Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Quanto mais (nem sempre), melhor

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aumentar as rodas na hora da tunagem pode causar multa e apreensão; confira dicas de especialista


Oscar Brandtneris
Especial para o Diário

03/04/2015 | 07:57


 Quando se pensa em tunagem, quanto maior o pneu e mais exclusiva a roda, melhor. Apesar de exigir investimento pesado, o conjunto é quase sempre prioridade e, por que não, um sonho de consumo para alguns proprietários. Mas é preciso ficar atento! Trocar tais itens por componentes maiores pode prejudicar o funcionamento do veículo, além de gerar dor de cabeça (e para o bolso) caso seja flagrado pela fiscalização.

O fato é que deixar a caranga invocada pode trazer graves consequências como a alteração da marcação do velocímetro e a pressão dos pneus – que, na maioria dos casos, fica diferente da indicada na etiqueta de calibração ideal para o veículo.

“O velocímetro já é calibrado de acordo com o tamanho dos pneus definidos como ideais pelas montadoras. Com rodas maiores, o ponteiro estará abaixo da velocidade real, podendo até causar multas (devido a marcação inferior)”, afirmou o especialista do Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária) Gerson Burin.

O cuidado mais óbvio na hora de equipar a máquina é a certificação dos quatro pneus, que devem seguir o tamanho e tipo. Além disso, a modificação do conjunto de rodas pode resultar na perda da garantia do veículo, oferecida pela montadora. “O manual especifica todas as dimensões e tipos de peças dos carros, e pode ser muito útil”, comentou Burin.

FISCALIZAÇÃO
Agentes de trânsito e policias rodoviários estão aptos para verificar se o conjunto roda e pneu estão de acordo com o diâmetro específico indicado para cada carro. Caso seja detectado que a modificação ultrapassou os limites do para-lamas, a multa é de R$ 127,69, além de cinco pontos no prontuário do condutor (infração grave).

Conforme determina a lei, o aumento ou diminuição do diâmetro externo dos pneus e rodas segue a resolução 292, artigo 8 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

De acordo com o Detran – que fiscaliza as especificações do componente – “se o proprietário do veículo desejar fazer a alteração, deverá manter o diâmetro externo, ou seja, se aumentar o tamanho do aro, precisará diminuir a altura do pneu”. Além disso, se for constatada a irregularidade, o veículo fica retido para regularização.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Quanto mais (nem sempre), melhor

Aumentar as rodas na hora da tunagem pode causar multa e apreensão; confira dicas de especialista

Oscar Brandtneris
Especial para o Diário

03/04/2015 | 07:57


 Quando se pensa em tunagem, quanto maior o pneu e mais exclusiva a roda, melhor. Apesar de exigir investimento pesado, o conjunto é quase sempre prioridade e, por que não, um sonho de consumo para alguns proprietários. Mas é preciso ficar atento! Trocar tais itens por componentes maiores pode prejudicar o funcionamento do veículo, além de gerar dor de cabeça (e para o bolso) caso seja flagrado pela fiscalização.

O fato é que deixar a caranga invocada pode trazer graves consequências como a alteração da marcação do velocímetro e a pressão dos pneus – que, na maioria dos casos, fica diferente da indicada na etiqueta de calibração ideal para o veículo.

“O velocímetro já é calibrado de acordo com o tamanho dos pneus definidos como ideais pelas montadoras. Com rodas maiores, o ponteiro estará abaixo da velocidade real, podendo até causar multas (devido a marcação inferior)”, afirmou o especialista do Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária) Gerson Burin.

O cuidado mais óbvio na hora de equipar a máquina é a certificação dos quatro pneus, que devem seguir o tamanho e tipo. Além disso, a modificação do conjunto de rodas pode resultar na perda da garantia do veículo, oferecida pela montadora. “O manual especifica todas as dimensões e tipos de peças dos carros, e pode ser muito útil”, comentou Burin.

FISCALIZAÇÃO
Agentes de trânsito e policias rodoviários estão aptos para verificar se o conjunto roda e pneu estão de acordo com o diâmetro específico indicado para cada carro. Caso seja detectado que a modificação ultrapassou os limites do para-lamas, a multa é de R$ 127,69, além de cinco pontos no prontuário do condutor (infração grave).

Conforme determina a lei, o aumento ou diminuição do diâmetro externo dos pneus e rodas segue a resolução 292, artigo 8 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

De acordo com o Detran – que fiscaliza as especificações do componente – “se o proprietário do veículo desejar fazer a alteração, deverá manter o diâmetro externo, ou seja, se aumentar o tamanho do aro, precisará diminuir a altura do pneu”. Além disso, se for constatada a irregularidade, o veículo fica retido para regularização.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;