Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Fundação Casa ameaça multar sindicato


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

09/05/2015 | 07:00


A Fundação Casa, que enfrenta greve dos agentes socioeducativos desde quinta-feira, afirmou ontem que caso o Sitraemfa (Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e à Família do Estado de São Paulo) não cumpra medida liminar de manter 70% do efetivo em operação, aplicará multa diária de R$ 100 mil. A decisão foi publicada na terça-feira pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 2ª Região.

A categoria, porém, mantém a greve e estima adesão de 95% dos trabalhadores. Segundo o presidente do Sitraemfa, Aldo Damião Antônio, o departamento jurídico já solicitou o cancelamento da liminar. “Muitas vezes, dependendo da unidade, não temos esse quadro de 70% dos funcionários nem em dias normais”, alfinetou.

Segundo Antônio, apesar da paralisação, os internos estão recebendo os devidos cuidados. “Alimentação, higienização e assistência médica estão sendo garantidas. Temos profissionais cuidando disso.”

A Fundação Casa informou que o atendimento aos adolescentes nos 148 centros socioeducativos se mantém dentro da rotina, sem prejuízo às atividades pedagógicas, ao atendimento de saúde e psicossocial e à alimentação e higiene.

Antônio afirmou que não teve conhecimento de funcionários obrigados a permanecer nas unidades, conforme o Diário denunciou na quinta-feira.

Os agentes reivindicam ajuste salarial de 28,31%, mais segurança e maior número de funcionários por unidade. Também é solicitado auxílio para filhos que têm necessidades especiais.

A instituição disse que a pauta está sendo analisada pelo governo do Estado, que sempre esteve aberto a negociações.

Na segunda-feira foi marcada reunião de conciliação no TRT. Após o encontro, os dirigentes vão levar as propostas aos demais trabalhadores em uma assembleia na sede do Sindicato dos Químicos, localizada no bairro Liberdade, na Capital.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fundação Casa ameaça multar sindicato

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

09/05/2015 | 07:00


A Fundação Casa, que enfrenta greve dos agentes socioeducativos desde quinta-feira, afirmou ontem que caso o Sitraemfa (Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e à Família do Estado de São Paulo) não cumpra medida liminar de manter 70% do efetivo em operação, aplicará multa diária de R$ 100 mil. A decisão foi publicada na terça-feira pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 2ª Região.

A categoria, porém, mantém a greve e estima adesão de 95% dos trabalhadores. Segundo o presidente do Sitraemfa, Aldo Damião Antônio, o departamento jurídico já solicitou o cancelamento da liminar. “Muitas vezes, dependendo da unidade, não temos esse quadro de 70% dos funcionários nem em dias normais”, alfinetou.

Segundo Antônio, apesar da paralisação, os internos estão recebendo os devidos cuidados. “Alimentação, higienização e assistência médica estão sendo garantidas. Temos profissionais cuidando disso.”

A Fundação Casa informou que o atendimento aos adolescentes nos 148 centros socioeducativos se mantém dentro da rotina, sem prejuízo às atividades pedagógicas, ao atendimento de saúde e psicossocial e à alimentação e higiene.

Antônio afirmou que não teve conhecimento de funcionários obrigados a permanecer nas unidades, conforme o Diário denunciou na quinta-feira.

Os agentes reivindicam ajuste salarial de 28,31%, mais segurança e maior número de funcionários por unidade. Também é solicitado auxílio para filhos que têm necessidades especiais.

A instituição disse que a pauta está sendo analisada pelo governo do Estado, que sempre esteve aberto a negociações.

Na segunda-feira foi marcada reunião de conciliação no TRT. Após o encontro, os dirigentes vão levar as propostas aos demais trabalhadores em uma assembleia na sede do Sindicato dos Químicos, localizada no bairro Liberdade, na Capital.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;