Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Turma da Mônica do asfalto

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cascão, Horácio, Mônica, e a história de um casal apaixonado por carros antigos


Oscar Brandtneris
Especial para o Diário

03/04/2015 | 07:56


 Logo no primeiro dia de trabalho, uma entrevista bem descontraída. Tratava-se da história de um casal apaixonado por carros antigos, algo que permeou um novo ciclo que estava se iniciando. É isso aí, contaremos aqui a saga do simpático casal Ervin e Flávia, que criou sua Turma da Mônica do asfalto, algo que lhes proporcionou novas amizades e boas aventuras por aí.

Ervin Moretti, 62, é engenheiro mecânico e presidente do Fusca Clube do Brasil. Flávia Franco, 57, atua como dentista. O Horácio, um Volkswagen Fusca verde hippie, fabricado em 1974, é o xodó do casal e o responsável pelo início de toda a história. “Nossa vizinha, Eurides, nos vendeu o Horácio, que precisou de algumas reformas para ficar bonitão como está, e foi aí que tudo começou”, contou Moretti.

Mas a relação dos dois com os automóveis começou antes mesmo de se conhecerem. Aos sete anos, ele ganhou sua primeira miniatura e, hoje, já são mais de 1.200 na coleção.

Horácio é a marca registrada do casal, mas outros dois personagens da Turma da Mônica também já fazem parte da família. Um deles é o Cascão, representado por um Escort modelo 1985, o primeiro lançado pela Ford. “Tivemos que polir ele todo por conta de várias manchas na carroceria, e o apelido foi adotado na hora”, contou o engenheiro.

O outro é o carro de Flávia: uma VW Kombi de 1973 toda vermelhinha e charmosa. E é claro que não haveria ideia melhor do que batizá-la de Mônica. “Um amigo do Ervin pediu ajuda na venda da Kombi, mas ele já sabia que eu gostava do modelo e até perguntou se nós tínhamos interesse. Vermelha daquele jeito, só podia ser a Mônica mesmo e é claro que decidimos comprar”, disse Flávia.

COMEÇO DE TUDO
A ideia de caracterizar os carros como personagens da Turma da Mônica nasceu justamente do fascínio do presidente do Fusca Clube por gibis, e em especial, pelo personagem Horácio. “Sempre me identifiquei com ele e acho que temos a mesma personalidade. Ele é o principal, o nosso bibelôt.”

Em maio deste ano, uma nova sede do Fusca Clube será inaugurada. E logo depois, a ideia é de construir um recanto para os amigomobilistas. A ideia de Ervin é colocar toda sua coleção de miniaturas, troféus e recordações em um espaço que ficará aberto para os amigos realizarem suas confraternizações e encontros.

AMIGOMOBILISMO
“Na verdade, no final das contas, os carros são apenas um pretexto para unir os amigos, pois, nos encontros, é a hora da farra. O antigomobilismo abre portas para o amigomobilismo”, afirmou o engenheiro, quando questionado sobre qual era a melhor parte de todo envolvimento com os carros.

HISTÓRIAS
“A filha de um grande amigo me pediu para que eu a levasse à igreja com o Horacinho em seu casamento. Lá, parei em frente a uma Limusine toda branca, enorme, mas ainda assim as pessoas só olhavam para o meu Fusca porque, para elas, esse tipo de carro (Limusine) sempre é visto por lá”, contou Ervin, que pretende aumentar a Turma da Mônica adquirindo a Magali, “provavelmente uma picape. Amarela, claro!”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Turma da Mônica do asfalto

Cascão, Horácio, Mônica, e a história de um casal apaixonado por carros antigos

Oscar Brandtneris
Especial para o Diário

03/04/2015 | 07:56


 Logo no primeiro dia de trabalho, uma entrevista bem descontraída. Tratava-se da história de um casal apaixonado por carros antigos, algo que permeou um novo ciclo que estava se iniciando. É isso aí, contaremos aqui a saga do simpático casal Ervin e Flávia, que criou sua Turma da Mônica do asfalto, algo que lhes proporcionou novas amizades e boas aventuras por aí.

Ervin Moretti, 62, é engenheiro mecânico e presidente do Fusca Clube do Brasil. Flávia Franco, 57, atua como dentista. O Horácio, um Volkswagen Fusca verde hippie, fabricado em 1974, é o xodó do casal e o responsável pelo início de toda a história. “Nossa vizinha, Eurides, nos vendeu o Horácio, que precisou de algumas reformas para ficar bonitão como está, e foi aí que tudo começou”, contou Moretti.

Mas a relação dos dois com os automóveis começou antes mesmo de se conhecerem. Aos sete anos, ele ganhou sua primeira miniatura e, hoje, já são mais de 1.200 na coleção.

Horácio é a marca registrada do casal, mas outros dois personagens da Turma da Mônica também já fazem parte da família. Um deles é o Cascão, representado por um Escort modelo 1985, o primeiro lançado pela Ford. “Tivemos que polir ele todo por conta de várias manchas na carroceria, e o apelido foi adotado na hora”, contou o engenheiro.

O outro é o carro de Flávia: uma VW Kombi de 1973 toda vermelhinha e charmosa. E é claro que não haveria ideia melhor do que batizá-la de Mônica. “Um amigo do Ervin pediu ajuda na venda da Kombi, mas ele já sabia que eu gostava do modelo e até perguntou se nós tínhamos interesse. Vermelha daquele jeito, só podia ser a Mônica mesmo e é claro que decidimos comprar”, disse Flávia.

COMEÇO DE TUDO
A ideia de caracterizar os carros como personagens da Turma da Mônica nasceu justamente do fascínio do presidente do Fusca Clube por gibis, e em especial, pelo personagem Horácio. “Sempre me identifiquei com ele e acho que temos a mesma personalidade. Ele é o principal, o nosso bibelôt.”

Em maio deste ano, uma nova sede do Fusca Clube será inaugurada. E logo depois, a ideia é de construir um recanto para os amigomobilistas. A ideia de Ervin é colocar toda sua coleção de miniaturas, troféus e recordações em um espaço que ficará aberto para os amigos realizarem suas confraternizações e encontros.

AMIGOMOBILISMO
“Na verdade, no final das contas, os carros são apenas um pretexto para unir os amigos, pois, nos encontros, é a hora da farra. O antigomobilismo abre portas para o amigomobilismo”, afirmou o engenheiro, quando questionado sobre qual era a melhor parte de todo envolvimento com os carros.

HISTÓRIAS
“A filha de um grande amigo me pediu para que eu a levasse à igreja com o Horacinho em seu casamento. Lá, parei em frente a uma Limusine toda branca, enorme, mas ainda assim as pessoas só olhavam para o meu Fusca porque, para elas, esse tipo de carro (Limusine) sempre é visto por lá”, contou Ervin, que pretende aumentar a Turma da Mônica adquirindo a Magali, “provavelmente uma picape. Amarela, claro!”

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;