Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Crianças criam projeto de lei à Câmara

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Alunos do Colégio Caminhar apresentaram proposta sobre silêncio nos arredores de escolas


Caio dos Reis
Especial para o Diário

30/04/2015 | 07:00


A Matemática e a Biologia foram deixadas de lado durante algumas aulas do Colégio Caminhar, em Santo André. Os alunos do 5º ano visitaram a Câmara, desenvolveram estudo do funcionamento da Casa e produziram projeto de lei para conscientizar a população da cidade sobre a importância do silêncio nos arredores das escolas. A proposta foi protocolada anteontem no Legislativo andreense.
Kátia Zavanella, diretora da escola, explicou que a ideia surgiu depois de uma visita dos alunos na Câmara de Santo André. “A professora do 5º ano desenvolveu um trabalho com a turma para entender como funciona o Legislativo e os projetos de lei. Ao mesmo tempo, eles estavam vendo a importância do silêncio nos estudos. E aí juntaram os aprendizados e criaram esse projeto de lei.”

A professora Juliana Lacalle pensou no programa ‘Câmara Mirim: Estimulando a Cidadania na Escola’ com os 15 alunos da sala. “Eu queria desenvolver um trabalho que não fosse apenas de observação. Com a criação do projeto, eles tiveram a chance de participar ativamente das atividades desenvolvidas lá.”

O tema apareceu com a situação vivida pelos próprios alunos todos os dias. “Fica passando alguns carros de som que desconcentram os alunos, não só da nossa sala, mas da escola toda. Então achamos que iria ser bom se fossem colocadas placas pedindo silêncio para os motoristas”, contou a estudante Giovana Andreiuolo, 10 anos.

O trabalho começou com a divisão da sala em cinco trios. Cada um ficou responsável por entender um subtema, que foi desde o funcionamento da Câmara de Santo André até o processo que envolve a criação e a tramitação dos projetos de lei. Após essa etapa, a sala pensou em qual proposta poderia ser apresentada aos vereadores.

Juliana disse que os alunos estavam céticos quando começaram a criação do projeto, mas o andamento do trabalho e a conversa com o vereador Luiz Zacarias (PTB) foram fundamentais para o bom resultado. “Procurei sempre deixar claro que o ‘não’ podia acontecer. Antes de apresentar o projeto para o vereador, eles estavam nervosos, mas foi muito legal ver que eles conseguiram passar a ideia de forma clara e usando os vocabulários que nós estudamos”.

Zacarias elogiou a postura das crianças na visita à Casa. “Achei a ideia muito interessante e fiquei surpreso com o nível das perguntas, atenção e discernimento delas”. O petebista protocolou o projeto anteontem e considerou a ideia das crianças “pertinente”.

Agora, o texto segue o trâmite normal pela Casa andreense e deve ser votado nas próximas sessões. “Espero que dê uma resposta boa, porque deu muito trabalho”, disse Fernanda Montanha, 10 anos. E mesmo se a resposta for negativa, Ana Clara, 9, já viu um lado positivo. “Se não der certo, a gente já fica feliz por ter aprendido tudo isso e conhecido a Câmara.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Crianças criam projeto de lei à Câmara

Alunos do Colégio Caminhar apresentaram proposta sobre silêncio nos arredores de escolas

Caio dos Reis
Especial para o Diário

30/04/2015 | 07:00


A Matemática e a Biologia foram deixadas de lado durante algumas aulas do Colégio Caminhar, em Santo André. Os alunos do 5º ano visitaram a Câmara, desenvolveram estudo do funcionamento da Casa e produziram projeto de lei para conscientizar a população da cidade sobre a importância do silêncio nos arredores das escolas. A proposta foi protocolada anteontem no Legislativo andreense.
Kátia Zavanella, diretora da escola, explicou que a ideia surgiu depois de uma visita dos alunos na Câmara de Santo André. “A professora do 5º ano desenvolveu um trabalho com a turma para entender como funciona o Legislativo e os projetos de lei. Ao mesmo tempo, eles estavam vendo a importância do silêncio nos estudos. E aí juntaram os aprendizados e criaram esse projeto de lei.”

A professora Juliana Lacalle pensou no programa ‘Câmara Mirim: Estimulando a Cidadania na Escola’ com os 15 alunos da sala. “Eu queria desenvolver um trabalho que não fosse apenas de observação. Com a criação do projeto, eles tiveram a chance de participar ativamente das atividades desenvolvidas lá.”

O tema apareceu com a situação vivida pelos próprios alunos todos os dias. “Fica passando alguns carros de som que desconcentram os alunos, não só da nossa sala, mas da escola toda. Então achamos que iria ser bom se fossem colocadas placas pedindo silêncio para os motoristas”, contou a estudante Giovana Andreiuolo, 10 anos.

O trabalho começou com a divisão da sala em cinco trios. Cada um ficou responsável por entender um subtema, que foi desde o funcionamento da Câmara de Santo André até o processo que envolve a criação e a tramitação dos projetos de lei. Após essa etapa, a sala pensou em qual proposta poderia ser apresentada aos vereadores.

Juliana disse que os alunos estavam céticos quando começaram a criação do projeto, mas o andamento do trabalho e a conversa com o vereador Luiz Zacarias (PTB) foram fundamentais para o bom resultado. “Procurei sempre deixar claro que o ‘não’ podia acontecer. Antes de apresentar o projeto para o vereador, eles estavam nervosos, mas foi muito legal ver que eles conseguiram passar a ideia de forma clara e usando os vocabulários que nós estudamos”.

Zacarias elogiou a postura das crianças na visita à Casa. “Achei a ideia muito interessante e fiquei surpreso com o nível das perguntas, atenção e discernimento delas”. O petebista protocolou o projeto anteontem e considerou a ideia das crianças “pertinente”.

Agora, o texto segue o trâmite normal pela Casa andreense e deve ser votado nas próximas sessões. “Espero que dê uma resposta boa, porque deu muito trabalho”, disse Fernanda Montanha, 10 anos. E mesmo se a resposta for negativa, Ana Clara, 9, já viu um lado positivo. “Se não der certo, a gente já fica feliz por ter aprendido tudo isso e conhecido a Câmara.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;