Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Olmert e Abbas realizam encontro para retomar o processo de paz


Da AFP

22/06/2006 | 11:41


O primeiro-ministro israelense Ehud Olmert e o presidente da Autoridade Palestina Mahmud Abbas prometeram nesta quinta-feira, durante um encontro informal na Jordânia - o primeiro deste nível em um ano - que vão se reunir de novo para retomar o processo de paz.

O encontro aconteceu durante um café da manhã organizado por iniciativa do rei da Jordânia, Abdullah II em Petra (sul), à margem de um foro que reúne 25 Prêmios Nobel.

O encontro entre os dois líderes é o primeiro deste nível desde que o presidente da Autoridade Palestina se reuniu, em junho de 2005, com o então primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, que se encontra em estado de coma desde 4 de janeiro passado.

Depois da reunião, Abbas anunciou que os preparativos para uma reunião oficial com Olmert começarão a partir da próxima semana. Segundo o porta-voz da presidência palestina, Nabil Abu Rudeina, essa reunião pode acontecer em uma ou duas semanas.

Por sua parte, Ehud Olmert se declarou disposto a "fazer tudo pela paz" e que deseja um novo encontro com Abbas, a quem considera "uma pessoa sincera".

"Estou disposto a fazer tudo com um único objetivo: conseguir a paz, adotar compromissos e realizar retiradas de certos territórios", assegurou Olmert ao Prêmio Nobel da Paz Elie Wiesel, depois de seu encontro com Abbas.

"Rezo para que os palestinos tenham a coragem de se livrar dos extremistas e coloquem em seu lugar as pessoas adequadas a reconhecer Israel", acrescentou Olmert referindo-se ao governo do Hamas (Movimento de Resistência Islâmica), que se nega a reconhecer o Estado hebreu.

Olmert reiterou as condições necessárias para assegurar o desenvolvimento adequado das próximas reuniões: o desarmamento total das organizações terroristas, a plena aplicação dos acordos aprovados e o reconhecimento de Israel.

"Ninguém está disposto a negociar com uma organização terrorista", acrescentou, em alusão ao Hamas.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Olmert e Abbas realizam encontro para retomar o processo de paz

Da AFP

22/06/2006 | 11:41


O primeiro-ministro israelense Ehud Olmert e o presidente da Autoridade Palestina Mahmud Abbas prometeram nesta quinta-feira, durante um encontro informal na Jordânia - o primeiro deste nível em um ano - que vão se reunir de novo para retomar o processo de paz.

O encontro aconteceu durante um café da manhã organizado por iniciativa do rei da Jordânia, Abdullah II em Petra (sul), à margem de um foro que reúne 25 Prêmios Nobel.

O encontro entre os dois líderes é o primeiro deste nível desde que o presidente da Autoridade Palestina se reuniu, em junho de 2005, com o então primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, que se encontra em estado de coma desde 4 de janeiro passado.

Depois da reunião, Abbas anunciou que os preparativos para uma reunião oficial com Olmert começarão a partir da próxima semana. Segundo o porta-voz da presidência palestina, Nabil Abu Rudeina, essa reunião pode acontecer em uma ou duas semanas.

Por sua parte, Ehud Olmert se declarou disposto a "fazer tudo pela paz" e que deseja um novo encontro com Abbas, a quem considera "uma pessoa sincera".

"Estou disposto a fazer tudo com um único objetivo: conseguir a paz, adotar compromissos e realizar retiradas de certos territórios", assegurou Olmert ao Prêmio Nobel da Paz Elie Wiesel, depois de seu encontro com Abbas.

"Rezo para que os palestinos tenham a coragem de se livrar dos extremistas e coloquem em seu lugar as pessoas adequadas a reconhecer Israel", acrescentou Olmert referindo-se ao governo do Hamas (Movimento de Resistência Islâmica), que se nega a reconhecer o Estado hebreu.

Olmert reiterou as condições necessárias para assegurar o desenvolvimento adequado das próximas reuniões: o desarmamento total das organizações terroristas, a plena aplicação dos acordos aprovados e o reconhecimento de Israel.

"Ninguém está disposto a negociar com uma organização terrorista", acrescentou, em alusão ao Hamas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;