa da tia, ainda funcionando, são soluções na hora de mobiliar a casa. Se você vai precisar mesmo comprar essas coisas, então uma dica é ficar de olho nessas promoções que enchem nossos olhos. Prestações em grandes períodos são dívidas constantes e precisam ser colocadas na balança. Além do mais, muitas vezes pagamos o triplo do valor que o produto custaria à vista ou em parcelas menores em outro lugar. A internet é uma boa aliada nesse ponto. É possível fazer comparação de preço em vários lugares diferentes sentado numa cadeira.

Outra coisa legal são lojinhas que vendem coisas baratas. É possível encontrar objetos interessantes de decoração em casas de R$1,99, que às vezes custam um pouquinho (mas só um pouquinho mesmo) mais caro que isso.

Usar a criatividade também deixará a casa com a sua cara e ajudará a economizar bastante como a representante comercial Sandra Mara Cavalcanti Pereira, 45 anos, que montou seu espaço de um jeito muito peculiar. "O armário é velho. Eu é que pintei e reformei. As coisas que eu comprei eu vi numa loja de coisas antigas e fui fazendo. Usei a criatividade", diz.

É necessário ter um fogão, uma geladeira e uma cama. Quanto aos detalhes, os álbuns de fotos e principalmente porta-retratos são de grande valia na vida de quem mora só. Além disso, segundo a socióloga Lilibeth Cardoso, decorar a casa a sua maneira poderá trazer alegria ao seu novo lar. "Morar sozinho significa que você está construindo o seu casulo, o seu cantinho. Bote uma flor na jarra, compre uma planta; traz vida pra dentro da sua casa porque ela é a sua vida agora. Toda casa tem que ter alma", completa.

Análise da moradia é ponto primordial antes de comprar
O primeiro passo para encontrar a casa perfeita é sem dúvida pesquisar uma localização adequada. Se você não gosta de barulho não adianta se mudar para a Av. Paulista. E da mesma forma não vai gostar de morar numa cidade típica interiorana se a calmaria te deixa entediado.

É preciso pensar no lugar onde você trabalha. Se você usa transporte público o ideal é que escolha uma casa próxima ao serviço rodoviário, metroviário e de forma que chegue ao seu destino da maneira mais rápida e barata.

Depois é importante verificar o estado em que a casa se encontra, afinal, se ela for super barata, mas estiver precisando de reformas urgentes, então são mais gastos. Verifique os encanamentos, água e esgoto, rachaduras na parede podem indicar um mau serviço de engenharia e consequentemente podem colocar sua segurança em risco. Qual a voltagem elétrica? Às vezes você já tem uma porção de eletrodomésticos e eletrônicos para 110 volts, mas as instalações estão todas em 220 volts. Outra coisa importante é o chuveiro: se ele for alto demais, talvez você necessite de uma escada; trocando em miúdos: mais um gasto e mais espaço será necessário. Aliás, espaço é outro ponto: quem mora só normalmente não precisa mesmo de muito espaço, mas vale lembrar que um apartamento-estúdio, pequeníssimo e ideal para uma única pessoa, normalmente sai mais caro do que um de dois quartos. Por quê? As construtoras investem muito pouco nesse tipo de moradia e esse é o principal motivo de custarem um preço alto.

O diretor da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), Luiz Paulo Pompéia, chama a atenção das construtoras para o fato. "Nós estamos há quase 5 anos sem orçamentos de flats e alguns locais da cidade mereceriam uma visão. Olhar mais um pouco esse segmento que cairia também dentro de parte do seu produto de análise".

Escolher um local pequeno e barato pode ser uma boa opção, como fez a jornalista Paula Soraia Rodrigues, que logo que saiu de casa foi morar em uma quitinete. "Antes eu morava em uma casa bem grande. Então fui parar em um lugar que era praticamente um cômodo só. Quem conhece quitinete sabe como é. A minha, por incrível que pareça, tinha uma divisoriazinha que separava onde eu dormia da sala", conta.

