Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Miriam Belchior não
descarta candidatura


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

28/05/2011 | 07:06


Em evento ontem do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, que mais parecia convenção petista, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior (PT), alimentou a esperança dos correligionários em considerar a hipótese de disputar a Prefeitura de Santo André no processo eleitoral de 2012. Foi a primeira passagem oficial da petista pela região que a projetou politicamente após integrar o primeiro escalão do governo Dilma Rousseff (PT).

Correligionários veem na ministra potencial para consenso não só para evitar a prévia interna como também dar musculatura no sentido de engrossar condição de vencer pleito. Em contrapartida, nos bastidores, diversas lideranças do partido acreditam que o alto posto alcançado por Miriam praticamente inviabiliza a chance de ela postular chapa majoritária, tendo em vista que ficaria à frente da Pasta pouco mais de um ano, quando precisaria se desincompatibilizar do cargo em caso de candidatura. Sem contar que fecharia o canal regional direto.

Miriam afirmou que, por ser soldada do PT, vai se esforçar para que a legenda tenha desempenho satisfatório e que não descarta se lançar ao Paço. "Não está nem descartada nem confirmada (candidatura). Gosto muito de Santo André. Estamos discutindo a possibilidade, só que ainda é cedo." Ela revela conversa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tendo como foco a eleição no Grande ABC. "Tive com ele há 15 dias e jantei novamente na terça-feira. Dialogamos sobre todos os aspectos."

A ministra se mostrou emocionada com o fato de rever antigos correligionários. Para ela, o encontro, que era para balanço dos investimentos do governo federal na região, serviu para refazer os contatos. Ex-mulher de Celso Daniel, foi secretária na gestão do ex-prefeito entre 1997 e 2002, quando partiu para o governo federal para compor o governo Lula. "Ótimo rever todas as caras conhecidas e matar a saudade."

Na quinta-feira Miriam confirmou presença na inauguração das unidades do Programa de Aceleração do Crescimento, no bairro Três Marias. "Visitei as obras e venho para assinar o projeto de encostas. Provavelmente, anunciaremos ainda financiamento do banco internacional para a área da Saúde de São Bernardo."

Para o presidente do PT de Santo André, Luiz Turco, a vinda de Miriam mantém o nome no cenário, já que está entre os quatro cotados. Além dela, aparecem no páreo o ex-prefeito João Avamileno, o deputado estadual Carlos Grana, o ex-deputado Vanderlei Siraque e a ex-vice-prefeita Ivete Garcia. "Ela se colocou à disposição para colaborar com o processo. Isso nos deixa motivados. Fora isso, tivemos a garantia da executiva estadual que Santo André será uma das prioridades. Com isso, vemos possibilidade de reverter quadro."

Grana avalia que existe boas chances de haver nome consensual para concorrer na corrida eleitoral. "Nos reunimos constantemente para debater tanto projetos como candidatura. Nossa ideia é fecharmos em torno de um quadro até o fim de setembro. Temos totais condições de consolidarmos essa intenção e sairmos fortalecidos."

 

Petista se dispõe a ficar como intermediária com União

 

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior (PT), se colocou à disposição dos sete prefeitos para servir de ponte entre Grande ABC, por meio do Consórcio Intermunicipal, com o governo federal.

A petista reclamou da falta de investimento da administração estadual para contribuir diretamente com parcerias junto à entidade. "A região sempre sofreu com desdém do governo do Estado. Na história do Consórcio (20 anos), fomos vistos como área rica, que não precisava de ajuda", sustentou. "O ex-governador Mário Covas, por exemplo, demonstrava importância com a entidade, mesmo com a limitação da época. Empenho enfraqueceu bastante." Anteriormente, o Consórcio não tinha respaldo para realizar convênios e licitações. Atualmente, como órgão público, detém essa prerrogativa.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), no entanto, confirmou presença em junho na entidade na tentativa de atender demandas regionais. O tucano garante que virá ainda apresentar a segunda edição do projeto São Paulo Presente, trazendo todos os secretários estaduais.

O presidente do Consórcio, Mário Reali (PT), entregou pauta com dez itens de reivindicações. Entre os temas estão plano de mobilidade urbana regional, central de monitoramento de segurança e trânsito integrados, banda larga, qualificação profissional e ampliação de unidades de creches. "Das casas, estávamos esperando aprovação da medida provisória para reabrir para a população de baixa renda e área de risco. Até meio de junho as contratações serão retomadas", completou.

Miriam alega que parte das propostas compõe lista prioritária do governo Dilma Rousseff (PT) e, por conta desta sinergia, os pontos principais devem ser atendidos. "Vivemos momento especial de crescimento do País. A sintonia com as dificuldades aumenta a possibilidade de interlocução com a União. Por isso é importante a atuação do Consórcio para aproveitar esse momento especial, não deixando de aproveitar a pujança."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;