Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Reservas decepcionam e ficam no empate pela Copa do Brasil

Estadão Conteúdo  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sem criatividade, Verdão encontra resistência no Sampaio Corrêa, mas encaminha classificação


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

30/04/2015 | 07:00


Se o Palmeiras tinha intenção de mostrar força de seu time reserva e, consequentemente do elenco, deixou o Estádio Castelão, em São Luís, com ar de decepção. Sem brio, os suplentes fizeram muito pouco e não passaram de empate por 1 a 1 com o Sampaio Corrêa, na ida da segunda fase da Copa do Brasil. O jogo de volta será dia 12, em São Paulo e o empate sem gols classifica o Verdão.

O Palmeiras contratou quase dois times em 2015 – 20 jogadores exatamente – justamente para ter condições de rodar entre titulares e reservas sem perder em qualidade técnica. Mas o que se viu ontem no Maranhão é para deixar qualquer torcedor alviverde preocupado.

Está certo que a partida era a primeira para diversos jogadores que só vinham treinando ou entrando durante os duelos. Pode-se até dar desconto pela falta de entrosamento, apesar dos diversos jogos treinos realizados pelo grupo, mas nada justifica a falta de criatividade e ambição em superar o gramado diferente e a forte marcação.

Jogadores como Alan Patrick, Ayrton, Tobio e Gabriel Jesus, que almejavam lugar entre os principais atletas do elenco, até chamaram a responsabilidade, mas estiveram apáticos, a exemplo dos outros. Viram, por exemplo, Pimentinha, ex-São Caetano, infernizar a defesa.

Foram só dois bons momentos do Verdão no primeiro tempo. Aos 19, Victor Luís, umas das raras exceções, cruzou na cabeça de Renato, que fechou os olhos e, livre, acertou de ombro na bola e mandou para escanteio. No fim da etapa, aos 45, Ayrton conseguiu belo chute e acertou o travessão.

O Palmeiras voltou mais atrevido no segundo tempo, mas apresentava os mesmo problemas de falta de criatividade no meio de campo. Os erros de passes irritavam a todos, inclusive ao técnico Oswaldo de Oliveira, que perdeu a paciência aos 21, quando tirou Ryder para a entrada de Cristaldo e Andrei Girotto na vaga de Renato.

Não demorou dois minutos até que Cristaldo tabelou com Gabriel Jesus, mas Milton Raphael se antecipou e fez a defesa. O próprio argentino pegou o rebote e abriu o placar.

O gol deixou o Palmeiras ainda mais acomodado em campo e o castigo veio nos instantes finais. Aos 41, Pimentinha foi a linha de fundo e cruzou para Cleitinho deixar tudo igual.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reservas decepcionam e ficam no empate pela Copa do Brasil

Sem criatividade, Verdão encontra resistência no Sampaio Corrêa, mas encaminha classificação

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

30/04/2015 | 07:00


Se o Palmeiras tinha intenção de mostrar força de seu time reserva e, consequentemente do elenco, deixou o Estádio Castelão, em São Luís, com ar de decepção. Sem brio, os suplentes fizeram muito pouco e não passaram de empate por 1 a 1 com o Sampaio Corrêa, na ida da segunda fase da Copa do Brasil. O jogo de volta será dia 12, em São Paulo e o empate sem gols classifica o Verdão.

O Palmeiras contratou quase dois times em 2015 – 20 jogadores exatamente – justamente para ter condições de rodar entre titulares e reservas sem perder em qualidade técnica. Mas o que se viu ontem no Maranhão é para deixar qualquer torcedor alviverde preocupado.

Está certo que a partida era a primeira para diversos jogadores que só vinham treinando ou entrando durante os duelos. Pode-se até dar desconto pela falta de entrosamento, apesar dos diversos jogos treinos realizados pelo grupo, mas nada justifica a falta de criatividade e ambição em superar o gramado diferente e a forte marcação.

Jogadores como Alan Patrick, Ayrton, Tobio e Gabriel Jesus, que almejavam lugar entre os principais atletas do elenco, até chamaram a responsabilidade, mas estiveram apáticos, a exemplo dos outros. Viram, por exemplo, Pimentinha, ex-São Caetano, infernizar a defesa.

Foram só dois bons momentos do Verdão no primeiro tempo. Aos 19, Victor Luís, umas das raras exceções, cruzou na cabeça de Renato, que fechou os olhos e, livre, acertou de ombro na bola e mandou para escanteio. No fim da etapa, aos 45, Ayrton conseguiu belo chute e acertou o travessão.

O Palmeiras voltou mais atrevido no segundo tempo, mas apresentava os mesmo problemas de falta de criatividade no meio de campo. Os erros de passes irritavam a todos, inclusive ao técnico Oswaldo de Oliveira, que perdeu a paciência aos 21, quando tirou Ryder para a entrada de Cristaldo e Andrei Girotto na vaga de Renato.

Não demorou dois minutos até que Cristaldo tabelou com Gabriel Jesus, mas Milton Raphael se antecipou e fez a defesa. O próprio argentino pegou o rebote e abriu o placar.

O gol deixou o Palmeiras ainda mais acomodado em campo e o castigo veio nos instantes finais. Aos 41, Pimentinha foi a linha de fundo e cruzou para Cleitinho deixar tudo igual.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;