Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Homenagens marcam enterro de Barbosa em Praia Grande


Do Diário do Grande ABC

08/04/2000 | 18:47


O ex-goleiro da Seleçao Brasileira da década de 50, Moacyr Barbosa, foi enterrado no final da tarde deste sábado, no Cemitério Morada da Grande Planície, em Praia Grande, cidade onde vivia desde 1997. O caixao foi coberto com as bandeiras do Clube Atlético Ypiranga, onde iniciou a carreira profissional em 1940, e a do Vasco da Gama, time onde jogou por mais de 20 anos. O enterro foi marcado por discursos e aplausos para Barbosa.

O diretor de futebol do clube carioca, Nilson Gonçalves, chegou na hora do enterro, devido a problemas com a Ponte Aérea, mas à tempo de prestar a última homenagem ao jogador que é considerado pelos colegas de esporte "um dos maiores goleiros do mundo". Gonçalves esperou pelo corpo de Barbosa na porta do cemitério, elogiou o goleiro de disse que ele sempre fez parte da família vascaína.

Acompanharam o corpo do ex-jogador, que morreu na noite de sexta-feira, aos 79 anos, vítima de insuficiência respiratória aguda, nao só os familiares e amigos, mas também admiradores, esportistas e diretores de clubes. Um dos mais abalados era o ex-lateral direito do Corinthians, Idário Peinado, que agora também reside em Praia Grande.

De acordo com Idário, Barbosa "sempre foi fora de série e para mim foi o melhor goleiro que existiu". Mais ainda: era um homem simples, humilde, comunicativo e um grande amigo que tinha uma queixa: "no Brasil a pena máxima para qualquer crime é de 30 anos e já fazem quase 50 que perdeu o gol para Uruguai, coisa que ninguém perdoa e essa tristeza ele levou para o túmulo", enfatizou Idário.

Também o presidente do Ypiranga, Roberto Nappi, clube onde Barbosa começou e lá permaneceu por quatro anos, antes de ir para o Vasco, no Rio de Janeiro, estava triste. "Sepultamos hoje, um dos maiores goleiros do mundo. Ele foi injustiçado pela derrota de 50, mas nós que amamos o futebol sempre estivemos ao lado dele", enfatizou.

Nappi lembrou que em outubro do ano passado promoveu dois dias de festa no clube para homenagear Barbosa e que o ex-goleiro recebeu das maos de Gilmar Santos Neves (Santos/Corinthians) e de Oberdan Catani (Palmeiras) a camisa de Goleiro nº 1.

Para Carlos Puppo, o Carioca, atual treinador de goleiros da Portuguesa de Desportos, "Barbosa foi muito injustiçado pelos torcedores, pela imprensa e por todos. Eu nao acho que ele tenha sido o culpado pela derrota de 50 e sim os 11 jogadores da seleçao, porque como goleiro ele foi um dos melhores", disse Carioca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Homenagens marcam enterro de Barbosa em Praia Grande

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, acesse com:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;