Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Tatuadora ganha reality show


Ângela Corrêa
Do Diário do Grande ABC

17/06/2008 | 07:04


Depois de se desentender com a equipe na segunda temporada do programa Miami Ink, a estilosa tatuadora Kat Von D retorna com seu próprio estúdio - e respectivo reality show - o Los Angeles Ink. O programa bateu a marca dos 2,8 milhões de telespectadores na primeira exibição nos Estados Unidos e estréia hoje, às 20h, como menina-dos-olhos da nova programação do canal pago People + Arts.

O High Voltage Tattoos é a concretização do sonho de Katherine Von Drachenberg, 26 anos, de ter seu próprio estúdio na Califórnia, onde foi criada (filha de pais argentinos, nasceu em Monterrey, no México). A particularidade do estabelecimento é a predominância feminina. Dos quatro tatuadores, três, incluindo a proprietária, são mulheres. Pixie Acia, amiga de Kat e garota-propaganda perfeita do negócio, é a administradora do salão.

A estrela do programa tatua profissionalmente há dez anos e é perita em retratos de pessoas e paisagens em preto e cinza. Já tatuou vários famosos, como alguns integrantes do Jackass e o baterista do Misfits, banda a qual homenageou aos 14 anos em sua primeira ‘arte corporal', feita por um amigo.

O clube da Luluzinha tatuada é completado por Hannah Aitchison e Kim Saigh, mais experientes e especialistas, respectivamente, no traço das pin-ups e imagens com movimento.

O único homem da turma é Corey Miller, espécie de mentor de Kat, já que faz retratos há mais de 25 anos. Seu diferencial é que, em lugar de estêncil, Miller desenha sobre a pele dos clientes.

O primeiro episódio mostra Kat correndo. Tem de tocar as obras do estabelecimento e convencer os três veteranos a juntar-se a ela em Hollywood: as moças trabalham em Chicago e Miller também em Los Angeles, mas hesita em largar o ponto. Os ‘personagens' são bem apresentados e, como na edição precursora, na Flórida, os clientes contam suas histórias.

Draminha também não falta: as obras estão atrasadas e Hannah e Kim estão prontas para começar a trabalhar. Como ficou evidente em Miami Ink, Kat pode até ser metaleira (suas estrelinhas nas têmporas foram inspiradas em Starry Eyes, música do Mötley Crüe), mas não consegue ser durona como o visual sugere, mesmo que seja para brigar com o empreiteiro enrolão.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;