Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Quando os animais aproveitam a noite

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Passeio noturno pelo zoológico de São Paulo revela hábitos diferentes de várias espécies


Caroline Ribeiro

31/05/2015 | 07:00


Muitas vezes, quando vamos ao zoológico, não conseguimos ver todos os animais. Alguns ficam escondidos e outros dormindo dentro de suas tocas. Isso acontece porque parte dessas criaturas da natureza tem o hábito de sair das casas e iniciar suas atividades, como caçar, somente durante o período da noite. Para dar aos visitantes a chance de ver os animais nesses horários um tanto quanto incomuns para visitas, a Fundação Parque Zoológico de São Paulo (Avenida Miguel Estéfano, 4.241. Tel.: 5073-0811) criou o Passeio Noturno, atividade guiada onde o público tem a oportunidade de conhecer melhor várias espécies que parecem preferir o céu escuro para iniciar seu dia. 
Durante o passeio, é possível ver animais como hipopótamos, tamanduás-bandeira, onças, leões, tigres, lobos e tigres-brancos animados, sendo alimentados pelos monitores e interagindo com as atividades montadas pela equipe que faz parte do chamado Programa de Enriquecimento Comportamental Animal, com conjunto de ações que tem como objetivo estimular os bichos a se sentirem mais confortáveis com o ambiente. A ideia é que tudo seja feito para que eles se sintam cada vez mais ‘em casa’, desenvolvendo assim comportamentos mais naturais e explorando melhor seus recintos dentro do zoológico.
Os animais de hábitos diurnos, casos de girafas e macacos, também acabam entrando na brincadeira, já que ficam curiosos e saem de suas casinhas para ver o que está acontecendo no canto do vizinho. Além disso, certos representantes da fauna nativa, entre eles gambás, corujas e morcegos, podem ser avistados passeando livremente pelo parque de vez em quando. 
Ao contrário das visitas comuns ao zoológico, não é sempre que o local abre os portões para passeios à noite. O calendário para esse tipo de atração é especial, ocorrendo a cada 15 dias (sempre às sextas-feiras) e em datas preestabelecidas pela instituição que toma conta do parque. É necessário fazer um agendamento prévio por telefone (5073-0811 ramal 2119) e as vagas para a atração no segundo semestre deste ano serão abertas a partir da primeira semana de junho. O valor do ingresso é de R$ 75 por pessoa, com crianças de 5 a 10 anos pagando R$ 55. Mais informações estão no site oficial da fundação (www.zoologico.com.br).

Escuridão ajuda a se sentirem seguros

Alguns animais preferem se esconder durante o dia e reservar suas atividades para noite, pois, em meio à escuridão, sentem-se mais seguros e protegidos. O objetivo é sobreviver à presença de grandes predadores, ativos principalmente durante o dia. 

Assim, com o passar do tempo e de acordo com as condições ambientais dos lugares onde vivem, desenvolveram certas habilidades especiais no comportamento noturno. Certos tipos de morcegos, por exemplo, apesar de terem boa visão, desenvolveram a ecolocalização como forma de se guiar no escuro e encontrar suas presas. Neste processo, eles emitem sons de alta frequência, milhares de ciclos acima da capacidade auditiva humana, através de sua boca ou narinas.

Zoológico conta com mais de 3.200 moradores 

O zoológico de São Paulo, aberto em 1958, conta com uma área de 824.529 m² de Mata Atlântica. Ele também comporta nascentes do Riacho do Ipiranga, onde se forma um lago que serve de casa para diversas aves, inclusive algumas espécies migratórias. A vegetação em volta também é moradia de bichinhos da fauna nativa, como bugios (um tipo de macaco), bichos-preguiça, tatu e tucanos-de-bico-verde, que vivem livremente. 

Atualmente, o local serve de casa para mais de 3.200 animais de diferentes espécies, entre aves, répteis, mamíferos, anfíbios e invertebrados. Ele abriga também animais raros, casos dos orangotangos, os rinocerontes-brancos e ararinha-azul-de-lear. A mais nova moradora é um filhote fêmea de girafa que nasceu no zoológico no dia 5.

O parque já recebeu mais de 85 milhões de visitantes desde sua abertura e tem média de 1,5 milhão de visitas por ano.

O preço dos ingressos varia conforme a idade do visitante: crianças até 5 anos têm entrada gratuita; jovens de 6 à 12 anos pagam R$ 10; e público acima de 12 anos e adultos paga R$ 25. O horário de funcionamento se estende de segunda à domingo, das 9h às 17h, incluindo feriados.

Consultoria de Flávia Taconi, da divisão de educação e difusão da Fundação Parque Zoológico de São Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;