Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Faculdade cria exame que terá baixo custo

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Técnica da FMABC para diagnosticar câncer de mama é 85% mais barata; patente foi solicitada


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

15/06/2015 | 07:00


Técnica pioneira de perfilhamento genético do câncer de mama, desenvolvida por pesquisadores da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC), possibilitará oferecer às pacientes exame pelo valor de R$ 1.200, quando o procedimento mais conhecido do gênero – o Oncotype DX – disponível no País em poucos serviços particulares, custa aproximadamente R$ 9.000. A queda de preço será de 85%.

Artigo referente ao estudo, que levou quatro anos para ser elaborado, acaba de ser publicado no periódico científico Tumor Biology, jornal oficial da Sociedade Internacional de Oncologia, e a patente para o método brasileiro já foi solicitada ao governo federal. “Mandamos projeto de validação para o Ministério da Saúde e ele está sendo apreciado. Trata-se de um teste genético para avaliar o risco de o câncer de mama voltar e dar à mulher o melhor tratamento, seja quimioterapia ou hormonioterapia”, explica o professor titular de Oncologia e Hematologia da FMABC e coordenador do estudo, Auro del Giglio, salientando que seria de grande importância que o exame fosse disponibilizado em larga escala, inclusive com incorporação pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e por operadoras de planos de Saúde privados.

Além dele, assinam também o estudo o coordenador do laboratório de análises clínicas da FMABC, Fernando Luiz Affonso Fonseca, e as pesquisadoras Beatriz Alves, Flavia de Souza e Renata Kuniyoshi.

Tanto a plataforma Oncotype quanto a nova técnica desenvolvida pela FMABC englobam a análise de 21 genes envolvidos em importantes processos ligados ao câncer de mama, como invasão tumoral, proliferação celular e vias relacionadas a receptores hormonais. “Deriva-se uma pontuação e a gente classifica a paciente em alto, médio ou baixo risco e se ela se beneficiaria de quimioterapia para prevenção do retorno da doença ou se a hormonioterapia traria melhor prognóstico”, disse o especialista.

A eficácia do novo exame foi comprovada a partir de estudo que incluiu 167 mulheres com carcinoma mamário em estágios 1, 2 e 3 e indicação de quimioterapia adjuvante (quando é administrada após um tratamento considerado definitivo). As pacientes foram encaminhadas para a pesquisa pelo Hospital Estadual Mário Covas, de Santo André, Hospital de Câncer de Barretos (Fundação Pio XII) e Hospital Israelita Albert Einstein. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Faculdade cria exame que terá baixo custo

Técnica da FMABC para diagnosticar câncer de mama é 85% mais barata; patente foi solicitada

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

15/06/2015 | 07:00


Técnica pioneira de perfilhamento genético do câncer de mama, desenvolvida por pesquisadores da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC), possibilitará oferecer às pacientes exame pelo valor de R$ 1.200, quando o procedimento mais conhecido do gênero – o Oncotype DX – disponível no País em poucos serviços particulares, custa aproximadamente R$ 9.000. A queda de preço será de 85%.

Artigo referente ao estudo, que levou quatro anos para ser elaborado, acaba de ser publicado no periódico científico Tumor Biology, jornal oficial da Sociedade Internacional de Oncologia, e a patente para o método brasileiro já foi solicitada ao governo federal. “Mandamos projeto de validação para o Ministério da Saúde e ele está sendo apreciado. Trata-se de um teste genético para avaliar o risco de o câncer de mama voltar e dar à mulher o melhor tratamento, seja quimioterapia ou hormonioterapia”, explica o professor titular de Oncologia e Hematologia da FMABC e coordenador do estudo, Auro del Giglio, salientando que seria de grande importância que o exame fosse disponibilizado em larga escala, inclusive com incorporação pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e por operadoras de planos de Saúde privados.

Além dele, assinam também o estudo o coordenador do laboratório de análises clínicas da FMABC, Fernando Luiz Affonso Fonseca, e as pesquisadoras Beatriz Alves, Flavia de Souza e Renata Kuniyoshi.

Tanto a plataforma Oncotype quanto a nova técnica desenvolvida pela FMABC englobam a análise de 21 genes envolvidos em importantes processos ligados ao câncer de mama, como invasão tumoral, proliferação celular e vias relacionadas a receptores hormonais. “Deriva-se uma pontuação e a gente classifica a paciente em alto, médio ou baixo risco e se ela se beneficiaria de quimioterapia para prevenção do retorno da doença ou se a hormonioterapia traria melhor prognóstico”, disse o especialista.

A eficácia do novo exame foi comprovada a partir de estudo que incluiu 167 mulheres com carcinoma mamário em estágios 1, 2 e 3 e indicação de quimioterapia adjuvante (quando é administrada após um tratamento considerado definitivo). As pacientes foram encaminhadas para a pesquisa pelo Hospital Estadual Mário Covas, de Santo André, Hospital de Câncer de Barretos (Fundação Pio XII) e Hospital Israelita Albert Einstein. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;