Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Os favores que a Pirelli recebeu para vir a Santo André

“Pirelli é mais pneu”, dizia a propaganda de alguns anos, e décadas, atrás


Ademir Medici

19/04/2015 | 07:00


“Pirelli é mais pneu”, dizia a propaganda de alguns anos, e décadas, atrás. E nestes tempos em que a Pirelli brasileira anuncia mudanças radicais, inclusive afetando a vida de muitas famílias de seus colaboradores, é importante contar às novas gerações, em especial aos novos empreendedores, técnicos e políticos andreenses, como foi o início da vida da organização multinacional italiana no Vale do Tamanduateí.

A Pirelli não veio de graça para Santo André. A cidade disputou sua vinda, e pagou caro por isso, num momento delicado da vida econômica mundial, como um todo, e na vida política nacional, em particular.

O mundo vivia os efeitos da quebra da Bolsa de Nova York, em 1929. E o Brasil, em 1930, caminhava às cegas nos agonizantes e sangrentos momentos da Velha República.

E foi em 1930, na noite de 8 de abril – data que ainda não era celebrada como feriado – que a Câmara de São Bernardo batia o martelo, aprovando a Lei nº 298, logo promulgada pelo prefeito Saladino Cardoso Franco em seus últimos meses antes de cair com os caciques da República Velha.

Pela lei, a Pirelli chegou com tudo. Recebia os favores concedidos pela municipalidade. E tinha o direito, até mesmo, de mudar a geografia em torno do seu espaço, ao lado das linhas da Estrada de Ferro São Paulo Railway e a três quilômetros da estação ferroviária de Santo André, ainda chamada São Bernardo.

Tudo para que os italianos pudessem lançar aqui as bases das suas plantas industriais, o que de fato aconteceu em tempo recorde.

É ai que entra

a Conac

do ministro

Pandiá Calógeras

A Pirelli tinha pressa. Até que as primeiras paredes fossem erguidas em Capuava, a empresa se serve de uma empresa ainda hoje lembrada pelos mais antigos: Companhia Nacional de Cobre, a Conac, que trouxe a Santo André um ministro federal, o historiador Pandiá Calógeras, o primeiro civil a ocupar pasta do Exército – e de quem Adoniran Barbosa foi motorista.

A Conac ficava no Ipiranguinha. Foi a ela, “ou seus sucessores”, que a municipalidade outorgou os favores da Lei 298. E que favores eram aqueles?

- Isenção de impostos de Indústria e Profissão, e Predial, durante o prazo de 10 anos, a partir de 1931, inclusive, para o seu estabelecimento industrial em Santo André e para os demais que viesse a instalar no município, para a fabricação dos seguintes artigos: fios condutores de eletricidade, artefatos de cobre, chumbo e outros metais, artefatos de borracha.

- À Pirelli ficava facultado o direito de mudar um trecho da atual estrada de rodagem de Santo André a Mauá.

- A empresa poderia construir uma linha de suprimento de água potável desde o reservatório do Guarará, que foi o primeiro do Grande ABC.

- Para tal, a Pirelli teria que adotar os processos que trouxeram a região outros dois gigantes, a General Motors e a Fichet – igualmente beneficiados por favores fiscais.

- Importante: entre as poucas exigências da municipalidade estava a de a Pirelli empregar, ao menos, 400 trabalhadores. Proporcionalmente, hoje teria que manter quantas linhas de trabalho?

E assim tudo começou – e lá já se vão 85 anos.

Senhores novos empreendedores, autoridades constituídas. Neste momento crucial da História da Pirelli em Santo André, seria muito bom que houvesse uma reflexão em torno da Lei 298 e das suas consequências legais, trabalhistas e sociais na vida de tantos que levaram adiante o slogan “Pirelli é mais pneu”.

Diário há 30 anos

Sexta-feira, 19 de abril de 1985 – ano 27, nº 5803

Manchete – Estado de Tancredo é desesperador

- Com nova crise, o coração é afetado.

- Iniciado processo de falência múltipla de órgãos.

Movimento sindical – TRT julga dissídio e greve dos metalúrgicos prossegue.

Data – Dia do Índio: mudanças com a Nova República.

Automobilismo (Marco Piquini) – Escort XR-3 ganha versão conversível, mais esportiva.

Literatura – Professor Noêmio Spada lança hoje o livro Miragens e Imagens (poesias), em noite de autógrafo no Bazar Emílio, em Santo André.

Polícia – Mauá terá cavalaria no policiamento.

- Ladrões de carros presos em Mauá.

Em 19 de abril de...

1915 – A guerra. Do noticiário do Estadão: ‘Presidente da França, Raymond Poincaré, recebe o ministro do Brasil, diplomata Olyntho de Magalhães, em audiência especial.’

1930 – O diretor da Repartição de Águas de São Paulo, Dr. Egydio Martins, é encarregado de proceder aos estudos para o abastecimento de água de São Caetano.

1970 – Inaugurado o Centro de Emergência da Faisa (Fundação de Assistência à Infância), em Santa Terezinha.

Hoje

- Dia do Índio

- Dia do Exército Brasileiro

- Dia Nacional do Poeta

Santos do dia

- Expedito. Padroeiro dos militares, estudantes e viajantes. Chefe da 12ª Região Romana. Morreu no ano 303.

- Gálata

- Sócrates

Município Paulista

- Santo Expedito. Elevado a município em 1959, quando se separa de Alfredo Marcondes, na região de Presidente Prudente. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Os favores que a Pirelli recebeu para vir a Santo André

“Pirelli é mais pneu”, dizia a propaganda de alguns anos, e décadas, atrás

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, acesse com:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;