Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em Ribeirão, Leo da Apraespi acusa vereador de incitar greve


Caio dos Reis
Especial para o Diário

01/05/2015 | 07:00


Com novo horário e dia, a sessão da Câmara de Ribeirão Pires de ontem contou com ataques ao primeiro escalão do governo Saulo Benevides (PMDB). Ofício da secretária de Educação e vice-prefeita, Leo da Apraespi (PSC), foi o destaque.

O documento acusou o parlamentar Renato Foresto (PT) de incentivar as professoras da EM Maria Gomes do Pilar a fechar o instituição de ensino e ir protestar em frente ao prédio da Pasta na manhã de quarta-feira. A insatisfação das docentes ocorreu após o remanejamento da diretora da escola, que “foi feito por questões de gestão administrativa e é um direito conferido à Secretaria de Educação por lei”, segundo o documento. No ofício, Leo ainda alegou que ficou “constrangida e consternada com a situação dos pais e também da administração que foi injustamente exposta”.

A insatisfação de Renato Foresto e outros parlamentares com o documento se deu por conjunto de motivos. “Uma mãe me ligou na noite de terça-feira pedindo ajuda com essa questão. Fui justamente fazer o que qualquer outro parlamentar faria, tentar ajudar essa cidadã.”

O oposicionista foi defendido por boa parte da bancada de sustentação de Saulo na Casa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em Ribeirão, Leo da Apraespi acusa vereador de incitar greve

Caio dos Reis
Especial para o Diário

01/05/2015 | 07:00


Com novo horário e dia, a sessão da Câmara de Ribeirão Pires de ontem contou com ataques ao primeiro escalão do governo Saulo Benevides (PMDB). Ofício da secretária de Educação e vice-prefeita, Leo da Apraespi (PSC), foi o destaque.

O documento acusou o parlamentar Renato Foresto (PT) de incentivar as professoras da EM Maria Gomes do Pilar a fechar o instituição de ensino e ir protestar em frente ao prédio da Pasta na manhã de quarta-feira. A insatisfação das docentes ocorreu após o remanejamento da diretora da escola, que “foi feito por questões de gestão administrativa e é um direito conferido à Secretaria de Educação por lei”, segundo o documento. No ofício, Leo ainda alegou que ficou “constrangida e consternada com a situação dos pais e também da administração que foi injustamente exposta”.

A insatisfação de Renato Foresto e outros parlamentares com o documento se deu por conjunto de motivos. “Uma mãe me ligou na noite de terça-feira pedindo ajuda com essa questão. Fui justamente fazer o que qualquer outro parlamentar faria, tentar ajudar essa cidadã.”

O oposicionista foi defendido por boa parte da bancada de sustentação de Saulo na Casa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;