Administrar o orçamento ajuda na hora de liquidar dívidas
Se for seu salário que terá que fazer o milagre no fim do mês, vamos lá! Você vai pagar aluguel, comprar uma casa, a sua tia emprestou o apartamento dela? Tem os débitos do condomínio, IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), precisa de alguma reforma? Você tem carro? Coloque num papel quanto gasta com gasolina, com o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), manutenção. Quanto estima que irá gastar com água, luz?

O estudante e técnico em aplicações, William Sant'Anna, 23 anos, que morou sozinho por dois anos, hoje, mesmo dividindo apartamento com um amigo, procura controlar os gastos. "Eu criei uma planilha onde coloco todos os meus gastos, faço previsões das contas futuras, jogo nelas o meu salário e aí obtenho o quanto posso gastar e o que não posso. E assim, controlo o meu orçamento, faço uma estimativa, faço uma média das contas e depois coloco uma margem de erro e faço previsões ao longo do ano pra saber como ajustar meu orçamento", diz.

Desperdício é controlado com receitas simples
É recente uma preocupação do mercado em fabricar produtos com embalagens menores para quem mora sozinho, mas infelizmente nem todo o setor alimentício acordou para isso: ainda se estragam muitos alimentos.

Mas isso não é desculpa para se alimentar mal. Quem mora só pode substituir o leite comum por leite em pó, ou escolher uma fruta para a semana. Se vai comprar maçãs, esqueça as peras e as laranjas. Cuidado com uvas e bananas: é só você quem vai consumi-las!

E se você comprou rúcula consuma ela até acabar e só depois pense em fazer a feira de novo. A aposentada Ana Lopes Molina, 74 anos, adora cozinhar e também tem um truque infalível para evitar o desperdício. "Eu congelo tudo de potinho e não estraga", diz.

Animais de estimação compensam a falta de amizade ou familiares
Uma queixa de quem mora sozinho é que de vez em quando bate uma solidão. Sentimento normal, afinal a solidão não é uma exclusividade de quem mora só. Todos já tiveram que recorrer a uma leitura ou aos filmes debaixo das cobertas para compensar a falta de alguém.

Quem mora só não precisa ser solitário. Aquela agendinha com o telefone dos seus amigos está ali pra essas horas também. Que tal sair pra dar uma volta ou convidá-los pra jantar na sua casa?

Que tal um animal de estimação? Os gatos são recomendados, já que são bem independentes e vão ficar bem se você passar o dia fora. Mas não esqueça quem terá que cuidar dele, alimentando, vacinando, mantendo sua higiene e dando atenção.  

*O conteúdo editorial desta página é de inteira responsabilidade da Universidade de São Caetano do Sul, com supervisão editorial dos jornalistas Eduardo Borga e Nelson Tucci, da Comunicação da USCS



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morar sozinho exige planejamento

Audrey Bertho*

23/11/2009 | 07:00


Dar satisfação para os pais, enfrentar brigas constantes pela falta de arrumação no quarto do "jeito certo"... É, na sua adolescência não faltaram motivos para sair de baixo da asa familiar e buscar a sonhada independência na sua casa.

Você não estava sozinho nessa. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 10% dos domicílios brasileiros são habitados por um morador. Ou seja, são 4 milhões de pessoas morando sozinhas.

Mas quem pensava que era só dar esse passo e ter os problemas resolvidos se enganou: morar sozinho tem seus problemas e não são poucos! E para cuidar desses problemas é imprescindível uma espécie de "guia de sobrevivência" dedicado exclusivamente a quem deseja morar só.

Querer morar sozinho não basta, afinal, tudo tem o seu preço, não é? E se você não se planejar pode sofrer um descontrole financeiro.

