Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

'Quero popularizar o Ipem-SP', diz Volpi

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Superintendente do instituto estadual relata que povo paulista não tem ciência da atuação do órgão


Gustavo Pinchiaro

02/04/2015 | 07:00


Ex-prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PTB) afirmou que uma de suas missões como superintendente do Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo) será popularizar e estender o canal de reclamações mantido pelo órgão vinculado ao governo do Estado. Segundo Volpi, a população paulista não tem ciência da atuação do departamento, que possui missão similar à do Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), de fiscalização.

“Temos estrutura e precisamos popularizar mais o Ipem, por meio de campanhas publicitárias e de conscientização popular. O trabalho lá executado é excelente e muito importante ao cidadão paulista”, relatou o petebista, que assumiu a chefia do Ipem-SP no início do ano. No mandato anterior do governador Geraldo Alckmin (PSDB), ele estava como secretário adjunto de Esporte, Lazer e Juventude.

O Ipem-SP tem como principal missão aferir se metodologias de cobrança estão dentro de padrões estabelecidos em lei. Por exemplo, é responsável por fiscalizar balanças de feiras livres, taxímetros e até checagem de embalagens, se o conteúdo confere com o rótulo.

“Foi uma surpresa quando fui convidado a assumir o Ipem, porque achava que só cuidava de balança. Vi que a atuação é muito maior, que cuida realmente do cidadão. Funcionamos como um Procon para as empresas. E precisamos colocar isso na cultura das pessoas. O Ipem tem 50 anos de grandes serviços prestados à população de São Paulo”, declarou.

A média de reclamações ao Ipem-SP é de 2.000 a 3.000 ligações à ouvidoria. A meta é ampliar gradativamente esses números. O órgão conta com Orçamento de R$ 150 milhões anuais.

Volpi afirmou ser bastante diferente sua atuação à frente do Ipem-SP do que o serviço que executava na Secretaria de Estado do Esporte, Lazer e Juventude. À ocasião, foi chamado principalmente para fazer valer a Lei de Incentivo ao Esporte – cuja receita estava estimada em R$ 120 milhões por ano – e credenciar projetos e entidades que pudessem fazer bom uso do recurso.
O petebista participou da gravação do Programa Opinião, do DGABCTV. A entrevista completa vai ao ar hoje, a partir das 9h, no site www.dgabc.com.br/tv. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Quero popularizar o Ipem-SP', diz Volpi

Superintendente do instituto estadual relata que povo paulista não tem ciência da atuação do órgão

Gustavo Pinchiaro

02/04/2015 | 07:00


Ex-prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PTB) afirmou que uma de suas missões como superintendente do Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo) será popularizar e estender o canal de reclamações mantido pelo órgão vinculado ao governo do Estado. Segundo Volpi, a população paulista não tem ciência da atuação do departamento, que possui missão similar à do Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), de fiscalização.

“Temos estrutura e precisamos popularizar mais o Ipem, por meio de campanhas publicitárias e de conscientização popular. O trabalho lá executado é excelente e muito importante ao cidadão paulista”, relatou o petebista, que assumiu a chefia do Ipem-SP no início do ano. No mandato anterior do governador Geraldo Alckmin (PSDB), ele estava como secretário adjunto de Esporte, Lazer e Juventude.

O Ipem-SP tem como principal missão aferir se metodologias de cobrança estão dentro de padrões estabelecidos em lei. Por exemplo, é responsável por fiscalizar balanças de feiras livres, taxímetros e até checagem de embalagens, se o conteúdo confere com o rótulo.

“Foi uma surpresa quando fui convidado a assumir o Ipem, porque achava que só cuidava de balança. Vi que a atuação é muito maior, que cuida realmente do cidadão. Funcionamos como um Procon para as empresas. E precisamos colocar isso na cultura das pessoas. O Ipem tem 50 anos de grandes serviços prestados à população de São Paulo”, declarou.

A média de reclamações ao Ipem-SP é de 2.000 a 3.000 ligações à ouvidoria. A meta é ampliar gradativamente esses números. O órgão conta com Orçamento de R$ 150 milhões anuais.

Volpi afirmou ser bastante diferente sua atuação à frente do Ipem-SP do que o serviço que executava na Secretaria de Estado do Esporte, Lazer e Juventude. À ocasião, foi chamado principalmente para fazer valer a Lei de Incentivo ao Esporte – cuja receita estava estimada em R$ 120 milhões por ano – e credenciar projetos e entidades que pudessem fazer bom uso do recurso.
O petebista participou da gravação do Programa Opinião, do DGABCTV. A entrevista completa vai ao ar hoje, a partir das 9h, no site www.dgabc.com.br/tv. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;