Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Parreira observa provável substituto de Ricardinho


Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC
Com Agências

01/08/2002 | 01:04


Carlos Alberto Parreira aproveitou o jogo-treino desta quarta contra o EC Osasco, da Série A-3, para observar atentamente o futebol de Moreno, eventual substituto de Ricardinho, que deve mesmo deixar o Corinthians. O técnico não deu nenhuma importância ao resultado – vitória do alvinegro (1 a 0), a primeira depois de 39 dias –, mas ao desempenho da equipe.

Parreira levou só quatro titulares ao Estádio Municipal José Liberati. “Esses amistosos nada acrescentam, mas precisamos melhorar o ritmo. O time deles não exigiu esforço da gente. O campo ruim atrapalhou. Não dava para dominar a bola”, disse.

Apesar de tudo, Parreira pôde, ao menos, analisar a atuação de Moreno, 19 anos, que estava acostumado a atuar na lateral-esquerda, mas não decepcionou.

Ele e Kléber insistiram nas tabelas. O garoto tentou alguns dribles e deu até toque de calcanhar. Enfim, soube mostrar personalidade. Aos 17 minutos do segundo tempo, encontrou Gil livre na linha de fundo. O atacante executou o cruzamento para Luciano Ratinho, que definiu o placar na falha do goleiro. “Moreno leva jeito, mas não podemos compará-lo ao Ricardinho”, disse Parreira.

O jejum do Corinthians durou exatos 39 dias. De lá para cá, empatou três (Taubaté, Paysandu e Náutico) e perdeu três vezes (Fluminense, Jundiaí e Santos). Agora, o time esteve menos ruim que o fraco Osasco. Sem a antiga base titular – Leandro e Deivid estão contundidos –, o time persistiu em alguns defeitos, principalmente na troca de passes. Erros, aliás, logo perdoadas pelo treinador, que atribuiu as falhas às péssimas condições do gramado.

Até que seja definida a transferência de Ricardinho, é pouco provável que a diretoria do Corinthians traga reforços, especialmente um atacante, como sugere Parreira. Guilherme (Atlético-MG) e Dodô (Botafogo-RJ) eram os nomes em pauta, mas o assunto esfriou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Parreira observa provável substituto de Ricardinho

Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC
Com Agências

01/08/2002 | 01:04


Carlos Alberto Parreira aproveitou o jogo-treino desta quarta contra o EC Osasco, da Série A-3, para observar atentamente o futebol de Moreno, eventual substituto de Ricardinho, que deve mesmo deixar o Corinthians. O técnico não deu nenhuma importância ao resultado – vitória do alvinegro (1 a 0), a primeira depois de 39 dias –, mas ao desempenho da equipe.

Parreira levou só quatro titulares ao Estádio Municipal José Liberati. “Esses amistosos nada acrescentam, mas precisamos melhorar o ritmo. O time deles não exigiu esforço da gente. O campo ruim atrapalhou. Não dava para dominar a bola”, disse.

Apesar de tudo, Parreira pôde, ao menos, analisar a atuação de Moreno, 19 anos, que estava acostumado a atuar na lateral-esquerda, mas não decepcionou.

Ele e Kléber insistiram nas tabelas. O garoto tentou alguns dribles e deu até toque de calcanhar. Enfim, soube mostrar personalidade. Aos 17 minutos do segundo tempo, encontrou Gil livre na linha de fundo. O atacante executou o cruzamento para Luciano Ratinho, que definiu o placar na falha do goleiro. “Moreno leva jeito, mas não podemos compará-lo ao Ricardinho”, disse Parreira.

O jejum do Corinthians durou exatos 39 dias. De lá para cá, empatou três (Taubaté, Paysandu e Náutico) e perdeu três vezes (Fluminense, Jundiaí e Santos). Agora, o time esteve menos ruim que o fraco Osasco. Sem a antiga base titular – Leandro e Deivid estão contundidos –, o time persistiu em alguns defeitos, principalmente na troca de passes. Erros, aliás, logo perdoadas pelo treinador, que atribuiu as falhas às péssimas condições do gramado.

Até que seja definida a transferência de Ricardinho, é pouco provável que a diretoria do Corinthians traga reforços, especialmente um atacante, como sugere Parreira. Guilherme (Atlético-MG) e Dodô (Botafogo-RJ) eram os nomes em pauta, mas o assunto esfriou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;