Conforme pesquisa divulgada pela empresa de crédito no varejo Telecheque, em 2007, cerca de 42% dos jovens entre 21 anos e 30 anos estão inadimplentes.

Haja vista que será necessário uma ajuda dos pais na hora de liquidar as dívidas. Porém, não tomar o devido cuidado com os débitos vai contra a ideia inicial: a grande independência.

Por isso é importante ressaltar que não existe uma quantia certa de salário que você deve ter para morar só: você pode ganhar um salário mínimo, ou menos que o piso salarial de direito dos brasileiros, e conseguir se virar com as despesas, assim como pode contar com um salário bem alto para isso.

E é claro que seus gastos vão mudar de acordo com o que ganha. Suas compras vão mudar de acordo com o que gosta. Mas o que pretendemos aqui é fazer um planejamento médio das coisas com as quais se deve pesar antes de tomar essa iniciativa. Esse impulso imediato pode sair caro se não houver planejamento.

Criatividade e improviso ajudam na decoração interior
A geladeira que sua mãe acabou de trocar, o fogão que está encostado na casa da tia, ainda funcionando, são soluções na hora de mobiliar a casa. Se você vai precisar mesmo comprar essas coisas, então uma dica é ficar de olho nessas promoções que enchem nossos olhos. Prestações em grandes períodos são dívidas constantes e precisam ser colocadas na balança. Além do mais, muitas vezes pagamos o triplo do valor que o produto custaria à vista ou em parcelas menores em outro lugar. A internet é uma boa aliada nesse ponto. É possível fazer comparação de preço em vários lugares diferentes sentado numa cadeira.

Outra coisa legal são lojinhas que vendem coisas baratas. É possível encontrar objetos interessantes de decoração em casas de R$1,99, que às vezes custam um pouquinho (mas só um pouquinho mesmo) mais caro que isso.

Usar a criatividade também deixará a casa com a sua cara e ajudará a economizar bastante como a representante comercial Sandra Mara Cavalcanti Pereira, 45 anos, que montou seu espaço de um jeito muito peculiar. "O armário é velho. Eu é que pintei e reformei. As coisas que eu comprei eu vi numa loja de coisas antigas e fui fazendo. Usei a criatividade", diz.

É necessário ter um fogão, uma geladeira e uma cama. Quanto aos detalhes, os álbuns de fotos e principalmente porta-retratos são de grande valia na vida de quem mora só. Além disso, segundo a socióloga Lilibeth Cardoso, decorar a casa a sua maneira poderá trazer alegria ao seu novo lar. "Morar sozinho significa que você está construindo o seu casulo, o seu cantinho. Bote uma flor na jarra, compre uma planta; traz vida pra dentro da sua casa porque ela é a sua vida agora. Toda casa tem que ter alma", completa.

Análise da moradia é ponto primordial antes de comprar
O primeiro passo para encontrar a casa perfeita é sem dúvida pesquisar uma localização adequada. Se você não gosta de barulho não adianta se mudar para a Av. Paulista. E da mesma forma não vai gostar de morar numa cidade típica interiorana se a calmaria te deixa entediado.

É preciso pensar no lugar onde você trabalha. Se você usa transporte público o ideal é que escolha uma casa próxima ao serviço rodoviário, metroviário e de forma que chegue ao seu destino da maneira mais rápida e barata.

Depois é importante verificar o estado em que a casa se encontra, afinal, se ela for super barata, mas estiver precisando de reformas urgentes, então são mais gastos. Verifique os encanamentos, água e esgoto, rachaduras na parede podem indicar um mau serviço de engenharia e consequentemente podem colocar sua segurança em risco. Qual a voltagem elétrica? Às vezes você já tem uma porção de eletrodomésticos e eletrônicos para 110 volts, mas as instalações estão todas em 220 volts. Outra coisa importante é o chuveiro: se ele for alto demais, talvez você necessite de uma escada; trocando em miúdos: mais um gasto e mais espaço será necessário. Aliás, espaço é outro ponto: quem mora só normalmente não precisa mesmo de muito espaço, mas vale lembrar que um apartamento-estúdio, pequeníssimo e ideal para uma única pessoa, normalmente sai mais caro do que um de dois quartos. Por quê? As construtoras investem muito pouco nesse tipo de moradia e esse é o principal motivo de custarem um preço alto.

