Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Abastecer só até o automático


Wilson Marini
Para o Diário do Grande ABC

02/04/2015 | 07:00


‘Não passe do limite. Abasteça só até o automático’, prega campanha assinada pelo governo paulista. O mote, defendido pela Vigilância Sanitária, visa diminuir o velho hábito dos motoristas de mandar encher o tanque até a boca. A prática é cultural e muitas vezes sugerida pelo próprio frentista para facilitar a vida do motorista que paga a conta em dinheiro. Mas ir além do ponto automático é agora condenado pela Saúde pública devido ao manuseio inseguro da gasolina nas curtas ‘bombadas’ finais. Com a bomba no automático, o frentista tem a vantagem de preservar distância segura do tanque e assim ficar menos exposto à inalação dos vapores do combustível. A conduta correta, então, é parar o abastecimento no clique que sinaliza o ponto automático. O tema é tão sério que motivou audiência pública na Assembleia Legislativa paulista na sexta-feira. Na ocasião, a química e farmacêutica Neli Pires Magnanelli, técnica de ações de Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, falou sobre abastecimento consciente de veículos nos postos. O objetivo do alerta, segundo ela, é evitar que os vapores sejam inalados durante o abastecimento. Neli disse que a gasolina é composta por várias substâncias químicas perigosas à saúde e pode desencadear câncer.

Benzeno – 1
Cefaleia, tonturas, irritação a pele e olhos, distúrbio do sono, disfunção psicossomática, perda de memória e de percepção ao odor – essas são algumas das doenças decorrentes da exposição ao benzeno. O médico Danilo Fernandes Costa, especialista em medicina do trabalho, afirmou na audiência que o benzeno expõe à toxicidade não só o frentista, mas o consumidor que vai abastecer seu veículo. Cerca de 100 mil frentistas trabalham no Estado de São Paulo, dos quais 70 mil com carteira assinada e, desse total, 30% são mulheres.

Benzeno – 2
A periculosidade do benzeno foi abordada por Arline Sydneia Abel Arcuri, doutora em ciências e pesquisadora da Fundacentro. Quinto produto mais usado no mundo, o benzeno pode penetrar no corpo humano através da inalação e mesmo contato direto, quando frentistas utilizam flanelas e panos molhados com gasolina para limpar o tanque de combustível dos veículos. A exposição a longo prazo, em concentrações menores, acaba se acumulando na medula óssea, atingindo as células do sistema formador do sangue e pode ocasionar vários tipos de cânceres. Um dos primeiros sintomas dessa concentração é a diminuição de glóbulos brancos. Não há limite seguro para a exposição ao benzeno, portanto, qualquer concentração pode desencadear mal-estar ou mesmo doença.

Efeitos da poluição
Estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, mostra que os efeitos da exposição à poluição do ar vão além do sistema respiratório. As partículas tóxicas na atmosfera aumentam também o risco de sintomas de ansiedade. O levantamento está publicado no Portal British Medical Journal. Segundo os cientistas, a exposição constante ao ar poluído pode provocar medo, desejo de evasão e tendência a se preocupar. Um tipo de partícula denominada PM2.5 seria a responsável pelos sintomas de ansiedade.

Investimento
A Scania inaugurou área de montagem e pintura de cabines no complexo industrial de São Bernardo, onde são fabricados caminhões e chassis de ônibus, além de suspensão e motores. Investimento de R$ 96 milhões. O novo prédio é inspirado nas linhas da montadora na Suécia e Holanda.

Institutos
Havia dúvidas, mas a Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos Públicos de Pesquisa e das Fundações Públicas do Estado de São Paulo da Assembleia Legislativa vai retomar suas atividades em breve. Uma das prioridades será discutir o plano do governo do Estado de extinguir as entidades Fundação Prefeito Faria Lima/Cepam e a Fundap (Fundação do Desenvolvimento Administrativo).

Dengue
A Assembleia Legislativa decidiu criar comissão para apurar como anda a epidemia de dengue que atinge o Estado. A iniciativa foi apoiada por parlamentares de diferentes partidos, inclusive da base do governo. O objetivo é acompanhar de perto as ações de combate à doença desenvolvidas pela Secretaria Estadual de Saúde e pelo Ministério da Saúde. O grupo pretende averiguar até que ponto essas medidas estão sendo eficazes no sentido de conter o avanço da doença.