O diretor da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), Luiz Paulo Pompéia, chama a atenção das construtoras para o fato. "Nós estamos há quase 5 anos sem orçamentos de flats e alguns locais da cidade mereceriam uma visão. Olhar mais um pouco esse segmento que cairia também dentro de parte do seu produto de análise".

Escolher um local pequeno e barato pode ser uma boa opção, como fez a jornalista Paula Soraia Rodrigues, que logo que saiu de casa foi morar em uma quitinete. "Antes eu morava em uma casa bem grande. Então fui parar em um lugar que era praticamente um cômodo só. Quem conhece quitinete sabe como é. A minha, por incrível que pareça, tinha uma divisoriazinha que separava onde eu dormia da sala", conta.

Administrar o orçamento ajuda na hora de liquidar dívidas
Se for seu salário que terá que fazer o milagre no fim do mês, vamos lá! Você vai pagar aluguel, comprar uma casa, a sua tia emprestou o apartamento dela? Tem os débitos do condomínio, IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), precisa de alguma reforma? Você tem carro? Coloque num papel quanto gasta com gasolina, com o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), manutenção. Quanto estima que irá gastar com água, luz?

O estudante e técnico em aplicações, William Sant'Anna, 23 anos, que morou sozinho por dois anos, hoje, mesmo dividindo apartamento com um amigo, procura controlar os gastos. "Eu criei uma planilha onde coloco todos os meus gastos, faço previsões das contas futuras, jogo nelas o meu salário e aí obtenho o quanto posso gastar e o que não posso. E assim, controlo o meu orçamento, faço uma estimativa, faço uma média das contas e depois coloco uma margem de erro e faço previsões ao longo do ano pra saber como ajustar meu orçamento", diz.

Desperdício é controlado com receitas simples
É recente uma preocupação do mercado em fabricar produtos com embalagens menores para quem mora sozinho, mas infelizmente nem todo o setor alimentício acordou para isso: ainda se estragam muitos alimentos.

Mas isso não é desculpa para se alimentar mal. Quem mora só pode substituir o leite comum por leite em pó, ou escolher uma fruta para a semana. Se vai comprar maçãs, esqueça as peras e as laranjas. Cuidado com uvas e bananas: é só você quem vai consumi-las!

E se você comprou rúcula consuma ela até acabar e só depois pense em fazer a feira de novo. A aposentada Ana Lopes Molina, 74 anos, adora cozinhar e também tem um truque infalível para evitar o desperdício. "Eu congelo tudo de potinho e não estraga", diz.

Animais de estimação compensam a falta de amizade ou familiares
Uma queixa de quem mora sozinho é que de vez em quando bate uma solidão. Sentimento normal, afinal a solidão não é uma exclusividade de quem mora só. Todos já tiveram que recorrer a uma leitura ou aos filmes debaixo das cobertas para compensar a falta de alguém.

Quem mora só não precisa ser solitário. Aquela agendinha com o telefone dos seus amigos está ali pra essas horas também. Que tal sair pra dar uma volta ou convidá-los pra jantar na sua casa?

Que tal um animal de estimação? Os gatos são recomendados, já que são bem independentes e vão ficar bem se você passar o dia fora. Mas não esqueça quem terá que cuidar dele, alimentando, vacinando, mantendo sua higiene e dando atenção.  

*O conteúdo editorial desta página é de inteira responsabilidade da Universidade de São Caetano do Sul, com supervisão editorial dos jornalistas Eduardo Borga e Nelson Tucci, da Comunicação da USCS

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;