Breve
A redução da maioridade penal de 18 para 16 anos foi aprovada terça-feira pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Abastecer só até o automático

Wilson Marini
Para o Diário do Grande ABC

02/04/2015 | 07:00


‘Não passe do limite. Abasteça só até o automático’, prega campanha assinada pelo governo paulista. O mote, defendido pela Vigilância Sanitária, visa diminuir o velho hábito dos motoristas de mandar encher o tanque até a boca. A prática é cultural e muitas vezes sugerida pelo próprio frentista para facilitar a vida do motorista que paga a conta em dinheiro. Mas ir além do ponto automático é agora condenado pela Saúde pública devido ao manuseio inseguro da gasolina nas curtas ‘bombadas’ finais. Com a bomba no automático, o frentista tem a vantagem de preservar distância segura do tanque e assim ficar menos exposto à inalação dos vapores do combustível. A conduta correta, então, é parar o abastecimento no clique que sinaliza o ponto automático. O tema é tão sério que motivou audiência pública na Assembleia Legislativa paulista na sexta-feira. Na ocasião, a química e farmacêutica Neli Pires Magnanelli, técnica de ações de Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, falou sobre abastecimento consciente de veículos nos postos. O objetivo do alerta, segundo ela, é evitar que os vapores sejam inalados durante o abastecimento. Neli disse que a gasolina é composta por várias substâncias químicas perigosas à saúde e pode desencadear câncer.

Benzeno – 1
Cefaleia, tonturas, irritação a pele e olhos, distúrbio do sono, disfunção psicossomática, perda de memória e de percepção ao odor – essas são algumas das doenças decorrentes da exposição ao benzeno. O médico Danilo Fernandes Costa, especialista em medicina do trabalho, afirmou na audiência que o benzeno expõe à toxicidade não só o frentista, mas o consumidor que vai abastecer seu veículo. Cerca de 100 mil frentistas trabalham no Estado de São Paulo, dos quais 70 mil com carteira assinada e, desse total, 30% são mulheres.

Benzeno – 2
A periculosidade do benzeno foi abordada por Arline Sydneia Abel Arcuri, doutora em ciências e pesquisadora da Fundacentro. Quinto produto mais usado no mundo, o benzeno pode penetrar no corpo humano através da inalação e mesmo contato direto, quando frentistas utilizam flanelas e panos molhados com gasolina para limpar o tanque de combustível dos veículos. A exposição a longo prazo, em concentrações menores, acaba se acumulando na medula óssea, atingindo as células do sistema formador do sangue e pode ocasionar vários tipos de cânceres. Um dos primeiros sintomas dessa concentração é a diminuição de glóbulos brancos. Não há limite seguro para a exposição ao benzeno, portanto, qualquer concentração pode desencadear mal-estar ou mesmo doença.

Efeitos da poluição
Estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, mostra que os efeitos da exposição à poluição do ar vão além do sistema respiratório. As partículas tóxicas na atmosfera aumentam também o risco de sintomas de ansiedade. O levantamento está publicado no Portal British Medical Journal. Segundo os cientistas, a exposição constante ao ar poluído pode provocar medo, desejo de evasão e tendência a se preocupar. Um tipo de partícula denominada PM2.5 seria a responsável pelos sintomas de ansiedade.

Investimento
A Scania inaugurou área de montagem e pintura de cabines no complexo industrial de São Bernardo, onde são fabricados caminhões e chassis de ônibus, além de suspensão e motores. Investimento de R$ 96 milhões. O novo prédio é inspirado nas linhas da montadora na Suécia e Holanda.

Institutos
Havia dúvidas, mas a Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos Públicos de Pesquisa e das Fundações Públicas do Estado de São Paulo da Assembleia Legislativa vai retomar suas atividades em breve. Uma das prioridades será discutir o plano do governo do Estado de extinguir as entidades Fundação Prefeito Faria Lima/Cepam e a Fundap (Fundação do Desenvolvimento Administrativo).

Dengue
A Assembleia Legislativa decidiu criar comissão para apurar como anda a epidemia de dengue que atinge o Estado. A iniciativa foi apoiada por parlamentares de diferentes partidos, inclusive da base do governo. O objetivo é acompanhar de perto as ações de combate à doença desenvolvidas pela Secretaria Estadual de Saúde e pelo Ministério da Saúde. O grupo pretende averiguar até que ponto essas medidas estão sendo eficazes no sentido de conter o avanço da doença.

Breve
A redução da maioridade penal de 18 para 16 anos foi aprovada terça-feira pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;